Rehagro Blog

Fosfatagem no cafeeiro

O fósforo é componente da molécula de ATP (Adenosina Trifosfato). Ele atua no armazenamento e transferência de energia para as reações bioquímicas e tem um importante papel na fotossíntese e respiração de plantas. Além disso, o fósforo é componente dos Fosfolipídeos. Neste artigo, falaremos sobre a fosfatagem no cafeeiro.  

Absorção de fósforo (P)

A absorção de P é feita por difusão, que é caracterizada pelo movimento de íons em direção a raiz, em virtude do gradiente de concentração gerado na superfície radicular. O fósforo pode ser absorvido pelas formas:  HPO42- e H2PO4 sendo esta última mais absorvida.

fosfatagem no cafeeiro

Devido aos solos brasileiros serem altamente intemperizados (argila 1:1) e com elevados teores de óxidos de ferro e alumínio, ocorre elevada fixação do fósforo no solo, dessa forma, o solo tem papel de dreno de fósforo, não deixando esse nutriente disponível para absorção pelas plantas.

Deficiência de fósforo

Os sintomas de deficiência de fósforo aparecem inicialmente em folhas velhas, devido a mobilidade desse nutriente.

É caracterizado por folhas verdes e sem brilho, podem amarelecer e apresentar grandes manchas pardas ou violáceas na ponta e no meio.

fosfatagem no cafeeiro

A deficiência de fósforo resulta em diminuição na produção de ATP e NADPH, menor carboxilação e regeneração da RuBP, comprometendo assim a atividade fotossintética das plantas.

Recomendação de P

Para recomendação de adubação com fósforo em lavouras de café:

  • Quando utilizado o extrator Mehlich 1 os técnicos trabalham com um intervalo entre o mínimo de fósforo no solo sendo 15 mg/dm3 e um ideal de 25 mg/dm3
  • Já se utilizado o extrator Resina tem-se trabalhado com teores acima de 30 ou 40 mg/dm³ no solo. 

Para elevar o nível de fósforo no solo, calcula-se com base na tabela de Souza et al. (2007). Variando a quantidade de P2O5 com base no teor de argila e no extrator utilizado.

Tabela 1. Valores do fator CT (capacidade tampão de fósforo) para estimar a dose do adubo fosfatado, em função do teor de argila no solo, para os métodos de Mehlich 1 e resina. 

fosfatagem no cafeeiro

Adaptado de Souza et al., 2007.

Interpretação da tabela 

Dessa forma, se um solo possui 40% de argila, e for utilizado o extrator Mehlich 1 é necessário utilizar 30 kg P2O5/ha para elevar 1 mg/dm3 de fósforo.

Já se o extrator for resina, e o solo possuir o mesmo teor de argila de 40%, é necessário utilizar 14 kg P2O5/ha para elevar 1 mg/dm3 de fósforo.

Exemplo 1 de cálculo de recomendação de fósforo, com extrator Mehlich 1:

  •  Teor de P no solo: 18 mg/dm3 (extrator Mehlich 1)
  •  Teor de argila: 40%

** Quero atingir 25 mg/dm3 no solo e tenho 18 mg/ dm3:

25 mg/dm3 (quero atingir) – 18 mg/ dm3 (tenho no solo) = 7 mg/ dm3 (preciso aumentar 7 mg/ dm3 ). 

 

De acordo com a tabela utilizando o extrator Mehlich 1 é necessário utilizar 30 kg P2O5/ha para elevar 1 mg/dm3 de fósforo, então:

Elevar 1 mg/dm3 ______ 30 kg P2O5/ha 

Elevar 7 mg/ dm3 ______    X

X= 210 kg P2O5/ha

** Dessa forma, é necessário 210 kg de P2O5/ha 

Se a fonte utilizada for o Superfosfato simples, que contém 18% de P2O5 :

100 kg de SS _____ 18 kg de P2O5

            X           _____ 210 kg de P2O5

            X = 1.166,6 kg de superfosfato simples

           X= 1,16 toneladas

Exemplo 2 de cálculo de recomendação de fósforo, com extrator resina:

  •  Teor de P no solo: 29 mg/dm3 (extrator resina)
  •  Teor de argila: 40%

** Quero atingir 40 mg/dm3 no solo e tenho 29 mg/ dm3:

40 mg/dm3 (quero atingir) – 29 mg/ dm3 (tenho no solo) = 11 mg/ dm3 (preciso aumentar 11 mg/ dm3 ). 

