Rehagro Blog
ordenha

Quantas vezes as vacas devem ser ordenhadas?

Quantas vezes as vacas devem ser ordenhadas?
Nota 3 / Votos 2

Para que práticas eficientes de manejo de ordenha das vacas sejam adotadas, é necessário um bom conhecimento da fisiologia da lactação e dos fatores que interferem com a síntese de leite. A produção de leite depende, dentre outros fatores, da manutenção do número de células alveolares, da capacidade de síntese dessas células e da eficiência do reflexo de ejeção de leite. Os hormônios têm papel importante na lactação, mas sem a remoção freqüente do leite, mesmo com um adequado perfil hormonal, a síntese não persiste. Por outro lado, a lactação não é mantida por um longo tempo, mesmo com uma freqüente remoção do leite. Desta forma, a secreção e a remoção do leite estão estritamente associadas.

Qual a quantidade ideal de ordenhas?

A freqüência das ordenhas e, conseqüentemente, o aumento ou a redução nos intervalos entre ordenhas alteram a produção e a composição do leite. Erdman e Varner (1995) avaliaram os resultados experimentais sobre alteração na freqüência de ordenhas em animais da raça Holandesa e encontraram os seguintes resultados fixos:

      • a redução no número de ordenhas, de duas para uma, provocou queda na produção de leite de 6,2kg/dia;
      • o aumento nas ordenhas, de duas para três, provocou um aumento de 3,5kg leite/dia, aumentou a quantidade de proteína e gordura produzida e provocou queda na porcentagem de proteína e gordura;
      • o aumento nas ordenhas, de duas para quatro, provocou um aumento de 4,9kg leite/dia, aumentou a quantidade de proteína e de gordura e provocou queda na porcentagem de proteína e gordura.

Estudos conduzidos na província de Quebec, no Canadá, com vacas Holandesas de 8.000kg de leite/lactação em média, mostraram as alterações de produção, em porcentagem, relatando os seguintes números:

  • Quando passou de duas para três ordenhas, a produção de leite aumentou 11,6% e a proteína, 0,4%, entretanto a gordura teve uma diminuição de 1,07%. Esse trabalho nos fornece mais alguns dados interessantes que muitas vezes esquecemos de levar em consideração quando pretendemos alterar a freqüência das ordenhas. Quando se passou de 2 para 3 ordenhas, teve-se um aumento de 10,9% nos gastos com concentrado, 3,75% nos gastos com forragens e 2,5 horas de trabalho diário.

Clarck et al (2006) compararam sistemas de vacas leiteiras a pasto, sendo realizada uma ou duas ordenhas diárias, avaliando a produção de leite, produção de Matéria Seca (MS) e contagem de células somáticas (CCS) de vacas Holstein-friesians e Jerseys. As vacas Hosltein-Friesians ordenhadas uma vez produziram 31,2% a menos de leite e 29,4% menos de MS, quando comparada com as Hosltein-Friesians ordenhadas duas vezes ao dia. As Jerseys ordenhadas uma vez produziram 22,1% a menos de leite e 19,9%  a menos de MS. A produção de leite por hectare foi 17,7% e 9% menores para Hosltein-Friesians e Jerseys, ordenhadas uma vez em relação às ordenhadas duas vezes ao dia, respectivamente. Vacas ordenhadas uma vez possuíram maior CCS durante todo o ano para as duas raças.

Cautela é fundamental

Apesar do aumento de produção, alguns outros pontos são importantes na tomada de decisão da alteração do número de ordenhas. Por exemplo, para vacas em pasto, dependendo da distância do pasto à sala de ordenha, o aumento do número de ordenhas irá elevar o gasto energético desses animais, já que elas terão de ir mais vezes/dia à sala de ordenha. Segundo o Agriculture Research Council (EUA) as vacas gastam 0.03 Mcal de Energia Líquida por kilo de peso vivo para andar 1 km na vertical, isso significa que, em terras com grande declividade o gasto energético com deslocamento pode se elevar consideravelmente, sendo esse um fator que pode não levar esses animais a um aumento de produção esperado.

