Rehagro Blog

A importância do monitoramento hídrico


Se analisarmos a fisiologia de qualquer animal concluímos que a água é um componente essencial para quase todas as atividades biológicas: transporte de nutrientes para as células, excreção de resíduos corporais, digestão de alimentos, trocas gasosas, manutenção dos parâmetros vitais, termorregulação etc. Além dessa utilização direta pelos animais, a água também é utilizada de forma indireta nos sistemas de produção, seja através da limpeza das instalações, resfriamento, higienização de equipamentos, dentre outros. Independente se o uso pelos animais é direto ou indireto, o monitoramento hídrico é extremamente importante para evitar surpresas desagradáveis como a ocorrência de doenças, queda na produção de leite, redução de índices zootécnicos, contaminação de instalações e equipamentos etc. 

Neste texto vamos discutir alguns aspectos importantes relacionados a questão hídrica na pecuária leiteira, bem como o monitoramento da qualidade da água.

Fonte de captação hídrica

O conhecimento da origem da água utilizada é primordial para a manutenção do status sanitário da propriedade. Fontes de captação hídrica como açudes e cacimbas não são indicadas para o uso direto pelos animais como água de consumo. Tais fontes de captação, em grande parte das vezes, estão expostas ao tempo e ficam com a água estagnada, aumentando assim as chances de contaminação e disseminação de patógenos. O interessante é que a água captada seja de um local onde o volume hídrico não seja estacionário, ou seja, sempre esteja em movimento, mesmo que mínimo. 

Outro ponto importante a ser analisado se refere ao ambiente entorno da fonte de captação hídrica. Sempre devemos analisar se há presença de algum ponto ou foco de contaminação nas imediações, como escoamento de resíduos (esgoto, por exemplo), despejo de animais mortos, mineradoras etc. Todos esses aspectos fazem a diferença na qualidade da água ofertada.

Uso de águas pluviais 

A captação de águas pluviais representa uma boa alternativa em propriedades que realizam esta ação. O recurso hídrico proveniente desta prática pode ser utilizado principalmente, desde que em boas condições, na limpeza das instalações e no resfriamento dos animais. Hoje em dia várias propriedades têm armazenado as águas provenientes de chuvas em represas construídas especificamente para este objetivo. No entanto, vale ressaltar o cuidado que se deve ter para que não haja proliferação de algas no volume hídrico armazenado. Caso isto aconteça os bicos de pulverização do sistema de resfriamento poderão entupir, além de que classes específicas de algas representam agentes com capacidade de ocasionar doenças como a mastite.

monitoramento hídrico

Atentar para intensa proliferação de algas – Foto: Bruno Guimarães, Equipe Rehagro

Sistema de reaproveitamento de águas pluviais em instalação de Compost Barn – Foto: Rafael Ferraz, Equipe Rehagro

Monitoramento hídrico 

A supervisão de toda a água utilizada na propriedade deve ser feita em uma frequência mínima semestral. O recomendado é que amostras sejam coletadas em pontos diversos da rede de distribuição. Por exemplo, coletar amostras da fonte de captação, dos encanamentos, da caixa d’água, dos bebedouros etc. Este procedimento torna-se necessário para que o monitoramento da qualidade da água seja bem estratificado, abordando todos os possíveis pontos de contaminação da propriedade. 

Antes de coletar as amostras deve-se entrar em contato com um laboratório especializado em análises hídricas para que todo o processo de coleta e envio seja repassado e realizado adequadamente. O ideal é que seja solicitado a realização de análises dos parâmetros físicos, químicos e microbiológicos.

monitoramento hídrico

Adaptado de Beede, 2006.

Além do monitoramento em frequência mínima semestral, o tratamento da água na propriedade com produtos específicos torna-se interessante. Vários técnicos e produtores, por exemplo, têm adotado a ação de utilizar pedras de cloro nas caixas d’água visando o controle microbiológico. A quantidade de cloro a ser adicionada na água é variável, devendo ser feita uma análise química previamente. Associado à adição do cloro a água, se deve realizar a limpeza dos bebedouros com o objetivo de evitar a propagação de lodo, visto que uma quantidade excessiva de matéria orgânica pode inativar o produto químico.

Impactos da qualidade hídrica 

Dentre os vários impactos ocasionados na bovinocultura de leite pela qualidade da água, neste texto vamos abordar dois exemplos especificamente, sendo um em gado jovem e o outro em gado adulto. 

Muito se fala sobre a real importância da oferta de água para bezerros na fase de aleitamento. Alguns produtores defendem a corrente de que devido ao fato do colostro e do leite possuírem uma elevada proporção de água em sua composição, não há a necessidade de oferta dessa substância durante o aleitamento, somente após o desmame. Entretanto, diversos estudos científicos comprovaram a importância do consumo da água de qualidade desde os primeiros dias de vida do bezerro. Além de ser um componente essencial na dieta dos bezerros, a água também desempenha um importante papel na termorregulação corporal, na colonização do rúmen e no estímulo para o consumo de alimentos sólidos. Portanto, caso o produtor queira obter bezerros com saúde e bons índices de crescimento e desenvolvimento, ele deve se preocupar em ofertar água de qualidade para os bezerros desde os primeiros dias de vida.monitoramento hídrico

A presença elevada de moscas e matéria orgânica na água reduz o consumo hídrico, alimentar e o desempenho das bezerras – Foto: João Lúcio Diniz, Equipe Rehagro

Já no gado adulto, em várias propriedades podemos observar uma preocupação muito grande na oferta de volumoso e concentrado (e não é para menos) que não é acompanhada na oferta hídrica. Atualmente é mais que sabido que a oferta de uma água de qualidade consiste em um dos fatores limitantes para o consumo da dieta. Logo, caso a água ofertada para o rebanho em lactação, por exemplo, não seja de qualidade ou esteja armazenada em bebedouros de higiene precária, os animais não terão um consumo suficiente de alimento, não atenderão as suas exigências nutricionais e consequentemente terão as suas produções de leite reduzidas. Como já dito no início do texto, além do impacto na produção de leite, a oferta hídrica de baixa qualidade também afetará a saúde, a reprodução e o desempenho do animal como um todo.

A presença elevada de matéria orgânica na água reduz o consumo e o desempenho também do gado adulto – Foto: Bruno Guimarães, Equipe Rehagro

Referências 

Comentar