Rehagro Blog

Estratégias de manejo do pasto para o período seco: veja a importância

No universo da pecuária, uma estratégia de manejo correto das pastagens é um pilar fundamental para o sucesso da produção.

Neste artigo, exploramos diferenças marcantes entre áreas manejadas com critério e aquelas que, por falta de planejamento, acabam prejudicando a utilização durante o período seco.

Vamos analisar estratégias eficazes para garantir forragem de qualidade e um rebote vigoroso no início do período chuvoso.

A importância do manejo preciso

Ao observar a transição de uma semana entre duas fazendas em Goiás (2017), fica evidente o impacto do manejo na qualidade da pastagem. Um capim bem guardado, tratado com critério, se destaca em contraste com áreas vedadas por precaução contra a seca.

Observe nas imagens abaixo as implicações desse manejo na utilização eficaz da forragem:

Capim vedado e guardado antes da hora.

Capim vedado e guardado antes da hora. Fonte: Acervo Rehagro.

Estratégia de manejo com o capim guardado de forma correta e criteriosa.

Capim guardado de forma correta e criteriosa. Fonte: Acervo Rehagro. 

Abordagem equilibrada

As comparações entre áreas da mesma região, com a diferença de um mês, revelam a influência do diferimento e do tombamento excessivo na qualidade da forragem. Por conta disso, estratégias de suplementação são apresentadas como solução para otimizar a utilização desse recurso valioso.

Área com período de diferimento muito longo e tombamento muito alto.

Área com período de diferimento muito longo e tombamento muito alto. Fonte: Acervo Rehagro.

Área perfeitamente utilizável, podendo ser melhorada com estratégia de manejo e suplementação.

Área perfeitamente utilizável, podendo ser melhorada com estratégia de suplementação. Fonte: Acervo Rehagro

Webinar Como manter o desempenho na seca?

A correção como estratégia rápida e eficiente

A aplicação correta de correções no manejo de pastagens se revela como a abordagem mais eficaz.

Em situações em que é necessário intervir, a roçadeira se apresenta como uma ferramenta valiosa, com alturas específicas para diferentes variedades de capim. Para variedades como o Mombaça, a altura fica em torno de 30 cm, no caso do braquiarão, em torno de 20 cm.

Além disso, garantir a incidência adequada de luz solar na base das plantas é um dos pontos cruciais no manejo do pasto.

Conclusão

Ter uma estratégia de manejo adequada para pastagens é um fator determinante para o sucesso na produção pecuária. Ao compreender a influência da altura de roçada e a incidência de luz solar, podemos maximizar o potencial do pasto durante o período seco.

Essas estratégias não apenas garantem a disponibilidade de forragem de qualidade, mas também preparam o terreno para um retorno vigoroso no início do período chuvoso.

Investir tempo e esforço no manejo preciso é, sem dúvida, um passo essencial em direção a uma produção pecuária mais eficiente e rentável.

Quer se aprofundar em nutrição e pastagens?

Conheça o Curso Gestão da Nutrição e Pastagens na Pecuária de Corte.

Como você sabe, os custos com nutrição e pastagens podem chegar a representar até 76% dos custos de produção na pecuária de corte.

Diante disso, o Rehagro criou essa capacitação: para ajudar pecuaristas a aumentarem sua margem de lucro através do domínio dessas áreas. 

São abordados tópicos como suplementação na cria e recria, engorda a pasto e em confinamento, manejo de pastagens e muito mais. Tudo com um conteúdo 100% aplicável à sua realidade e foco na melhoria de resultados.

Ficou interessado? Clique e conheça!

Banner Curso Gestão da Nutrição e Pastagens na Pecuária de Corte

Comentar