Quando estamos trabalhando com vacas confinadas, os desgastes dos cascos, já que os animais irão andar mais sobre concreto, um menor tempo disponível para elas ficarem se alimentando e deitadas, pois terão de gastar parte do tempo caminhando até a sala de ordenha, na sala de espera e em ordenha, podem ocorrer. Mas, independente se as vacas são confinadas ou a pasto, o fato é que os bovinos ingerem alimentos durante o dia com picos de consumo no nascer e no pôr do sol, e que quanto mais tempo as vacas passam na sala de ordenha, menos tempo elas têm para se alimentar e descansar, atividades fundamentais para manter níveis elevados de produção.

É preciso também lembrar que um maior número de ordenhas, apesar de benéfico à saúde da glândula mamária, exige mais do animal, sendo necessário um bom manejo nutricional. Logo, o custo da alimentação é também um fator importante a ser considerado. Além dos maiores custos com alimentação, é preciso considerar outros custos envolvidos, tais como a capacidade operacional da sala de ordenha, a necessidade de mão-de-obra extra, maiores gastos com materiais de ordenha, energia elétrica, manutenção de máquinas, forma de pagamento do leite ( se por produção ou percentagem de sólidos) e etc.

Todos esses pontos são de grande importância na decisão de aumentar ou diminuir o número de ordenhas, lembrando sempre que cada fazenda é um caso diferente e devemos ter em mente as vantagens e desvantagens dessas mudanças.O que importa ao final é que as alterações proporcionem um maior retorno financeiro para a empresa rural.

Bibliografia:

Hebert, C. Never 2 without 3? Impact of the increase of milking frequency. 2002, Producteur-de lai-Quebecois. 23 (3): 22-25

Erdman R.A. and Varner M. Fixed yield responses to increased milking frequency. Journal of dairy Science, 78, p.1199-1203. 1995

Clarck D. A. et al.  A systems comparison of once versus twice daily milking of pastured dairy cows. Journal of Dairy Science, 89:1854-1862, 2006

Coelho S. G. Alterações na glândula mamária causadas pelo intervalo e freqüência de ordenhas. Dados não publicados.

4 comentários

  • Excelente artigo. Só não entendi o seguinte:
    o aumento nas ordenhas, de duas para quatro, provocou um aumento de 4,9kg leite/dia, aumentou a quantidade de proteína e de gordura e provocou queda na porcentagem de proteína e gordura.

    aumentou a quantidade de proteína e de gordura e em seguida
    e provocou queda na porcentagem de proteína e gordura.

    • Obrigado pelo comentário Jaques.

      Então, ao produzir mais leite a vaca produz mais gordura e proteína em quantidade total. Porém ao aumentar o volume de leite produzido a quantidade de proteína não aumenta na mesma proporção, sendo assim, o percentual de proteína produzido em relação ao volume de leite diminui.
      Ex: A vaca produz 10 litros de leite e tem 3,4% de proteína. Mas quando ela passa pra 13,5 o percentual de proteína em relação ao volume de leite diminui para 3,3% porém o volume total de proteína aumentou de 34g (10L x 3,4%) para 44,5 (13,5 x 3,3%)

      Conte sempre com o Rehagro.

  • Boa tarde.
    Tenho vacas mestiças,estou com apenas sete vacas no curral produzindo em média 80 litros dia sendo feita duas ordenhas ,no momento não estamos oferecendo trato apenas pasto e ração durante a ordenha,gostaria de saber já que somente a 1 ordenha tem produzido mais leite e a 2 ordenha está muito baixa a produção, se poderia ordenhar apenas uma vez ao dia e se teria queda na produção,já que estas não viriam ao curral duas vezes teriam mais tempo para se alimentar e descansar.