Rehagro Blog
Gado alimentando no confinamento

Alimentos volumosos para gado: quais são e como utilizar?

Uma das principais maneiras de intensificar o sistema de produção de carne é com a utilização do confinamento, principalmente quando o objetivo é a terminação dos animais para abate.

Além dos custos com instalações e com os próprios animais, a alimentação representa uma das parcelas mais significativas dos custos em um sistema de confinamento.

A utilização de insumos de qualidade, concentrados e volumosos, é fundamental para o sucesso da atividade. Dessa forma, nutricionistas buscam, a cada dia, dietas mais energéticas, principalmente com a utilização de grãos com o objetivo de adensar a dieta.

Entretanto, alimentos volumosos exercem um papel importante nesse contexto e podem determinar a qualidade de uma dieta.

 

Sem tempo para ler agora? Baixe este artigo em PDF!


Por que usar alimentos volumosos?

O principal objetivo da utilização de alimentos volumosos em uma dieta de confinamento, é fornecer aos animais fibra fisicamente efetiva que irá, resumidamente, estimular a mastigação, ruminação, salivação e a motilidade ruminal, mantendo o rúmen saudável.

Contudo, alguns alimentos volumosos podem fornecer bons níveis de nutrientes, tornando-se alimentos completos e de grande importância para o sistema.

A eficiência na produção e/ou compra de volumosos para o confinamento pode determinar o sucesso da operação, além de custos competitivos, a qualidade do volumoso pode ser o diferencial dentro de um sistema de engorda de animais confinados.

Banner Curso Gestão da Nutrição e Pastagens na Pecuária de Corte

Afinal, qual volumoso devemos utilizar?

As opções de volumosos são diversas:

  • Silagem de milho;
  • Bagaço de cana;
  • Silagem de capim;
  • Capulho de algodão;
  • Feno, são algumas das opções.

O processo de escolha entre eles deve ser criterioso, levando em consideração fatores como custo, disponibilidade de compra, capacidade de produção, condições de armazenamento e valores nutricionais.

Silagem de milho

A silagem de milho, entre os volumosos, é o mais tradicional alimento utilizado em confinamentos do Brasil. É um volumoso de qualidade ímpar, sendo uma excelente fonte energética, entre outras características.

Alguns pecuaristas adquirem a silagem de milho de outros produtores, no entanto, a produção na própria propriedade, em geral, representa menores custos finais.

Todavia, o processo de produção e ensilagem demanda uma série de cuidados que irão impactar na classificação do alimento em um alimento de excelente qualidade.

Dentre os cuidados mais impactantes no processo de plantio, colheita e ensilagem do milho, estão:

  • Correção e adubação do solo;
  • Época do plantio (sempre associada às características climáticas de cada região);
  • Escolha da variedade do híbrido a ser utilizada;
  • Época ideal para colheita (associada às características climáticas e principalmente às características do milho na colheita);
  • Porcentagem de matéria seca (%MS) da planta no momento da colheita (ideal: entre 32 a 38%);
  • Altura do corte;
  • Tamanho da partícula (ideal: entre 6 a 15 mm);
  • Quebra dos grãos de milho;
  • Boa compactação do material colhido;
  • Vedação adequada, com a lona adequada;
  • Bom manejo de retirada do material ensilado para carregar o vagão.

Tabela nutricional da silagem de milhoTabela com exemplos dos níveis nutricionais da silagem de milho. Fonte: 3RLab.

Dentre os fatores que podem dificultar a utilização da silagem de milho, estão:

  • Custo de produção;
  • Necessidade de área e infraestrutura logística para plantio (maquinário e silo, por exemplo).

A inclusão na dieta desse alimento volumoso depende dos objetivos de ganho esperado para os animais. A diminuição das porcentagens de silagem de milho na dieta estão ligadas ao aumento dos níveis de energia e ganho esperado.

Todavia, recomenda-se que, em situações de manejo ajustado, as dietas tenham um mínimo de 15% de FDN, que poderá ser obtida com a inclusão da silagem de milho.

Portanto, a produção de silagem de milho requer investimentos, mas se apresenta como uma das melhores opções de volumosos para utilização em confinamentos.

Bagaço de cana-de-açúcar

Com o aumento da densidade das dietas de terminação, o bagaço de cana-de-açúcar passou a ser ainda mais utilizado nas dietas por confinadores. O principal motivador da utilização do bagaço, se deve ao grande potencial de efetividade da fibra desse insumo.

O bagaço de cana é um coproduto das indústrias de açúcar e álcool, onde a grande maioria de seus nutrientes é retirada para a obtenção desses produtos. Dessa forma, ele se torna um insumo rico em fibra fisicamente efetiva, mas pobre em nutrientes importantes, como energia e proteína.

Assim, sua inclusão é normalmente realizada com o mínimo necessário para atingir os níveis desejáveis de fibra fisicamente efetiva na dieta.

Bagaço de cana sendo armazendo

Bagaço de cana armazenado ao ar livre e sendo amostrado para monitorar o teor de matéria seca. Fonte: imagem cedida gentilmente pelo Dr. Fernando Camilo de seus arquivos pessoais.

