Rehagro Blog

Manejo da qualidade da água para vacas leiteiras: importância e práticas recomendadas

A água é um recurso vital para os bovinos leiteiros e desempenha um papel essencial em seu bem-estar, saúde e produtividade. A composição corporal de água de uma vaca de leite é de 55 a 65%, sendo um constituinte extremamente importante para realizações das atividades fisiológicas, como mantença, produção e reprodução. 

Nesse artigo discutiremos sobre a importância de fornecer água de qualidade para os bovinos leiteiros, evidenciando suas principais funções no organismo do animal, os benefícios da instalação de bebedouros na saída da ordenha, a relevância que existe em fornecer água de qualidade e quais as recomendações de monitoramento.  

 

Sem tempo para ler agora? Baixe este artigo em PDF!


Função da água no organismo dos bovinos

A principal função da água no organismo é a manutenção da homeotermia corporal e nutrição de todas as células dos tecidos, além da reposição de todas as formas de perdas de água pelo animal, como urina, fezes, leite, saliva, respiração e transpiração.

Sendo assim, em caso de perda de 50% da massa corporal proteica e 100% de perda da massa de gordura os animais ainda conseguem sobreviver, porém, ao perderem de 10% a 12% de água existem grandes chances de virem a óbito. 

Então, a ingestão de água é algo mais que crucial para os bovinos leiteiros: 

  • Hidratação: A água é essencial para manter a hidratação dos bovinos. A desidratação pode levar a uma série de problemas de saúde, incluindo problemas digestivos, redução de consumo de alimentos, afetando negativamente a saúde dos animais. 
  • Produção de leite: A ingestão adequada de água é fundamental para a uma produção de leite eficiente. Vacas leiteiras possuem uma demanda significativa de água devido à produção de leite, onde a falta de água pode levar a uma diminuição na produção de leite. 
  • Regulação térmica: Em períodos ou locais de clima quente a água desempenha um papel muito importante na regulação térmica dos animais
  • Digestão e absorção de nutrientes: A água é essencial para o processo de digestão dos alimentos ingeridos pelos bovinos leiteiros. Ela auxilia na quebra dos alimentos e absorção de nutrientes no trato digestivo. 
  • Saúde: A disponibilidade de água limpa e fresca tem relação direta com a saúde do rebanho, auxiliando na prevenção de problemas de saúde como diarreia e outras doenças transmitidas pela água, o que contribui garantindo a saúde e o bem-estar dos animais

Banner Pós-graduação em Pecuária Leiteira

Quantidade necessária de água

A quantidade e qualidade da água ingerida pela vaca de leite interfere diretamente no consumo de matéria seca (MS) e nível de produção.

O consumo de água pela vaca de leite pode variar entre 80 a até 190 litros por dia, de acordo com a raça, peso vivo, estado fisiológico, potencial produtivo, consumo de MS, clima da região em que o animal se encontra, ingestão de sal e proteína na dieta, disponibilidade e dimensionamento de bebedouros, o sistema que o animal está inserido (confinado, semiconfinado e pasto) e o principal a qualidade da água fornecida. 

Geralmente, o pico de ingestão de MS acompanha o pico de ingestão de água pela vaca e, momentos após a ordenha, também ocorrem picos de ingestão de água, podendo ser de 40% a 50% da quantidade total ingerida durante o dia.

Além disso, estudos mostram que vacas que produzem mais de 25 litros/dia ingerem 62% a mais de água do que animais de baixa produção. Outro fator que influencia o consumo é a temperatura ambiente, meses mais quentes do ano propiciam uma a maior ingestão de água por causa do estresse térmico

Webinar Conforto térmico

Benefícios do bebedouro próximo à ordenha

De forma estratégica, a instalação de bebedouros logo na saída da ordenha pode ser considerada uma prática que visa proporcionar benefícios significativos para o rebanho. Dentre as várias razões para a instalação de bebedouros nesse local, podemos citar: 

  • Hidratação imediata: Após a ordenha, devido à perda de grande quantidade de água para a produção de leite, ocorre o aumento do consumo de água pelas vacas. Ao ter bebedouros logo na saída da ordenha, possibilita a hidratação imediata. 
  • Incentivo do consumo de água: ter bebedouros próximos à área de ordenha incentiva o consumo de água pelas vacas. Elas tendem a beber mais água quando tem acesso fácil. 
  • Recuperação de energia e nutrientes: logo após a ordenha as vacas necessitam de nutrientes para restaurar a energia gasta durante o processo. Ao disponibilizar água imediatamente após a ordenha, as vacas têm oportunidade de restabelecer seus níveis de hidratação e absorver nutrientes essenciais. 
  • Facilidade de manejo: ter bebedouros na saída da ordenha facilita o manejo do rebanho. Dessa forma, os animais não precisam percorrer longas distâncias para acessar a água. 
  • Qualidade do leite: Ofertar água fresca e limpa imediatamente após a ordena pode contribuir para uma boa qualidade do leite. Vacas hidratadas têm menor probabilidade sofrer estresse, afetando negativamente a qualidade do leite. 
  • Bem-estar animal: proporcionar fácil acesso à água contribui para o bem-estar das vacas leiteiras, pois vacas saudáveis são mais propensas a serem mais produtivas. 

