Rehagro Blog

Garantindo margem de lucro na pecuária de corte

O cenário atual da pecuária de corte, implica em algumas considerações e reflexões importantes sobre o comportamento e atitudes da grande maioria dos pecuaristas em frente a rentabilidade e a lucratividade de seus negócios.

Ao longo dos anos, a pecuária de corte sofreu um ajuste nas margens de lucratividade, a grande expansão do setor agrícola, bem como a competição com outras atividades. Dentre outros fatores, a pecuária fez com que essas margens ficassem mais justas. Estima-se que ao longo dos últimos 50 anos, a pecuária de corte deixou de entregar margens de 50 a 70%, para entregar, nos dias de hoje, margens próximas a 10 e 20%. Consideramos atividades e propriedades bem gerenciadas, que trabalham com foco na maximização da produtividade, otimização dos recursos e redução consciente dos custos.

Apesar de subutilizada, uma estratégia importante e que vem ganhando espaço na atividade pecuária de corte é a utilização de estratégias de “travar preços”. Existem diversas opções de se garantir preços de venda no mercado futuro, bem como existem estratégias que garantem o preço dos principais insumos utilizados na operação.

Com operações relativamente simples, conseguimos no dia de hoje saber exatamente quanto pagaremos na tonelada de milho. Como exemplo, podemos saber o que utilizaremos no próximo giro do confinamento e ainda estabelecer por quanto venderemos a arroba dos animais abatidos ao final do ciclo produtivo, seja ele de recria, engorda a pasto ou confinamento.

Basicamente, as estratégias que vem sendo utilizadas por pecuaristas são estratégias para garantir o preço de venda da arroba ao final de um ciclo produtivo. Dentre as opções de travar o preço de venda da arroba, é preciso conhecer cada uma delas para fazer a escolha mais assertiva.

O contrato futuro

São acordos realizados entre duas partes, uma compradora e uma vendedora de um produto em específico. No nosso caso, vamos utilizar nosso produto de interesse, a arroba. Sendo assim, é estabelecido um preço para o valor da arroba entre a parte compradora e a parte vendedora. Além do preço, estabelece-se também a padronização do produto, quantas arrobas serão entregues, garantias para o negócio, e o prazo de vencimento para a entrega. Esses acordos são realizados especificamente na bolsa. Existem critérios, normas e trâmites que devem ser entendidos e respeitados, teremos um momento para tratar especificamente desses assuntos específicos.

O mercado de opções

Estes funcionam como uma espécie de seguro. Assim como um seguro de um automóvel, você pode pagar por um seguro de queda ou de alta no valor da arroba. Opções de compra (CALL) dão direito ao pecuarista de comprar a um preço pré-estabelecido uma determinada quantidade de arrobas. Já a opção de venda (PUT) dá o direito de vender a arroba a um preço também pré-determinado. Essas operações geram um custo que devem ser considerados no momento da operação e serão embutidas no custo de produção da arroba. Essa alternativa pode garantir o preço mínimo da arroba em um cenário, por exemplo, de queda no preço dessa commodity.

O contrato a termo

Esse contrato é a operação mais difundida entre os pecuaristas, em que o produtor estipula um prazo para sua boiada ser abatida, e em contato direto com um frigorífico, acorda a entrega do gado com um preço previamente combinado.

Como garantir a margem?

Todas essas alternativas, tem um fim muito claro e objetivo: garantir margem. Se não for para garantir margem, não há sentido em se estabelecer alguma dessas estratégias citadas, muito importante o domínio e o conhecimento de cada uma dessas alternativas, que são realmente uma grande ferramenta ao alcance de todos os pecuaristas. Entretanto, um ponto muito importante chama a atenção quando pensamos em garantir margem: saber o preço de venda do meu produto final, é suficiente para garantir uma margem satisfatória?

Não, não é suficiente. Para realmente garantir uma margem precisamos de ir mais além. Saber o preço de venda é um passo importante, mas entender e conhecer profundamente dos custos de produção é tão importante quanto, ou mais importante do que conhecer os preços de venda da arroba. Isso porque a margem dependerá do seu custo de produção.

Passos importantes para o alcance da margem

O primeiro passo para o entendimento claro, e a garantia de alcance de uma margem, é sem dúvida o levantamento de todos os custos relacionados ao processo de produção, independente do sistema de produção adotado, do mais complexo ao mais simples. O levantamento de TODOS os custos envolvidos na atividade deve ser realizado de forma criteriosa e precisa. A forma com que esse levantamento é realizado, depende muito das características de cada processo de produção.

O ideal é que a responsabilidade do levantamento desses custos seja de pessoa experiente e de confiança. Um software de gestão é um grande aliado para essa etapa do processo. No mercado existem boas ferramentas que auxiliam na coleta e na organização dos dados.

O segundo passo, que ocorre de maneira concomitante ao levantamento dos custos de produção, deve ser a apropriação dos custos levantados para o setor da fazenda especifico. Saber precisamente, onde foi gasto determinado insumo, ou onde foi despendida determinada hora trabalhada, é fundamental para o entendimento dos custos. O levantamento essa etapa exige experiência e seriedade do colaborador responsável.

Com todos os custos devidamente anotados e apropriados, entramos no terceiro passo, analisar os custos e estudar melhorias na utilização dos insumos. Não é satisfatório que uma grande quantidade de informação sobre os custos de produção seja levantada, se esses dados e essas informações não forem avaliadas. A partir dessa avaliação, serão tomadas ações e decisões no processo de otimização e diminuição dos custos.

Um quarto passo de grande importância nesse processo é a eficiência e a eficácia em gerir o estoque da propriedade. Estoques mal geridos podem representar um grande empecilho para o alcance de boas margens dentro de uma propriedade de corte. Compras estratégicas, são grandes apoiadoras nessa gestão de estoques, comprar insumos em determinadas épocas do ano, pode reduzir significativamente o custo de produção. Portanto, estabelecer prazos e critérios de compra é um importante passo para o sucesso na obtenção de margem satisfatórias.

Conclusão

Em suma, o grande objetivo da utilização de “travas” na cadeia produtiva de carne, é garantir margem, e para se garantir essa margem somente a trava não é suficiente, levantar, analisar e reduzir de maneira consciente dos custos de produção é tão importante quando o garantir o preço de venda da arroba.

Comentar