Embora de baixo custo por tonelada, a baixa densidade desse volumoso pode encarecer o frete para a propriedade, sendo basicamente utilizado em regiões produtoras de cana de açúcar.

Silagem de capim

A silagem de capim ganhou grande destaque nos últimos anos. Embora sua utilização seja mais comum em sistemas de recria, durante o sequestro, a utilização desse alimento volumoso em confinamentos pode ser interessante em algumas ocasiões.

Ensilagem do capim sendo feita com fubá

Ensilagem do capim sendo feita com milho fubá para aumentar o teor de matéria seca do produto final conservado. Fonte: arquivo pessoal Cristiano Rossoni, consultor e coordenador de cursos do Rehagro.

Diferente do bagaço de cana, onde praticamente desconsideramos os níveis nutricionais para formulação da dieta, a silagem de capim pode fornecer níveis interessantes de energia e proteína.

Ao contrário do milho, que é uma forrageira anual, o capim é uma forrageira perene, o que não demanda, necessariamente, o plantio e todos os processos envolvidos a cada safra, podendo inclusive ser utilizado de maneira oportuna em ocasiões onde o capim destinado à pastagem esteja “sobrando”.

No processo de ensilagem de capim, devemos ter atenção quanto ao teor de matéria seca (MS). Dificilmente, o capim atingirá níveis de MS suficientes para uma boa ensilagem, sem que o mesmo esteja “passado”.

Por esse motivo, além da adição de aditivos pode-se fazer necessário no momento da ensilagem a inclusão de algum insumo, como milho ou polpa cítrica, com intuito de aumentar os níveis de MS do material a ser ensilado, melhorando também o perfil nutricional desse volumoso.

Silagem de Sorgo

A silagem de sorgo é uma alternativa interessante como fonte de volumoso para confinamentos.

Todavia, sua utilização requer uma atenção especial no momento da ensilagem: por características anatômicas de seu grão, existe uma dificuldade maior em quebrá-lo no momento da colheita.

O grão do sorgo, rico em amido, provavelmente não será aproveitado pelos animais caso não seja quebrado no momento da colheita.

Sendo assim, é quase indispensável a utilização de um cracker na colhedeira e a regulagem desse equipamento deve ser feita de maneira criteriosa e precisa.

Outras fontes de alimentos volumosos

Outras fontes de alimentos volumosos podem ser utilizadas para confecção de dietas de animais confinados, em suma o que dita qual será o insumo a ser utilizado, são boas oportunidades de compra, logística e estrutura de armazenamento.

Webinar Utilização de coprodutos

Capulho de algodão

O capulho de algodão, por exemplo, é um coproduto que pode ser utilizado no confinamento. Importante fonte de fibra, pode se tornar uma alternativa sazonal em regiões onde há significativa produção de algodão.

Feno

O feno, mais comum em dietas de vacas-leiteiras, é um alimento interessante, mas exige maquinário específico para sua confecção, a fenação bem conduzida pode proporcionar fibra de boa qualidade com interessantes níveis nutricionais.

Capim enfardadoÁrea em que o capim foi enfardado. Fonte: arquivo pessoal do Esp. Cristiano Rossoni, consultor e coordenador de cursos do Rehagro.

Cana in natura

A cana in natura, pode ser utilizada em confinamentos, de alta produtividade por hectare, a cana-de-açúcar pode proporcionar fibra efetiva e bons desempenhos em dietas bem ajustadas.

Conclusão

A utilização de alimento volumoso é fundamental, principalmente pensando em fornecer aos animais confinados uma fibra efetiva de qualidade. Além disso, a inclusão de um volumoso de qualidade pode enriquecer a dieta.

Estar atento às opções de mercado e à capacidade de armazenagem adequada do alimento volumoso é essencial para o sucesso da operação.

E lembre-se: a escolha do volumoso a ser utilizado deve sempre estar relacionada ao objetivo de desempenho zootécnico e econômico do confinamento.

Eleve a produtividade em nutrição e pastagens na pecuária de corte!

Conheça o Curso Gestão da Nutrição e Pastagens na Pecuária de Corte e aprenda as estratégias nutricionais e de manejo que impulsionam as fazendas mais lucrativas do país.

Otimize a produção por hectare, conquiste animais de ciclo curto e alto desempenho. Não espere mais, inicie agora a transformação para uma pecuária moderna e financeiramente sólida!

Clique no link abaixo e saiba como melhorar sua abordagem e elevar sua rentabilidade da fazenda!

Curso Gestão da Nutrição e Pastagens na Pecuária de Corte

Cristiano Rossoni

3 comentários

  • Excelente matéria. Parabéns.
    Estou utilizando os quatro volumosos no meu confinamento. Milho, capim, cana picada e bagaço de cana.

  • Boa tarde!
    Como a batata-doce pode ser utilizada na dieta de bovinos?
    Cria ,recria e engorda ?
    Pode ser fornecida junto ao capim,no cocho?