Rehagro Blog

Cultivares de café: qual escolher?

A escolha da cultivar é fase muito importante na implantação de lavouras, isso porque por ser uma cultura perene, o cafeeiro permanecerá por muitos anos no campo, dessa forma, essa escolha deve ser feita de forma criteriosa. Para escolha das cultivares de café, deve-se analisar a porcentagem das cultivares presentes na fazenda, quanto a maturação, aspecto esse importante de ser analisado devido a prática de colheita nas propriedades, pois em áreas com predominância de uma cultivar com o mesmo tipo de maturação pode haver afogamento no período da colheita, sendo interessante escalonar cultivares com diferentes períodos de maturação na propriedade, com maturação precoce, média e tardia.

cultivares de café

Figura 1. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

Também, deve-se olhar a resistência das cultivares às doenças, a possibilidade de mecanização, visto que, porte alto em lavoura manual não é tão recomendado, além disso a resistência à colheita mecanizada, força de desprendimento do fruto e a adaptação daquela cultivar naquela região.

Por fim, a melhor cultivar é aquela que atende o objetivo no qual foi escolhida para ser plantada na fazenda, de acordo com o perfil do produtor, os tratos culturais, estrutura de pós-colheita e as condições edafoclimáticas. 

Mundo Novo

Mundo Novo é uma cultivar muito plantada, proveniente de um provável cruzamento entre Sumatra e Bourbon Vermelho, as linhagens mais plantadas dessa cultivar são: 376-4 e 379-19. De porte alto, maturação de média a precoce, essa cultivar apresenta ótimo vigor e longevidade, bom sistema radicular e alta brotação secundária, respondendo bem as podas. 

cultivares de café

Figura 2. Cultivar Mundo Novo. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

cultivares de café

Figura 3. Cultivar Mundo Novo 379-19. (Foto: Daniel Veiga).

Catuaí

Proveniente entre um cruzamento artificial entre Caturra e Mundo Novo, as linhagens mais plantadas de Catuaí são o 144 e 99 com frutos vermelhos e as linhagens 62 e 32 com frutos de coloração amarela. Essa cultivar apresenta porte baixo, o que resulta em facilidade na colheita e nos tratos fitossanitários, bom vigor vegetativo, bom sistema radicular, alta longevidade e sua maturação é tardia. Essa cultivar exibe maior tolerância à ferrugem se comparadas à cultivar Mundo Novo. Atualmente essa cultivar é muito plantada.

cultivares de café

Figura 4. Cultivar Catuaí 62. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

cultivares de café

Figura 5. Cultivar Catuaí 144. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

Acaiá

É uma seleção do Mundo Novo, possui os frutos maiores, com bom desenvolvimento vegetativo mesmo em solos menos férteis, a linhagem mais indicada é Acaiá Cerrado MG 1474. Essa cultivar é de porte alto, maturação média, com frutos graúdos de coloração vermelha, além disso essa cultivar é muito boa para colheita mecanizada.

Catucaí

Proveniente de um possível cruzamento natural entre Catuaí e Icatú, essa cultivar apresenta bom vigor. Seu porte é de médio a baixo e pode apresentar frutos vermelhos ou amarelos.

O Catucaí 2 SL é bem plantado, sendo altamente produtivo, no entanto, é muito exigente em nutrição, não tolera atrasos nos tratamentos nutricionais e também sanitários, dessa forma, pode depauperar facilmente.

Figura 6. Cultivar Catucaí 2SL, 1ª safra. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

Figura 7. Cultivar Catucaí. (Foto: Diego Baquião).

Figura 8. Cultivar Catucaí. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

Topázio

Cruzamento por sucessivas gerações de Catuaí x Mundo Novo, a cultivar Topázio possui porte baixo, com boa produtividade e bom vigor vegetativo, não exibindo depauperamento precoce após elevadas produtividades. Tem-se notado melhor resistência a condições de déficit hídrico e uniformidade de maturação dos frutos. Essa cultivar possui frutos amarelos, sendo os mais plantados Topázio MG 1189 e 1184.

Bourbon

De porte médio a alto, essa cultivar possui frutos vermelhos ou amarelo, com excelente qualidade de bebida, dessa forma, ela é sempre lembrada e preferida por quem busca cafés de qualidade, no entanto, ela não é uma cultivar muito rústica, se depauperando muito fácil dependendo do manejo e além disso, é altamente suscetível a ferrugem, por isso deve-se ter atenção em seus tratos culturais. Sua maturação é super precoce, fato importante para o escalonamento da colheita nas propriedades.

Figura 9. Bourbon amarelo. (Foto: Rehagro).

Obatã

Essa cultivar é derivada do cruzamento da cultivar Villa Sarchi com o Híbrido de Timor, apresentando porte baixo, seus frutos são graúdos e podem ser de cor vermelha ou amarela, com maturação mais tardia.

Outras cultivares que podem ser plantadas: 

Acauã

Essa cultivar é resultado do cruzamento entre Mundo Novo e Sarchimor, apresentando elevado vigor, sua planta apresenta porte baixo, frutos vermelhos e seu ciclo de maturação é de médio a tardio. Ela também apresenta resistência a seca e elevada produtividade.

Figura 10. Cultivar Acauã novo. (Foto: Vinicius Teixeira).

Figura 11. Cultivar Acauã novo. (Foto: Vinicius Teixeira).

Sabiá

Originada de um cruzamento entre Catimor e Acaiá, essa cultivar apresenta elevada produtividade, principalmente durante as três primeiras produções, mas devido a isso, é bem exigente em nutrição. Sua maturação é tardia com frutos vermelhos.

Paraíso

Proveniente de uma hibridação entre Catuaí amarelo e híbrido de Timor a cultivar Paraíso apresenta porte baixo, frutos de coloração amarelo e é resistente a ferrugem, causada pelo fungo Hemileia vastatrix. Essa cultivar apresenta boa capacidade produtiva e maturação intermediária.

Arara

Originado por cruzamento natural entre Obatã e provavelmente com Icatu ou Catuaí amarelo, essa cultivar possui bom vigor, resistência a ferrugem e porte baixo. Seus frutos são amarelos e sua maturação é tardia.

Figura 12. 1ª safra de Arara. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

Catiguá

Proveniente de um cruzamento artificial entre cafeeiro da cultivar Catuaí Amarelo e uma planta Híbrido de Timor, essa cultivar apresenta porte baixo, alto vigor vegetativo e maturação intermediária. Ela também possui resistência a ferrugem e ao nematoide das galhas da espécie Meloidogyne exígua.

 

Comentar