Rehagro Blog

Dicas para uma boa amostragem de solo em lavoura de café

A análise solo é uma prática importante de ser realizada nas lavouras, uma vez que ela avalia as necessidades de adubação para o cafeeiro. Nesse sentido, a amostragem do solo é operação que merece grande atenção, e deve ser feita com bastante critério para representar bem a área que está sendo amostrada.

amostragem de solo

Figura 1. Amostragem de solo com trado Holandês

Dessa forma, deve-se levar em consideração alguns aspectos:

  • Inicialmente deve-se dividir a área em talhões homogêneos quanto a cor do solo, textura, topografia, vegetação natural e manejo de lavouras anteriores (que inclui todas as práticas de manejo que foram realizadas na área). 
  • Após a separação em talhões homogêneos, faz-se o caminhamento em zigue-zague na área, a fim de ser o mais representativo possível da realidade. E inicia-se a coleta da seguinte forma:
  • A coleta do solo é feita na projeção da saia do cafeeiro.
  • Deve-se limpar o local que será amostrado, retirando restos de plantas, palhadas, sem, contudo, retirar terra do local. após a limpeza, realiza-se a coleta.
  • Os equipamentos utilizados podem ser: trado de rosca, trado holandês, trado de caneco, sonda, enxadão ou pá reta.
  • A profundidade amostrada pode ser feita de 0 – 20 cm e 20 – 40 cm. No entanto, devido ao cafeeiro ser uma cultura perene, suas raízes podem chegar a profundidades maiores, dependendo do manejo realizado. Desta forma, pode-se também realizar amostragem em maiores profundidades para se conhecer o perfil do solo, caso seja necessário.
  • Após a coleta de amostras simples dentro de cada área – em torno de 15 a 20 – faz-se uma amostra composta, através da mistura de amostras simples. (A mistura das amostras simples deve ser feita em baldes ou sacos limpos, para que não haja contaminação e consequentemente interferência nos resultados. Nunca utilize sacos usados de calcário, adubos, rações ou outros.)
  • Da amostra composta são retiradas cerca de 300 gramas de solo, e colocadas em saquinhos devidamente identificados e enviados ao laboratório, para que posteriormente não haja confusão dos resultados da análise.

amostragem de solo

Figura 2. Saquinho para coleta de amostra de solo.

  • As amostras solicitadas podem ser: de rotina, que contempla: pH, K, P, Ca, Mg, Al, H+Al e P-rem, ou a completa que contêm: pH, K, P, Ca, Mg, Al, H+Al, P-rem, M.O., B, S, Zn, Fe, Mn e Cu.
  • A análise granulométrica é recomendada que se faça pelo menos uma vez na área, para que se conheça a textura do solo.

Conclusão

Portanto, é importante que se atente a vários aspectos, para que a amostragem seja bem feita e consequentemente os resultados da análise de solo sejam mais confiáveis, pois é a partir dos resultados obtidos da análise e do histórico de análise de solo da área (quando se possui), que são tomadas as decisões para adubação nas lavouras, prática essa de extrema importância, apresentando grande impacto na produtividade do cafeeiro. 

 

Comentar