Rehagro Blog

Planeje as ações de sua propriedade leiteira

propriedade leiteira - Bruno Guimarães

Planeje as ações de sua propriedade leiteira através do estabelecimento e gerenciamento de metas

Para que a atividade leiteira no país seja sustentável e eficiente, é necessário a otimização dos recursos, sem perder de vista a viabilidade econômica e lucratividade.

Dessa forma, é imprescindível que o trabalho na propriedade rural seja baseado no diagnóstico da situação atual, planejamento técnico e financeiro, organização, execução e controle de processos, dados e resultados. Neste sentido, o planejamento é o primeiro passo para a construção de um caminho que vai de encontro ao seu objetivo. Ele auxilia no processo de tomada de decisão, tornando-as mais eficazes e efetivas, concentrando esforço e recurso na medida certa, para se alcançar o melhor resultado.

E vale lembrar: quanto mais tempo você gasta em um planejamento bem feito, menos tempo você gasta
na execução para alcançar seu objetivo.

A questão é, começar por onde?

É frequente encontrar em empresas rurais decisões sendo tomadas sem embasamento concreto, apenas pelo “achismo”. Vemos recursos sendo investidos em setores da fazenda sem o direcionamento ideal e de forma inadequada, enquanto o principal gargalo e pontos a melhorem sequer foram identificados. Ouvimos dizer, por exemplo, relatos de baixos índices de mortalidade das bezerras ou alto custo com medicamentos das vacas sem que sejam utilizados instrumentos eficientes para mensuração e análises dos resultados.

Assim, é de se questionar: o que é uma mortalidade baixa? Quantas bezerras morrem? Quanto isso representa na recria? Ou ainda: quantos reais por litro você gasta com medicamento para as vacas? Quanto os produtores com o mesmo sistema de produção e realidades próximas gastam? Quanto você deseja reduzir esse gasto?

Antes de mais nada, é preciso saber onde você está e onde deseja chegar, para então construir seu caminho.

Felizmente, existem diversas ferramentas que nos auxiliam no processo de planejamento. Dentre elas, a gestão de metas é uma forma de enxergar a propriedade e buscar melhorias para o sistema de produção. Para a construção das metas, a técnica SMART é muito popular no meio empresarial e vem se destacando cada vez mais no agronegócio brasileiro.

O que é a meta SMART?

Conhecida como meta inteligente, é uma forma de construir metas claras, precisas e diretas. A sigla vem do inglês e nos mostra os cinco pilares sobre os quais as metas devem ser definidas: Specific (específica), Measurable (mensurável), Attainable (atingível), Relevant (relevante) e Time-based (temporal).

SPECIFIC ou ESPECÍFICA:

Sua meta deve ser clara e objetiva. É preciso que seja bem detalhado o que está sendo medido, para que os esforços sejam focados no real objetivo da meta e não ocorra erro de entendimento ou confusão nos processos.

MEASURABLE ou MENSURÁVEL:

Para que possamos saber se o resultado está sendo atingido, devemos medi-los ou quantifica-los. Metas não mensuráveis não são desejáveis uma vez que dificultam a análise e dependem da percepção de quem recolhe
os dados.

ATTAINABLE ou ATINGÍVEL:

O histórico da fazenda deve ser levantado para que, a partir dos últimos resultados se planeje uma meta possível de ser atingida. Não adianta querer uma mudança drástica nos resultados da fazenda se não é possível alcança-la no
tempo proposto. É importante que o responsável pela atividade faça parte da construção dessa meta, uma vez que ele deve opinar se consegue cumpri-la dentro do prazo, com os recursos que tem a sua disposição. Vale ressaltar que metas inalcançáveis geram frustração e desmotivação da equipe.

RELEVANT ou RELEVANTE:

A meta deve ser relevante, ou seja, atrelada aos processos que causam impacto real na produção e estão em conformidade com o objetivo da fazenda. A estratégia aqui é focar nos pontos que mais precisam melhorar ou que a mudança seja mais significante econômica e produtivamente. O resultado a ser alcançado deve ser significativo e desafiador, o esforço para bater a meta, ao contrário das metas inalcançáveis, geram maior motivação aos envolvidos na atividade.

TIME-BASED ou TEMPORAL:

Os prazos de início e conclusão devem ser estabelecidos. Quando não se tem uma data limite para que o resultado seja alcançado, a tendência é que as atividades sejam proteladas, e sempre deixadas para o futuro. Por isso é necessário a formulação de um cronograma e definição de prazos para a execução das metas.

Para ajudar na visualização dessa SMARTização das metas, confira o exemplo abaixo:

  • Meta: aumentar a eficiência econômica da recria
  • Especificando: Reduzir o custo de criação da recria para R$5,50 por cabeça por dia, sem reduzir o ganho de peso.
    Mensurável: Sim! Com a correta coleta e análise de dados é possível mensurar o custo da recria e quanto esse custo está se alterando ao longo do tempo.
  • Atingível: É claro que as metas devem ser adequadas a cada sistema de criação, mas ter um custo de R$5,50 reais por cabeça por dia na recria é realidade de muitos criadores de leite e é uma meta atingível. Colocar a informação do custo do ultimo ano por exemplo de 6,00 par amostrar que é atingível.
  • Relevante: Sim! A recria impacta muito no bolso do produtor e requer muita atenção para não comprometer os resultados mensais da propriedade.
  • Temporal: Estabelecer prazo, por exemplo: Reduzir o custo de criação da recria para R$5,50 por cabeça por dia, sem reduzir o ganho de peso até o dia 1º de julho.

O diferencial da meta SMART

é que ela pode ser aplicada a todos os setores e níveis da fazenda. Você pode usar como meta pessoal, dos colaboradores, do rebanho, lavoura ou do controle econômico e financeiro. O importante é que o processo de construção das metas seja adequado, detalhado e bem embasado, evitando assim, que se estabeleça metas inalcançáveis ou que não sejam relevantes para o negócio.

Para se alcançar as metas é necessário a construção de um plano de ações, devendo considerar a força de trabalho, necessidade de treinamento e capacitação, recursos disponíveis, metodologia de checagem e aprimoramento dos processos produtivos, dentre outros.

É interessante ainda que os resultados sejam divulgados para toda a equipe de trabalho, fornecendo feedbacks para os responsáveis que fazem parte da gestão e da operação das ações, seja quando não bateram as metas dentro do tempo previsto ou quando alcançaram bons resultados.

E aí, vamos tornar nossas metas SMART?

Comentar