Rehagro Blog

Impacto da idade ao primeiro parto na produtividade de fêmeas leiteiras

Associada diretamente à produtividade, longevidade e retorno econômico, a Idade ao Primeiro Parto (IPP) é um dos fatores que influenciam na eficiência reprodutiva.

Hoje, no sistema de produção, deter de vacas mais produtivas é fundamental e o manejo e nutrição das bezerras, em conjunto com a melhoria constante na genética para fertilidade, saúde e produção, resultaram em fêmeas que crescem e amadurecem mais rapidamente. 

Nesse texto iremos tratar do comportamento da idade ao primeiro parto de fêmeas leiteiras no decorrer dos anos e os benefícios que reduzir esse indicador pode trazer. Além disso, vamos tratar da relação direta que o ganho de peso tem com a maturidade sexual e idade ao primeiro parto e também o seu impacto na produção de leite. 

Qual tem sido o comportamento da idade ao primeiro parto nos últimos anos?

Os números vêm demonstrando que de 2010 até 2017 ocorreu uma redução de cerca de 25 dias na média de dias ao primeiro parto e que a partir de 2017 esses números tenderam a estabilidade em aproximadamente 727 dias para fêmeas holandesas. 

Quando pensamos na distribuição em meses, temos que em 2016 e 2021 a curva se desloca para esquerda em relação a curva de distribuição de 2011, mostrando que mais novilhas estão parindo em idades mais precoces e que há menos novilhas com parto em idades mais tardias e uma porcentagem ligeiramente superior de novilhas que parem aos 23 e 24 meses de idade.

Gráfico demonstrando a tendência de redução da idade ao primeiro parto em dias em um intervalo de 10 anos

Gráfico demonstrando a tendência de redução da idade ao primeiro parto em dias em um intervalo de 10 anos. Fonte: Robert Fourdraine

Gráfico demonstrando a distribuição de partos de novilhas holandesas nos anos de 2011, 2016 e 2021

Gráfico demonstrando a distribuição de partos de novilhas holandesas nos anos de 2011, 2016 e 2021. Esse gráfico mostra que hoje há menos novilhas com parto em idade mais tardia. Fonte: Robert Fourdraine

A idade ao primeiro parto está intimamente relacionada com o momento do início da vida reprodutiva da novilha. Momento esse que se houver atrasos pode provocar significativos impactos na produtividade e na rentabilidade da produção leiteira. Dentre as razões pelas quais é benéfico encurtar o período de criação de novilhas, podemos citar: 

  • Aumento no número de bezerros nascidos ao longo da vida;
  • Possibilidade de venda de animais excedentes;
  • Aumento do progresso genético à medida que um intervalo de geração se encurta;
  • Longevidade do rebanho;
  • Produção de leite ao longo da vida;
  • Rentabilidade. 

Devemos nos atentar a adoção de estratégias de manejo e nutrição nos animais jovens, pois é bezerra de hoje em breve será a vaca ativa na produção de leite e garantir que as novilhas atinjam a maturidade sexual em idades adequadas e que se tenha o início precoce da produção leiteira no rebanho é essencial.

Banner curso Pós-Graduação em Pecuária Leiteira

Desenvolvimento reprodutivo

Para obtermos sucesso no primeiro período reprodutivo da recria, necessitamos que os animais possuam um bom desenvolvimento, para assim alcançarem o peso e idade ideal, para que seja iniciada a vida reprodutiva da fêmea.

Pensando nisso, precisamos estabelecer critérios e manejos durante o desenvolvimento das bezerras, para que consigam atingir a idade e peso estabelecidos, para iniciarem seu processo reprodutivo e terem sua primeira parição com menor risco e maior eficiência. 

Deter de manejo correto do colostro, do aleitamento, monitoramento econtrole de doenças, higiene, qualidade da dieta sólida, qualidade da água e atenção à nutrição no pós-desmame são pontos fundamentais para alcançar o crescimento ideal das novilhas e consequentemente otimizar a produção de leite futura. 

