Rehagro Blog
Milho e soja

Qualidade de sementes da soja e do milho: saiba a importância

Produtores de soja e milho querem que suas lavouras expressem seu potencial de produção e isso depende muito do período inicial de estabelecimento das culturas. Assim, a qualidade das sementes é importante para atingir qualidade da lavoura e isso reflete em mais produção e mais ganhos.

Para que uma semente de soja ou milho possa ser considerada de alta qualidade, deve apresentar:

  1. Altas taxas de vigor, germinação e sanidade;
  2. Garantias de pureza física e varietal (genética);
  3. Não conter sementes de plantas daninhas.

Esses fatores respondem pelo desempenho da semente no campo, podendo ser avaliadas pelo estabelecimento da população de plantas desejadas para cada cultivar de soja e/ou híbrido de milho e indicadores de desempenho, tais como:

  • Palatabilidade;
  • Porcentagem de falhas, duplas e aceitáveis;
  • Coeficiente de variação (população instalada sendo avaliada no V3, ou seja, é importante conhecer bem os estádios fenológicos).

Avaliação do estabelecimento de lavourasFigura 1. Avaliação do estabelecimento de lavouras de soja e milho.

Como aqui, o foco é a semente, fatores como fase reprodutiva e polinização do milho, não serão avaliados.

Qualidade fisiológica da semente

Os lotes de sementes devem ser testados em laboratórios para avaliações por metodologias regulamentadas por lei. Com o resultado das análises, é gerado um Laudo de Análise de Sementes (LAS) que apresenta também a validade do teste de germinação.

De acordo com a IN 45 de 17/09/2013, sementes de soja devem apresentar germinação mínima de 80% e do milho 85%. A validade dos testes de germinação e infestação é de 12 meses. É permitido por lei a reanálise com prazo de validade de oito meses.

O teste de germinação avalia a capacidade da plântula germinar e o teste de vigor a capacidade da plântula desenvolver em condições anormais.

A maioria das lavouras de soja e milho no Brasil são conduzidas em regime de sequeiro e  que aumenta o risco de déficit hídrico, então o uso de sementes vigorosas é fundamental e aumenta a probabilidade de sucesso.

Para avaliação do vigor das sementes de soja, o teste mais realizado é o de tetrazólio que informa a viabilidade (germinação potencial), índice de vigor e causas da perda da qualidade fisiológica e o de envelhecimento acelerado que prediz o potencial de armazenamento do lote.

O vigor das sementes de milho é avaliado através do teste a frio, testando a germinação à 10°C e analisando se ela germina nessas condições de temperatura.

Webinar Inoculação da Soja

Teste de germinação na fazenda

Ao adquirirem lotes de sementes, os produtores precisam amostrar esse lote e encaminhá-lo a um laboratório, para análise de germinação e comprovar a alta qualidade.

Utilizar terra coletada da camada superficial de 0-20 cm, proveniente de áreas com histórico de boas produtividades, sem problemas fitossanitários, com qualidade química, física e biológica. 

A terra deverá ser seca, desboroada, peneirada e acondicionada em canteiros de 10 a 15 cm. Abrir sulcos com 3,0 cm de profundidade e de 1,5 a 2,0 m de comprimento espaçados em 10 a 15 cm entre eles, onde serão colocadas as sementes para o teste. 

Utilizar quatro repetições de 100 sementes cada por amostra, e cada repetição em um sulco, com sementes bem espaçadas entre si.

Após a semeadura, cobrir os sulcos e todas as sementes com terra peneirada com, no máximo, 4 cm de profundidade.

A irrigação inicial não deve ser feita imediatamente após a semeadura, mas sim na manhã seguinte com cerca de 10 mm, realizando-se irrigações diárias sucessivas, para repor a água evapotranspirada, até o teor de água do solo alcançar a capacidade de campo. 

As contagens do porcentual de emergência poderão ser realizadas em dois períodos: ao 5º ou 6º dia, após a semeadura e ao 8º ou 9º dia. A leitura ao 5º ou 6º dia poderá ser utilizada como um índice de vigor: quanto maior a porcentagem de plântulas emergidas, maior o vigor do lote de sementes. 

Com a leitura e média dos 4 sulcos de semeadura, faz-se a média e obtém a porcentagem média dessas emergências de plântulas a campo.

Seja especialista na produção de grãos!

O Rehagro é a maior e única faculdade privada do Brasil com mais de 200 clientes de consultoria. Isso significa que nossos professores também sofrem a pressão do produtor rural todos os dias. Ou seja, sabemos dos desafios muito além da sala de aula.

E se você não tem disponibilidade de viagens, se seu tempo é mais corrido e não consegue estudar no horário comercial, saiba que o Curso de Gestão na Produção de Grãos é 100% Online! Você faz o seu horário nos melhores dias da sua agenda, sem desculpas para não ganhar mais por hectare.

Muito além da entrega de um ensino atual, nosso objetivo é aumentar a lucratividade dos nossos alunos, clientes e parceiros do agronegócio. As aulas melhoram significativamente os resultados de quem produz soja, milho, feijão e algumas culturas de inverno como o trigo e aveia. Os próprios alunos atestam acima de 92% de aplicabilidade!

Garanta safras com mais qualidade e segurança produtiva! Clique e saiba mais!

Curso Gestão na Produção de Grãos

Alessandro Alvarenga

Comentar