De acordo com a tabela utilizando o extrator Resina é necessário utilizar 14 kg P2O5/ha para elevar 1 mg/dm3 de fósforo, então:

Elevar 1 mg/dm3 ______ 14 kg P2O5/ha 

Elevar 11 mg/ dm3 ______    X

X= 154 kg P2O5/ha

** Dessa forma, é necessário 154 kg de P2O5/ha 

Se a fonte utilizada for o MAP, que contém 48% de P2O5 :

100 kg de MAP _____ 48 kg de P2O5

           X           _____ 154 kg de P2O5

           X= 320,8 kg de MAP

          X =0,32 toneladas

Fontes de fósforo

Tabela 2. Fontes de fertilizantes fosfatados que podem ser utilizados:

fosfatagem no cafeeiro

Fatores que afetam a disponibilidade de fósforo:

  • Quantidade de argila
  • Teor de matéria orgânica
  • pH
  • Teor de cálcio
  • Ferro trivalente e alumínio

Estudos sugerem a relação da matéria orgânica com a diminuição da adsorção de fósforo no solo, devido a liberação de ácidos que competem com os sítios de adsorção de P (Haynes, 1984). 

Uma vez que, os ácidos possuem cargas negativas, que competem com os fosfatos, aumentando assim a disponibilidade de P para as plantas.

Extratores

  • Mehlich 1

A diferença entre os extratores Mehlich 1 e Resina é que o método de Mehlich 1 (ácido clorídrico + ácido sulfúrico) utiliza um extrator fortemente ácido, dessa forma, esse método pode extrair o fósforo ligado ao cálcio, que não está disponível para as plantas. Por isso, solos adubados com fosfatos de baixa solubilidade, como fosfatos naturais, e com a utilização desses extratores ácidos pode extrair quantidades de fósforo superiores àquelas consideradas disponíveis. Além disso, em solos argilosos, esse mesmo extrator, pode subestimar os valores de P disponíveis, apresentando valores menores devido ao fato de os extratores serem mais desgastados nesses solos, quando comparados aos solos arenosos (Novais & Kamprath, 1979; Muniz at el., 1987).

  • Resina

Já o extrator Resina fundamenta-se na premissa de simular o comportamento do sistema radicular das plantas na absorção de fósforo do solo (Raij, 1978). Esse processo gera a adsorção de P na solução nas cargas positivas da resina e, como consequência, há a remoção do P adsorvido na superfície das partículas do solo. Dessa forma, a resina não superestima a disponibilidade de P em solos tratados com fosfatos naturais, como ocorre com os extratores ácidos.

Estudo com extratores Mehlich 1 x Resina

Este trabalho mostra a eficiência do extrator resina.

Tabela 3. Comparação de métodos 70 trabalhos (Silva e Raij, 1999)

Fonte: RAIJ

Este trabalho mostra o comportamento dos extratores em 4 experimentos de calagem, sendo observado o extrator resina mais sensível que o extrator mehlich 1, que não apresentou diferenças estatísticas.

Tabela 4. P no solo em experimento de calagem – com soja – Ribeirão Preto SP.

Fonte: RAIJ

Época de aplicação

A aplicação do adubo fosfatado é realizada normalmente nos meses de outubro e novembro. No entanto, quando necessária a prática da calagem nos solos, deve-se ficar atento com a aplicação desse fertilizante. 

Por isso, quando possível é recomendada antecipadamente a aplicação de calcário nos meses de abril/maio, para que no inicio da safra, setembro e outubro, possa ser aplicado sem problemas.

Fósforo no plantio

Deve-se aproveitar o período de plantio para aplicação do fósforo no sulco, isso porque esse nutriente apresenta grande interação com o solo, dessa forma, nessa fase é importante sua colocação próxima as raízes do cafeeiro, pois por ser uma cultura perene, dificilmente terá outra oportunidade de coloca-lo neste local.

Para essa aplicação, é importante ter o cuidado somente com a aplicação do adubo fosfatado com o calcário, devido a sua complexação acarretar em indisponibilidade as plantas.

 

webinar-leite

Comentar