Maturidade sexual, aptidão e idade ao primeiro parto

O objetivo da criação de novilhas leiteiras é ter um crescimento ideal e parir entre 22 e 24 meses de idade, o que é favorável para redução de custos além de aumentar a vida produtiva. Entretanto, para que se tenha parto na idade desejada é importante nos atentarmos ao peso ideal para que ela inicie sua vida reprodutiva, e para isso é importante que seja ajustado um plano nutricional visando que esse animal tenha um ganho de peso esperado, ou seja, que esteja alinhado com o ganho de peso e não acúmulo de gordura. 

Uma fêmea é considerada pronta para receber aptidão e iniciar a vida reprodutiva quando atinge 55% do seu peso adulto e 13 meses de idade. Para identificar o peso adulto, é necessário realizar a pesagem das vacas de terceira ou maior lactação e fazer a média dos pesos, onde será obtido o peso adulto dos animais daquele rebanho. Por exemplo

  • Peso adulto do rebanho = 650 kg 
  • Aptidão (55% do peso adulto) = 357,5 kg 

Sabendo então que o peso é um fator determinante para liberação da novilha para reprodução, devemos estar atentos para que esse ganho de peso esteja dentro do esperado em cada fase de produção dessa fêmea.

Deter de um ganho de peso muito elevado em novilhas pré-púberes (3 a 10 meses de idade) provoca o acúmulo de gordura e a deposição dessa no úbere, afetando de forma negativa as estruturas produtoras de leite e a lactação futura, além da possibilidade aumentada de distocias e doenças metabólicas no período de transição. 

Já o oposto, quando temos um ganho de peso muito reduzido, podemos ter uma puberdade, ou seja, maturidade sexual atrasada, contribuindo para que a novilha passe mais tempo sem entrar em produção, elevando então os custos de produção. 

Quanto às metas de ganho de peso: 

  • Período de aleitamento: >900 g/dia. 
  • Pós-desmama até a aptidão: 700 a 800 g/dia.

Webinar Eficiência reprodutiva em vacas leiteiras

Como o ganho de peso afeta a idade ao primeiro parto?

1ª Situação: 

  • Ganho de peso: 0,500kg/dia 
  • Peso adulto do rebanho: 680 kg 
  • Aptidão: 374 kg 
  • 1ª Inseminação: 374 kg / 0,500 = 748 dias 🡪 748/ 30,42 dias = 24,5meses 
  • 1º Parto: 24,5 meses + Gestação = 33,5 meses 

2ª Situação: 

  • Ganho de peso: 0,900kg/dia 
  • Peso adulto do rebanho: 680 kg 
  • Aptidão: 374 kg 
  • 1ª Inseminação: 374 kg / 0,900 = 415 dias 🡪 415/ 30,42 dias = 13,6 meses 
  • 1º Parto: 13 meses + Gestação = 22 meses 

A alteração de ganho de peso ao longo do desenvolvimento da fêmea resultou em uma diferença de cerca de 11,5 meses no primeiro parto, mostrando que o ganho de peso está intimamente relacionado com o desempenho e a idade ao primeiro parto e que esse atraso representa um impacto econômico significativo, visto que os animais se tornam produtivos mais tarde. 

A meta da fazenda para a idade ao primeiro parto vai determinar quando as novilhas precisam se tornar aptas para atingir essa meta. Por exemplo, se a fazenda deseja que as novilhas tenham parto aos 22 meses de idade, elas precisam iniciar a vida reprodutiva aos 13 meses de idade. Além disso, se for conhecido o peso adulto do rebanho, peso a desmama, o peso a aptidão e a meta de idade para essa aptidão, o ganho de peso necessário do desmame a aptidão pode ser calculada: 

  • Peso adulto do rebanho: 682 kg 
  • Peso a desmama (aos 2 meses de idade): 82 kg 
  • Peso a aptidão (aos 13 meses de idade): 375 kg 
  • Ganho de peso diário da desmama a aptidão: 375 – 82 = 293kg/ 11 meses = 26,63 kg ao mês 🡪 0,9 kg/dia.

