Rehagro Blog

Sistema de recria na pecuária de corte: quais as suas características?

O sistema de recria na pecuária desempenha um papel importante no ciclo de produção, servindo como uma fase intermediária entre a cria e a engorda. Durante esse estágio, os animais são criados para ganhar peso e carcaça, desenvolver musculatura e ossatura, preparando-os para a fase final antes do abate.

Este texto explora os diferentes aspectos da recria, desde sua definição até os cuidados necessários para sua implementação, abordando também os diferentes tipos de sistemas de recria e os benefícios associados a trabalhar com esse sistema.

A fase de recria representa, entre as três fases do sistemas, a fase com maior oportunidade de evolução, reduzir o tempo de recria e melhorar sua eficiência é um passo importante para se avançar na pecuária.

Propriedades mais intensivas vêm trabalhando com recrias em ciclos mais curtos, de 1 ano, por exemplo, aumentando o giro do negócio e possibilitando alternativas que geram melhorias da rentabilidade e na lucratividade do negócio. Por esse motivo, entender a fase de recria e seus sistemas é de grande importância.

 

Sem tempo para ler agora? Baixe este artigo em PDF!


O que é um sistema de recria?

Um sistema de recria é caracterizado por ser a fase intermediária entre a cria (do nascimento ao desmame) e a engorda (terminação). Nesse estágio, os animais são criados para ganhar peso e desenvolver musculatura antes de serem enviados para a engorda e, eventualmente, abate.

Alguns aspectos que caracterizam esse sistema de criação, são que geralmente os animais, têm entre 6 meses até 2 anos de idade, e pesam entre 6/7@ até 13/14@. Durante a fase de recria, é importante monitorar o desempenho dos animais, incluindo ganho de peso, condição corporal e a saúde geral dos animais. Isso permite ajustes nas práticas de manejo, alimentação e saúde conforme necessário para maximizar a eficiência e a produtividade do sistema.

Banner Curso Gestão na Pecuária de Corte

Cuidados para implementação da recria

Para implementar um sistema de recria em uma fazenda, é necessário considerar alguns aspectos e recursos importantes, como a área de pastagem e as instalações adequadas.

É fundamental ter áreas de pastagem suficientes e de boa qualidade para permitir o pastejo dos animais durante toda a fase. Caso as instalações de pastagem não sejam suficientes, também é possível implementar sistemas de confinamento ou sistemas conhecidos como “sequestro” ou “resgate”, dependendo das condições da fazenda e dos recursos disponíveis.

Outro cuidado importante com essa fase é a infraestrutura, as instalações adequadas para manejo dos animais, incluindo currais, cercas e bebedouros, são essenciais para garantir o manejo eficiente. A infraestrutura deve permitir o fácil acesso dos animais à água e comida, bem como facilitar procedimentos como vacinação, vermifugação e pesagem.

A mão de obra necessária para um sistema de recria geralmente não requer o mesmo nível de qualificação que a cria e a engorda. Visto que as atividades envolvidas na recria tendem a ser mais rotineiras e menos complexas em comparação com outras fases da produção, como a criação de bezerros recém-nascidos ou a engorda intensiva.

No entanto, mesmo que a recria exija uma menor quantidade de colaboradores por unidade animal, ainda é importante contar com uma equipe de mão de obra dedicada, qualificada, responsável e bem treinada para garantir o bem-estar dos animais, a eficiência operacional e o sucesso geral do sistema de produção.

A supervisão adequada e o treinamento contínuo podem ajudar a garantir que a equipe esteja equipada para lidar com desafios que possam surgir durante a essa fase.

O que é uma recria extensiva ?

Na recria extensiva, os animais são criados em pastagens, sem o uso intensivo de suplementos alimentares ou confinamento. Este sistema requer menos intervenção humana em comparação com sistemas intensivos.

Os animais são deixados para pastar livremente e se alimentar da vegetação disponível na área. Em algumas situações, o manejo de pastejo rotativo pode ser implementado, movendo os animais entre diferentes áreas de pastagem para permitir a recuperação das plantas e maximizar o uso dos recursos disponíveis já visando um processo de intensificação da recria.

A recria extensiva geralmente aproveita os recursos naturais disponíveis, como água de rios, lagos ou poços. Apresenta um ciclo de produção mais longo, devido ao menor ganho de peso diário associado à alimentação baseada principalmente em pastagens, o ciclo de produção na recria extensiva é mais longo em comparação com sistemas intensivos.

