Rehagro Blog

Por que usar snaplage?

O setor produtivo do agronegócio se desenvolve a cada dia em busca de aumentar a rentabilidade e a remuneração dos envolvidos na atividade, essa busca pode ser desenvolvida em algumas frentes diferentes, redução de custos, aumento da produtividade, eficiência na utilização de insumos e melhoria na qualidade e disponibilidade dos ingredientes presentes na dietas dos animais são algumas das maneiras dentre muitas onde se é possível investir para melhores resultados.

Pesquisadores e técnicos envolvidos na cadeia produtiva da pecuária de corte acompanham esse movimento, estudam e desenvolvem a cada dia perspectivas, ferramentas e alternativas para se alcançar melhores resultados. Pensando no quesito melhoria da qualidade e disponibilidade dos alimentos ofertados nas dietas dos animais, principalmente em épocas de escassez de precipitações, uma alternativa a muito utilizada, já bastante difundida é a silagem.

A ensilagem originalmente é um processo de armazenamento e conservação de alimentos, permitindo que esse alimento seja conservado por um longo período de tempo, para principalmente, utilização em períodos onde a escassez de chuva limita a produção de pastagem, volumosos e ou grãos.

Além da armazenagem em si, com passar dos anos e o avanço de estudos e pesquisas percebeu-se que além de conservar os alimentos com baixa perda nutricional, a fermentação láctica produzida no processo de ensilagem, permite ainda uma melhoria na disponibilidade de certos nutrientes presentes em determinados alimentos ensilados, é o caso por exemplo da silagem de grão úmido de milho ou sorgo, destaque para o grão de milho cultivado no Brasil, milho duro, que por suas características bromatológica tem menor disponibilidade de amido, quando comparamos com o milho dentado cultivado nos Estados Unidos, por exemplo.

Alguns alimentos são tradicionalmente ensilados e utilizados na alimentação de bovinos no Brasil como silagem de planta inteira do milho e de sorgo, silagem de cana, silagem de capim, silagem do grão úmido de milho ou sorgo. Além desses métodos “mais comuns” podemos descrever o Erlage (silagem da espiga de milho), Toplage (silagem da planta inteira adicionada a espigas do milho), stalklage (silagem da planta do milho, sem a espiga) e por último a Snaplage (silagem da espiga com a palha) como alternativas que veem ganhando destaque na nutrição de bovinos de corte.

Por volta dos anos de 1960, na Itália, iniciaram o processo de ensilagem da espiga de milho com a palha, Snaplage. Essa tecnologia foi levada aos Estados Unidos, país onde já é mais difundida e aproximadamente 6 a 7 anos atrás começaram a aparecer as primeiras silagens Snaplage no Brasil.

O milho representa uma fatia representativa nos custos com alimentações de rebanho em todo o Brasil, principalmente na composição de dietas para animais em confinamento. O milho seco e moído é bastante utilizado em dietas desse sistema. Porém o Snaplage vem ganhando destaque buscando alternativas de melhores custos sem perder o mais importante, produtividade do rebanho.

O Snaplage, é composta por  75 a 80% de grão, 10 a 15% de sabugo e 5 a 10% de palha, sendo um alimento energético rico em fibras. Sendo assim, ele estimula a ruminação, e auxilia na manutenção da saúde ruminal. O Snaplage, entretanto, não deve ser considerado um alimento substituto da silagem de planta inteira do milho. Por mais que tenha boa presença de fibra, não é um volumoso, e sim um insumo com o objetivo de adensar as dietas e aumentar o aproveitamento do amido pelo ruminante.

A inclusão do Snaplage na dieta de confinamento deve ser associada ao grão seco para evitar problemas metabólicos. Além disso essa combinação resulta em melhor aproveitamento energético pelo ruminante. Essa relação de grão fermentados e grão seco deve ser de 70:30, desde que atenda o balanço entre amido fermentável e fibra fisicamente efetiva para ruminação. Por se tratar de um alimento energético com fibra, a adição de outras fontes de volumoso é reduzida. Veja a comparação dos parâmetros médios de silagem de planta inteira, grão úmido e snaplage na Tabela 1.

Parâmetros Silagem planta inteira Silagem de grão Úmido Snaplage
MS, % 33 a 37 63 a 68 55 a 65
FDN, % MS 35 a 40 10 a 13 20 a 25
Amido, % MS 30 a 35 60 a 65 50 a 55
Digestibilidade amido 95 a 97 95 a 97 95 a 97

Tabela 1- Parâmetros bromatólogicos médios de silagem de planta inteira, silagem de grão úmido e snaplage (Fonte: Rehagro Consultoria)

O processo do Snaplage exige algumas especificidades como a colheita. A adaptação de uma plataforma despigadora à máquina autopropelida parece uma alternativa viável economicamente para colher esse material. Ela permite que essa alternativa possa ser difundida em todas as regiões.

O ponto de colheita tido como ótimo para o Snaplage, é quando o grão do milho apresenta em torno de 28 a 35 por cento de umidade. Isso ocorre porque a espiga possui cerca de 5% de umidade acima do grão. É importante essa análise ser feita de maneira criteriosa, pois o percentual correto e desejável de umidade é essencial para o processo adequado de fermentação e compactação da silagem.

O tempo de ensilagem desse alimento é de no mínimo 60 dias para garantir a máxima digestibilidade do amido, que é o principal nutriente do snaplage. A produtividade da matéria seca da silagem de espiga é outra vantagem. O rendimento geralmente é cerca de 15-20% maior que a silagem de grão úmido devido a presença da palha e sabugo. Isso pode representar menor custo pela tonelada produzida.

snaplage - silagem de grão úmido

Silagem de grão úmido (Fonte: Rehagro Ensino)

Outro fator, que poucos levam em consideração, mas que merece uma ressalva importante, não está ligado diretamente a qualidade ou as características do alimento Snaplage. Ele diz respeito aos seus benefícios indiretos na lavoura, como acolheita da espiga. A técnica deixa na roça um volume interessante de matéria orgânica que pode ser utilizado como fonte de fibra para diversas categorias de animais. É importante colocá-las para pastejar na área ou para o processo de plantio direto, que extremamente interessante e positivo.

Existem muitas alternativas a serem consideradas na busca na eficiência produtiva dentro da cadeia da carne. Alimentos e insumos utilizados nas dietas são potencialmente os principais responsáveis pelo desempenho dos animais, principalmente em confinamento. Sendo assim criar espaço e desmistificar ferramentas é fundamental para a evolução do processo.

A Snaplage, é um alimento rico, de grande potencial produtivo e econômico, e deve ser levado em consideração nas atividades onde se fornecem alimentos ensilados aos animais.

webinar-leite

Comentar