Rehagro Blog

Preparo do solo na implantação de lavouras de café

Você decidiu que é hora de ganhar dinheiro na Cafeicultura, fez a escolha do cultivar a ser plantado, produziu mudas de qualidade e chegou o tão esperado momento – a implantação!

Nesse momento, é crucial realizar o preparo adequado do solo, para proporcionar boas condições para o crescimento das raízes das plantas, promovendo maior volume de solo explorado para absorção de água e nutrientes. 

Para isso, contamos com as operações de: 

  • Aragem;
  • Gradagem;
  • Subsolagem.

Conheça um pouco mais sobre elas!

Aração

A principal função dos arados é propiciar ao solo melhores condições de aeração, infiltração e armazenamento de água. A aração do solo faz a inversão de suas camadas, normalmente realizada na profundidade de 20 cm. Em áreas que é necessário a correção do solo com calcário, é feito uma aração em área total entre as aplicações, utilizada para incorporação de corretivos ou material orgânico com o solo.

Subsolagem

Quando se possui uma compactação em camadas abaixo de 20 cm, é recomendado a utilização do subsolador, que rompe camadas compactadas presentes principalmente nas camadas inferiores. Trata-se de um implemento robusto que demanda grande força de tração. 

Preparo do solo

Subsolador (Foto: Luiz Paulo Vilela)

Gradagem

Após a aração ou subsolagem, ocorre a formação de torrão no solo. Para o destorroamento e nivelamento, é utilizada a gradagem, na qual o perfil de solo revolvido é superficial, cerca de 10 a 15 cm. O cuidado a ser tomado nessa operação é de não entrar na área com solo úmido, para evitar o “pé de grade”, que é uma camada com 5 cm ou mais de espessura endurecida ou compactada com baixa capacidade de infiltração de água no solo, causando erosão laminar.

Preparo do solo

Grade (Foto: Flávio Moraes).

Recomendação na implantação

Alguns técnicos optam pela sequência: subsolador, grade, niveladora e sulcador. O subsolador é usado para a descompactação de camadas inferiores. Quando possível, sua realização em camadas mais profundas pode trazer grandes benefícios, uma vez que o sistema radicular do cafeeiro pode atingir grandes profundidades.

Época de realização

É importante destacar que deve-se ter o cuidado na época de realização dessas práticas, uma vez que, dependendo das condições de chuva, elas podem facilitar a ocorrência de erosões hídricas.

Sulco de plantio

Após a descompactação do solo e incorporação de corretivos e/ou material orgânico na área, é momento de realizar a abertura do sulco de plantio. Essa operação é feita com o sulcador, e é nesse momento que podemos adicionar calcário complementar, material orgânico e fertilizantes que vão ficar próximos às raízes da lavoura.

A orientação dos sulcos, após a decisão de espaçamento entre linhas, deve ser bem planejada, de forma que futuramente no manejo da lavoura se tenha o menor número de manobras possíveis de maquinários, desde adubação, tratamentos fitossanitários até a colheita, e, de preferência, em nível para evitar com que ocorra carreamento do solo do colo da planta após o plantio. Esta prática deve ser alinhada de maneira que as linhas fiquem paralelas com a mesma distância. Para isso ser feito, devemos utilizar ferramentas, como a barra na frente do trator (podendo ser feita com bambu), que demonstra a distância entre as linhas ou podem ser utilizadas ferramentas como o GPS.

Atenção! 

Use bem essa oportunidade de realizar o preparo adequado do solo antes do seu plantio. Ele é a base para proporcionar melhores condições para o desenvolvimento radicular do cafeeiro, o que faz toda a diferença para a produtividade da lavoura!

E, depois da implantação, é importante ficar de olho na situação deste solo! Aprenda a fazer uma amostragem de solo adequada para a realização de sua análise. Os resultados permitirão a elaboração de estratégias de adubação racional.

Sucesso na produção!

 

Comentar