É importante que os bebedouros sejam projetados e mantidos de forma adequada para garantir o fornecimento de água limpa e fresca de forma constante.

Entretanto, mesmo sabendo dos benefícios que a instalação dos mesmos na saída da ordenha, é indispensável que haja bebedouros instalados nos locais onde as vacas estarão após a ordenha, sendo nos piquetes ou dentro dos barracões de confinamento.

Bebedouros instalados no corredor de saída da ordenha. Fonte: Acervo Rehagro

A vaca necessita, de acordo com o seu peso vivo, mais água do que outras espécies, proporcionalmente. Visto que, o leite possui aproximadamente 87% de água em sua composição, o que mostra que o animal em período de lactação demanda de grandes quantidades de água para suprir suas necessidades fisiológicas e ainda conseguir produzir com o seu máximo potencial, sendo necessário a ingestão de 6 litros de água para cada litro de leite produzido. Por exemplo, uma vaca com produção média diária de 30 litros de leite necessitará ingerir 180 litros de água durando o dia. 

Estudos mostram que uma menor presença de matéria orgânica na água fornecida proporciona uma maior aceitação e, consequentemente, uma maior ingestão pelos animais.

Além disso, foi provado que a ingestão de água de qualidade por novilhas aumenta o ganho de peso corporal em até 23% em relação a novilhas que tem acesso à água com níveis mais altos de matéria orgânica.

Bebedouro com água extremamente suja, o que não contribui para o consumo adequado de água pelos animais. Fonte: Acervo Rehagro

Qualidade da água para bovinos

Em relação à qualidade da água, é importante atentar as fontes de abastecimento de água, as quais devem ser protegidas de poluentes e outros riscos.

Deter de um programa de controle de qualidade da água é fundamental para monitorar e manter a água em condições adequada para o consumo dos animais.

Dentre os principais passos que compõem um programa de controle de qualidade de água para os bovinos leiteiros podemos citar: 

  • Análise da água: para que se conheça a qualidade da água deve-se coletar água de diferentes pontos de fornecimento, como poços artesianos, fontes, reservatórios ou canais de irrigação e enviar para laboratórios especializados. A análise deve incluir verificação de parâmetros como pH, turbidez, sólidos dissolvidos, níveis de minerais e presença de contaminantes como os coliformes fecais e bactérias patogênicas. 
  • Monitoramento regular: após o resultado da análise da água e de ser estabelecidos os padrões seguindo diretrizes nacionais ou regionais para qualidade da água destinadas ao consumo animal, é importante realizar análises com intervalos regulares para que se tenha garantia de que a água permaneça nos limites aceitáveis. 
  • Manutenção do sistema de abastecimento de água: um bom programa de controle de qualidade da água inclui a manutenção adequada do sistema de abastecimento, onde os bebedouros, canos e reservatórios devem ser limpos regularmente para que seja evitado o acúmulo de sedimentos e a contaminação da água. 

Como aumentar a ingestão de água pelos bovinos?

Sendo assim, existem algumas recomendações para aumentar a ingestão de água pelas vacas de leite: 

  • Fornecimento de uma água limpa, cristalina e isenta de compostos tóxicos;
  • Temperatura entre 25°C e 30°C, visto que temperaturas abaixo de 15°C é observado uma diminuição do consumo;
  • Distribuição correta e dimensionamento ideal dos bebedouros tanto na saída da ordenha quanto nos piquetes ou barracões de confinamento com tamanho para que 15% do lote consiga ter acesso à água simultaneamente. Para isso é determinado que o espaçamento seja de 0,12 metros lineares por animal;
  • Limpeza dos bebedouros é ideal para evitar o acúmulo de sujeira e possíveis contaminantes. Para isso é importante que ela seja feita de forma periódica, podendo ser a cada dois dias ou semanalmente. 

Em resumo, ofertar água de qualidade aos bovinos leiteiros é essencial para manter os animais saudáveis, hidratados e produtivos. A água limpa e dentro dos padrões recomendados é vital para garantir uma produção de leite de alta qualidade, além de assegurar o bem-estar e saúde do rebanho.

Quer dominar todas as principais áreas de uma propriedade leiteira?

Caso você tenha interesse em aprofundar seu conhecimento sobre nutrição, reprodução, criação de bezerras, controle da mastite e qualidade do leite, gestão financeira, sanidade e mais, venha conhecer a Pós-Graduação em Pecuária Leiteira.

Em formato 100% online, a especialização conta com aulas gravadas e videoconferências ao vivo para tirar todas as suas dúvidas. Além disso, você tem a oportunidade de fazer um networking de alta qualidade com profissionais de todo o Brasil.

O conteúdo tem foco prático e aplicável, sendo dado por professores que têm ampla experiência na pecuária leiteira.

Ficou interessado? Venha saber mais informações clicando no link abaixo.

Pós-Graduação em Pecuária Leiteira

Laryssa Mendonça

Gabriella de Faria - Equipe Leite Rehagro

Comentar