Rehagro Blog
Vaca leiteira durante parto

Como proceder quando a vaca tem retenção de placenta?

Com qual frequência suas vacas têm retenção de placenta? E você sabe como proceder?

Acompanhe a explicação do especialista em reprodução, Guilherme Pontes, e nunca mais tenha dúvidas sobre o assunto! É a explicação mais clara e certeira que você já viu!

Quando falamos sobre saúde uterina, a primeira doença que pode acontecer após o parto é a retenção de placenta.

O que é a retenção da placenta?

É a não expulsão dos anexos fetais em um período mínimo de 12 horas após o parto.

A expulsão da placenta ainda é uma fase do parto. Depois que a vaca pariu e a placenta ainda está pendurada, ela ainda está tendo um parto.

Em até 12 horas, assumimos que a liberação dessa placenta é um processo fisiológico, comum, normal. No entanto, a partir de 12 horas, assumimos que isso seja algo patológico.

Quem já observou a placenta de uma vaca, pôde ver estruturas que parecem bolas, que chamamos de placentoma. O placentoma é formado pelo cotilédone fetal e pela carúncula materna, que estão unidos por um tecido de colágeno, um tecido conjuntivo que está prendendo essa estrutura.

Na vaca que está com a placenta retida, essa estrutura não foi degradada, e ela continua presa, como se aquela cicatriz não tivesse sido digerida.

Por isso, falamos hoje que a retenção de placenta é muito mais uma doença imune do que uma doença metabólica. Por quê? Por algum motivo, o sistema imune da vaca não foi capaz de degradar essa estrutura, que continua ali ligada.

Qual o problema da retenção da placenta?

De início, nenhum.

A vaca que teve retenção de placenta não tem mais risco de morrer. Alguns trabalhos mostram que vacas que têm retenção de placenta produzem menos leite, mas em contrapartida, vários trabalhos mostram que a produção de leite é a mesma.

O principal ponto de atenção é que vacas com retenção de placenta têm a fertilidade comprometida. No entanto, não há nada que possa ser feito para minimizar esse problema.

Vemos que várias pessoas ainda utilizam prostaglandina, estradiol, ocitocina, mas não existe essa recomendação na literatura.

Hoje, a recomendação para retenção de placenta é não fazer nada.

Dê condições para que a vaca tenha consumo, para que ela coma, para que ela não tenha que disputar tanto no cocho, mas em termos de intervenção, não há algo para ser feito para a retenção de placenta.

Se aplicamos prostaglandina, antibiótico parenteral ou intravenoso, esse tratamento não vai fazer com que a placenta seja liberada mais rapidamente, não vai tratar a retenção de placenta.

Quando tratamos a retenção de placenta com antibiótico, o foco é reduzir a incidência da metrite.

Confira o vídeo com a explicação na íntegra com o especialista em reprodução, Guilherme Pontes.

Continue aprendendo!

Conheça o Curso Online Gestão na Pecuária Leiteira e tenha aulas com nossos consultores para todos os pilares de uma propriedade leiteira.

Aprenda a planejar o quanto plantar para alimentar suas vacas, os cuidados com as suas bezerras leiteiras, como diminuir seus custos com nutrição e medicamentos, como fazer o controle do seu caixa, como colocar em prática uma rotina de ordenha que favorece a descida do leite e reduz a mastite e muito mais!

Curso Gestão na Pecuária Leiteira

Comentar