Impactos da idade ao primeiro parto na produção de leite

Há estudos que buscam avaliar o impacto da idade ao primeiro parto na produção de leite ao longo da vida da vaca, ou seja, considerando mais do que a quantidade de leite produzida apenas em uma única lactação.

Trabalhos que buscaram relacionar a produção de leite na primeira lactação por dia e a idade ao primeiro parto em tempos definidos, fica evidente que as vacas de primeira lactação que tiveram parto aos 21 meses tiveram um pico de leite mais baixo e uma produção geral também mais baixa em comparação com as que tiveram parto aos 23 meses.

Gráfico demonstrando a produção de leite na primeira lactação por dias de leite e idade ao primeiro parto

Gráfico demonstrando a produção de leite na primeira lactação por dias de leite e idade ao primeiro parto. Fonte: Robert Fourdraine

É demonstrado também que o parto aos 22 meses de idade se revelou menos benéfico em relação à produção de leite na primeira lactação em comparação com parto aos 28 meses, onde aos 28 meses os resultados foram de aumento na produção lactacional e diária.

Entretanto, apesar das novilhas com parto em idades mais avançadas terem um melhor rendimento na lactação, essa vantagem é perdida pelo fato do período de recria aumentar.

Tabela com o desempenho leiteiro de vacas primíparas em função da idade ao primeiro parto

Tabela com o desempenho leiteiro de vacas primíparas em função da idade ao primeiro parto. Fonte: Sawa et. al (2018)

Animais que pariram pela primeira vez entre 22 e 26 meses tiveram um rendimento maior ao longo da vida (mais de 25.000kg de leite) e aquelas com primeiro parto mais tardio (principalmente após 28 meses de idade), obtiveram produção de leite consideravelmente mais baixa.

Além disso, IPP entre 22 e 26 meses contribuíram para um rendimento ao longo da vida 24% maior em comparação com as que pariram mais tarde.

Tabela com a produção de leite ao longo da vida das vacas e sua longevidade dependendo da idade ao primeiro parto

Tabela com a produção de leite ao longo da vida das vacas e sua longevidade dependendo da idade ao primeiro parto. Fonte: Sawa et. al (2018)

Considerações finais

De forma resumida, no que se refere a estudos sobre a produção de leite e idade ao primeiro parto, há a recomendação de que o primeiro parto ocorra entre 22 e 26 meses de idade, o que é sustentado pela maior produção de leite ao longo da vida.

Um início tardio na produção causa uma redução considerável na produção de leite na primeira lactação e na produção de leite ao longo da vida, encurtando o período produtivo, reduzindo o número de partos, além de elevar as taxas de abate devido à baixa produção de leite.

Por fim, sabemos então que a idade ao primeiro parto é crucial para otimizar a produção leiteira, a eficiência reprodutiva e consequentemente a rentabilidade.

Deter de estratégias de manejo e nutrição são essenciais para garantir sucesso no desenvolvimento precoce das novilhas, visando sempre o alcance da maturidade sexual no momento ideal.

Transforme sua produção de leite agora!

Descubra estratégias práticas e econômicas para impulsionar seus lucros com a Pós-Graduação em Produção de Leite do Rehagro. 

Aplique técnicas validadas durante anos sem grandes investimentos. Desbloqueie o potencial da propriedade com conhecimento prático e ferramentas eficazes. 

Otimize as finanças, melhore a eficiência do rebanho e alcance resultados tangíveis desde o primeiro módulo. 

Não espere mais, a aula de hoje pode mudar o futuro da produção de leite da fazenda. Clique no banner abaixo e saiba mais.

Pós-Graduação em Pecuária LeiteiraLaryssa MendonçaVictor Hugo Simões

Comentar