Ciclos de produção mais longos, tendem há uma produção de arroba mais cara, por mais que não haja desprendimento de grandes recursos financeiros com aquisição principalmente de suplementação para os animais, o longo período que os animais ficam na propriedade acarreta em aumento do custo operacional para cada cabeça presente na fazenda. O acúmulo dos custos indiretos depositados “na conta” de cada animal, eleva o custo de produção por unidade produzida, arroba.

E-book Práticas de manejo para sistema rotacionado

O que é uma recria intensiva ?

Uma recria intensiva na pecuária de corte é um sistema em que os animais são criados em ambientes semi-confinados, confinados, em pastagens que recebem uma gestão mais intensiva ou em pastagens adubadas, com o objetivo de maximizar o ganho de peso e o desenvolvimento muscular e ósseo durante a fase.

Os animais na recria intensiva recebem uma suplementação nutricional concentrada, que pode incluir grãos, farelos, silagem, feno de alta qualidade e outros alimentos ricos em energia e nutrientes. Essa alimentação é formulada para promover um rápido ganho de peso e desenvolvimento muscular.

A dieta dos animais na recria intensiva é formulada para atender às suas necessidades nutricionais do estágio de desenvolvimento que o animal se encontra, e deve ser fornecida em quantidade e qualidade alinhadas ao desempenho esperado para cada lote de animais. Como há uma necessidade de aumento principalmente de massa muscular nessa fase da vida dos animais, a atenção com os níveis de proteína da dieta é fundamental.

Ocorre um monitoramento mais de perto quanto ao ganho de peso e condição corporal. Há um rápido ganho de peso e desenvolvimento muscular, devido à dieta concentrada e ao manejo intensivo, os animais na recria intensiva tendem a apresentar um rápido ganho de peso e desenvolvimento muscular, preparando-os para a fase de engorda e abate em um período mais curto de tempo.

O processo de intensificação da recria deve ocorrer entretanto, não somente avaliando o desempenho por indivíduo, mas também recursos e manejos devem ser realizados para que haja um aumento da produção por área, para isso, é importante que a propriedade aumente a taxa de lotação da fazenda, trabalhar com mais animais em uma mesma área, garantindo os ganhos individuais, resulta em um aumento da produção de arroba por hectare, permitindo melhores resultados para o negócio.

A recria apresenta relativa facilidade no processo de aumento da taxa de lotação, principalmente pela possibilidade de trabalhar com os animais no período de estiagem em sistemas confinados, reduzindo a carga animais do pasto no momento estratégico do ano, permite a maximização da utilização das pastagens no período chuvoso.
Animais em recria respondem de forma positiva a estímulos nutricionais, desempenham bem quando bem manejados e recebendo a dieta adequada.

Quais os benefícios de trabalhar com o sistema de recria?

A recria pode contribuir para a redução dos gastos, especialmente quando comparada à fase de engorda. Isso ocorre devido ao uso de pastagens naturais ou áreas extensivas, que demandam menos investimentos para a dieta e a infraestrutura especializada.

A implementação de um sistema de recria na pecuária de corte pode trazer benefícios significativos em termos de redução de custos de produção, otimização do ciclo pecuário, eficiência operacional e vantagem competitiva no mercado.

Ao integrar a recria de forma eficaz ao sistema de produção, os produtores podem melhorar a rentabilidade de suas operações.

Considerações finais

O sistema de recria na pecuária de corte oferece uma série de benefícios importantes, incluindo a redução dos custos de produção, a otimização do ciclo pecuário e a eficiência operacional.

Ao implementar e integrar a recria de forma eficaz ao sistema de produção, os produtores podem melhorar a rentabilidade de suas operações, garantindo ao mesmo tempo uma produção eficiente e de alta qualidade.

Assim, o sistema de recria se destaca como uma etapa fundamental no processo de produção pecuária, apresentando ainda grande capacidade de melhoria.

Melhore os seus resultados na pecuária de corte!

Conheça o Curso Gestão na Pecuária de Corte do Rehagro. 

Eleve sua margem de lucro e otimize indicadores cruciais, como taxa de desfrute, arrobas por hectare/ano, taxa de lotação, GMD, entre outros. 

Adquira conhecimento em técnicas validadas ao longo de duas décadas de consultoria nas principais fazendas do Brasil, com resultados práticos comprovados.

Clique e saiba mais!

Curso Gestão na Pecuária de Corte

Comentar