Rehagro Blog

Terreiro suspenso: construção e manejo

Terreiro suspenso

Foto: Larissa Cocato (Fazenda Guariroba).

Na cadeia produtiva do café, as etapas de produção são interligadas, principalmente quando se deseja produzir cafés superiores.

O manejo do solo, os tratos culturais, e a colheita são elementos essenciais para obtenção de bons cafés. Todavia, a pós-colheita é uma das etapas mais influentes na manutenção da qualidade, principalmente, pelo processo de secagem, uma vez que, erros nesse processo prejudicam diretamente o produto final.

A secagem pode ser feita de diferentes formas, seja por meio de terreiros ou secadores mecânicos. Dentre estes, o terreiro suspenso tem ganhado espaço e mostrado ser efetivo na secagem de cafés especiais.  

Como é o terreiro suspenso

O terreiro suspenso é uma estrutura de tela de malhas finas tipo sombrite 50%, sustentada por arame liso esticado sobre pilares de cimento, madeira ou outros materiais, e possui por finalidade secar lotes de café de forma lenta, evitando o contato dos grãos com o chão. 

Viabilidade desse tipo de terreiro

Esse tipo de estrutura é utilizada para secar pequenos lotes que possuem alto valor agregado, muito comum em propriedades produtoras de cafés especiais.

É indicado, preferencialmente, para cafés descascados e despolpados, por possibilitar um uso mais intensivo, pela redução no volume e pela sua secagem mais acelerada. O que não impede de também ser utilizada para secar o café natural. 

Mas, quando falamos em secagem de um grande volume de café ou secagem de cafés commodity, não é viável a utilização desse tipo de terreiro, podendo-se optar por outras estratégias.  

Tipos de terreiro suspenso

As diferenças entre os tipos de terreiros suspensos estão no piso e na cobertura.

De modo geral há 3 tipos distintos:

  1. Terreiro com e sem pavimentação no solo; 
  2. Terreiros com e sem cobertura de lona plástica;
  3. Terreiros feitos dentro de estufas. 

Exemplos:

Terreiro suspenso sem cobertura e sem pavimentação do piso:

Terreiro suspenso com estrutura para cobertura e sem pavimentação do piso:

Terreiro suspenso

Foto: Larissa Cocato (Fazenda Guariroba).

Terreiro suspenso com cobertura:

Terreiro suspenso

Foto: Larissa Cocato (Fazenda Guariroba).

Terreiro suspenso na estufa, sobre piso pavimentado:

Terreiro suspenso

Foto: Larissa Cocato (Fazenda Barreiro/MG).

A cobertura evita que os grãos recebam umidade do orvalho durante a noite e em condições de chuva. Já a pavimentação do piso, evita que os grãos recebam umidade pela evaporação da água do solo.  

Existem também pequenos terreiros suspensos, porém não fixados ao chão, chamados de camas africanas. Nesse tipo de terreiro, é possível recolher o terreiro inteiro e colocá-los empilhados em galpões durante a noite ou em dias de chuva.

Terreiro suspenso x qualidade

Muitos fatores estão envolvidos na qualidade da bebida, como o material genético, terroir, nutrição, condições edafoclimáticas, ponto ideal de colheita, entre outros. 

No entanto, o café seco em terreiro suspenso tem menor risco de fermentações indesejadas, desde que ele não entre em contato com o solo antes de chegar no terreiro.

Além disso, sua taxa de secagem é baixa, o que garante qualidade ao café, pelo fato de manter os compostos químicos íntegros dentro da membrana, não deixando que eles se percam no ambiente. 

Vantagens e desvantagens do terreiro suspenso 

Vantagens:

  • Secagem mais uniforme;
  • Menor risco de fermentações ruins;
  • Produto mais limpo.

Desvantagens:

  • Estrutura mais cara que terreiro de cimento;
  • Não é viável secar grande quantidade;
  • Secagem mais lenta.

Construção de um terreiro suspenso

Algumas medidas são recomendadas para a construção do terreiro suspenso, no entanto, ele deve ser construído de forma a atender a necessidade de cada propriedade. Assim, as seguintes medidas são recomendadas:

  • Largura: 2 a 2,5 m, de forma que com o braço seja possível alcançar o meio do terreiro, para facilitar e garantir o bom revolvimento do café. 
  • Comprimento: 10 a 15 m, pois fica difícil percorrer mais de 15 m para revolver o café do outro lado do terreiro, assim ele sendo mais curto facilita a movimentação.
  • Altura: 0,80 a 0,90 m, para proporcionar posições confortáveis à pessoa durante o revolvimento do café, e para facilitar a carga e descarga de café no terreiro. Além disso, em terreiros muito próximos do chão os respingos da chuva podem incidir sobre o telado e umedecer o café.
  • Cobertura: quando o terreiro for coberto, é indicado que a cobertura tenha 0,80 a 0,90 m de altura. Em alturas maiores, haverá maior consumo de materiais, e consequentemente aumento do custo. Já alturas mais baixas podem dificultar a movimentação e o manejo.  
  • Pés: normalmente, entre 2,5 e 3 m de terreiro coloca-se pés, e em cada pé um arco para fazer a cobertura do terreiro. Por fim, deve-se colocar o sombrite, preferencialmente o de 50% de sombreamento. Tudo isso para distribuir e acomodar melhor o peso do café.

Outras recomendações:

  • É recomendado que o terreiro tenha recobrimento de telado mais grosso, como os utilizados em galinheiro, e também arames com esticadores na ponta.
  • A estrutura do terreiro pode ser metálica, cimento, e madeira, a escolha dependerá da disponibilidade de materiais e preferência da propriedade.

Manejo do café em terreiro suspenso

No terreiro suspenso a secagem de cafés naturais e descascados é feita da mesma forma. De acordo, com os seguintes manejos:

  • Inicia-se o processo com espessura de camada entre 4 e 5 cm, conduzindo nessa espessura até a meia seca;  
  • É importante revolver o café desde o início até o final do processo, levando em consideração o monitoramento da temperatura, assim, sempre que o café atingir 35° C deve ser feito o revolvimento;
  • Depois da meia seca, é feita a primeira e única dobra de camada, conduzindo o café até o final do processo com espessura de 10 cm;
  • Todo fim de tarde, desde o início da secagem é interessante cobrir o café; 
  • Em sequentes dias de chuva é necessário abrir as laterais do terreiro para ter movimentação do ar, e retirar a umidade acumulada sobre a massa de café; 
  • Já em noites frias e com muito orvalho pode-se manter as laterais fechadas, porém caso perceba o umedecimento é importante abrir; 
  • A partir de 16% de umidade, deve-se monitorar a umidade até atingir 12%, quando a secagem estará completa. 

Atenção!

Algumas características do terreiro suspenso, como a baixa taxa de secagem do café e a anulação do contato dele com o chão, são responsáveis por garantir a manutenção da qualidade nessa etapa. 

O manejo correto durante a secagem e a construção de uma estrutura adequada, são de grande importância para garantir o sucesso do processo. 

Dessa forma, a escolha do método de secagem influencia fortemente na qualidade do produto final. No entanto, é importante estar atento à particularidade de cada um deles. 

No caso da secagem mecânica, ela também pode ser uma opção, quando se deseja um processo mais rápido e menor custo com mão de obra, porém, requer muita atenção, pois se mal conduzido pode afetar a qualidade do café.

No artigo a seguir, você pode conferir como manejar corretamente o café nesse tipo de sistema de secagem.

Boa leitura e sucesso!

Comentar