Rehagro Blog

Dicas para uma boa amostragem de solo em lavoura de café

Você sabe o quanto uma análise de solo pode ser valiosa para a escolha da melhor estratégia para aumento da produtividade da sua fazenda e qualidade do café produzido, trazendo maiores lucros para o seu bolso.

Para que os resultados da análise de solo sejam fidedignos e proporcionem o resultado esperado, o primeiro passo deve ser a realização de uma amostragem adequada, que deve representar bem a área a ser investigada.

Veja algumas dicas para executar essa etapa de forma correta!

amostragem de solo

Figura 1. Amostragem de solo com trado Holandês

Dessa forma, deve-se levar em consideração alguns aspectos:

  • Inicialmente, deve-se dividir a área em talhões homogêneos quanto a cor do solo, textura, topografia, vegetação natural e manejo de lavouras anteriores (que inclui todas as práticas de manejo que foram realizadas na área). 
  • Após a separação em talhões homogêneos, faz-se o caminhamento em zigue-zague na área, a fim de ser o mais representativo possível da realidade. E inicia-se a coleta da seguinte forma:
    • A coleta do solo é feita na projeção da saia do cafeeiro.
    • Deve-se limpar o local que será amostrado, retirando restos de plantas, palhadas, sem, contudo, retirar terra do local. Após a limpeza, realiza-se a coleta.
    • Os equipamentos utilizados podem ser: trado de rosca, trado holandês, trado de caneco, sonda, enxadão ou pá reta.
  • A profundidade amostrada pode ser feita de 0 – 20 cm e 20 – 40 cm. No entanto, devido ao cafeeiro ser uma cultura perene, suas raízes podem chegar a profundidades maiores, dependendo do manejo realizado. Desta forma, pode-se também realizar amostragem em maiores profundidades para se conhecer o perfil do solo, caso seja necessário.
  • Após a coleta de amostras simples dentro de cada área – em torno de 15 a 20 – faz-se uma amostra composta, através da mistura de amostras simples. (A mistura das amostras simples deve ser feita em baldes ou sacos limpos, para que não haja contaminação e consequentemente interferência nos resultados. Nunca utilize sacos usados de calcário, adubos, rações ou outros).
  • Da amostra composta são retiradas cerca de 300 gramas de solo, e colocadas em saquinhos devidamente identificados e enviados ao laboratório, para que posteriormente não haja confusão dos resultados da análise.

amostragem de solo

Figura 2. Saquinho para coleta de amostra de solo.

  • As amostras solicitadas podem ser: de rotina, que contempla: pH, K, P, Ca, Mg, Al, H+Al e P-rem, ou a completa que contêm: pH, K, P, Ca, Mg, Al, H+Al, P-rem, M.O., B, S, Zn, Fe, Mn e Cu. 
  • A análise granulométrica é recomendada que se faça pelo menos uma vez na área, para que se conheça a textura do solo.

O segredo do manejo de sucesso está nos pequenos detalhes!

Então, lembre-se desse check list na sua próxima amostragem! 

A partir dela, a análise do solo poderá apontar a deficiência de nutrientes que pode estar comprometendo a sua produtividade e gerando defeitos nos grãos do café, levando a uma perda de qualidade e redução do preço da saca vendida.

Sucesso na produção!

 

1 comentário