Rehagro Blog

Como reduzir a alta rotatividade nas fazendas?

Por muito tempo, empreendimentos rurais não eram tratados pelos donos como “empresas”, assim, algumas áreas, principalmente relacionadas à gestão, eram negligenciadas. Esse cenário tem mudado, e cada vez mais os produtores estão em busca de ampliar sua visão e profissionalizar seu negócio. 

A gestão de pessoas está englobada nesse contexto, isso porque atualmente um dos principais desafios vividos por alguns setores do agronegócio está na alta rotatividade e na falta de pessoas comprometidas com o trabalho, o que prejudica os resultados e o crescimento das empresas rurais. Essa dificuldade se encontra ainda maior para serviços que exigem maior esforço físico dos colaboradores. 

Dessa forma, existem estratégias que os proprietários e gerentes de fazendas podem adotar para mitigar esse problema e manter a equipe estável e comprometida.

 

Sem tempo para ler agora? Baixe este artigo em PDF!


Como medir a taxa de rotatividade?

Antes de implementar qualquer plano estratégico, é preciso avaliar a situação da empresa. Medir e acompanhar constantemente o indicador de rotatividade, também conhecido como turnover, é essencial para compreender a dinâmica de suas equipes.

Esse indicador pode ser medido através da seguinte fórmula:

  1. some a quantidade de colaboradores contratados e demitidos em um mesmo período, e divida o resultado por 2;
  2. divida o resultado acima pelo número total de funcionários da empresa naquele mesmo período;
  3. para chegar ao percentual, multiplique o resultado por 100. 

CONTRATADOS + DEMITIDOS / 2 = RESULTADO

RESULTADO 1 / TOTAL DE FUNCIONÁRIOS = RESULTADO FINAL X 100

Exemplo:

Uma empresa com 50 funcionários, contratou 10 pessoas, e demitiu (ou pediram demissão) 5 profissionais em um período de 6 meses.

10 + 5 = 15/2 =7,5

7,5/50 = 0,15 x 100 = 15%

Então, a rotatividade da empresa é 15% em 6 meses.

Para saber se essa taxa é positiva ou negativa, você pode compará-la aos resultados de outras empresas do mesmo setor.

O que fazer para que as pessoas permaneçam na empresa?

De acordo com a consultoria Great Place To Work, há 5 fatores que motivam a permanência dos colaboradores nas empresas. São eles: 

  1. Oportunidade de crescimento;
  2. Qualidade de vida;
  3. Remuneração e benefícios;
  4. Alinhamento de valores;
  5. Estabilidade.

Com base nisso, e nas premissas da Gestão de Pessoas, as seguintes estratégias podem ser implementadas para obter maior retenção e atração de bons profissionais.

Webinar Gestão de pessoas para obter melhores resultados no agronegócio

Recrutamento, seleção e integração

As falhas durante a contratação estão entre os fatores que levam a alta rotatividade, assim, ter bons processos de recrutamento, seleção e integração, faz parte das iniciativas para cuidar das pessoas.

Para isso, alguns pontos são indispensáveis no recrutamento e seleção, como: ter a descrição do cargo; traçar o perfil de colaborador para a vaga e com base nisso elaborar boas perguntas para entrevista; explicar de forma clara e transparente o desenho do cargo (horários, remuneração, deveres, etc.), entre outros. 

Com as primeiras etapas concluídas, os gestores devem atuar na integração do colaborador. A integração é a ação de unir elementos num só grupo, ou seja, é a forma de inserir novos colaboradores dentro da equipe e do ambiente de trabalho. Nesse sentido, as lideranças devem desenvolver planos de inclusão de acordo com a realidade e os objetivos da empresa.

Justiça

Diferenças salariais entre pessoas que exercem a mesma função é algo que traz grandes insatisfações, além de expor a empresa a consequências trabalhistas.

Assim, é importante ter critérios claros e descritos sobre as diferenças salariais e padronizar entre os colaboradores que executam as mesmas atividades. Além disso, é interessante oferecer benefícios e incentivos competitivos para atrair e reter os melhores talentos.

Isso pode incluir salários justos e benefícios adicionais, como assistência médica, seguro de vida, habitação subsidiada e programas de incentivo à produtividade. 

Desenvolvimento

Outro aspecto importante é oferecer oportunidades de desenvolvimento profissional e crescimento na carreira.

Os trabalhadores que veem perspectivas de progresso dentro da empresa são propensos a permanecerem por mais tempo. Isso pode envolver a implementação de programas de treinamento e capacitação, bem como a estruturação de um Plano de Carreira, trazendo diferentes formas de crescimento e a  promoção interna de colaboradores talentosos e dedicados.

Cultura e clima organizacional

A cultura organizacional é o padrão de princípios básicos que as pessoas de dentro de uma empresa desenvolvem como a maneira de perceber, pensar e sentir dentro do ambiente de trabalho, e que tem forte influência na percepção das pessoas sobre o negócio e em seus resultados. Dessa forma, a cultura pode ser intencional ou ao acaso, cabe aos líderes/fundadores da organização moldá-la ao seu favor. 

Uma cultura organizacional forte e positiva pode promover o engajamento dos funcionários, a coesão da equipe e o sucesso da empresa, enquanto uma cultura fraca ou negativa pode levar a disfunções e falta de alinhamento.

Importante lembrar que os principais promotores da empresa são os próprios colaboradores e diante disso, o trabalho dos gestores deve ser feito de dentro para fora, enfatizando a importância do trabalho que está sendo desenvolvido e os benefícios de se trabalhar dentro daquela empresa. 

Liderança

Os líderes são os maiores espelhos dentro do negócio, assim, uma mudança deve acontecer de cima para baixo. Dessa forma, o líder é o protagonista para que as estratégias de redução da rotatividade possam prosperar.

A base para isso é ter a confiança dos colaboradores, pois não basta apenas estar em cargo de liderança, é preciso que as  pessoas os vejam como tal e aceitem serem guiadas pelo mesmo.

Diante disso, o papel da liderança está dentro de todos os itens anteriores, na garantia de obter contratações e integrações bem feitas, identificação de possíveis treinamentos para equipe e avaliação dos desempenhos para promoções, da atuação com imparcialidade entre os membros da equipe, em estabelecer uma cultura organizacional positiva que valorize e reconheça o trabalho e o comprometimento dos colaboradores, entre outros.

Esse reconhecimento pode ser feito por meio de incentivos financeiros, elogios ou programas de recompensas, e pode ajudar a fortalecer o senso de pertencimento e motivação da equipe. 

Outro item essencial é a comunicação transparente e aberta que desempenha papel fundamental na redução da rotatividade.

Os gerentes devem estar disponíveis para ouvir as preocupações e sugestões dos colaboradores, bem como fornecer feedback regular sobre o desempenho e as expectativas de trabalho. Isso ajuda a construir confiança e promover um ambiente de trabalho positivo e colaborativo.

Considerações finais 

Ao implementar essas estratégias de forma consistente e proativa, os proprietários e gerentes de fazendas podem criar um ambiente de trabalho que incentive a lealdade, o comprometimento e o ótimo desempenho dos colaboradores, ajudando assim a reduzir a alta rotatividade e promover o sucesso sustentável da operação agrícola.

Quer aprender de forma prática como implementar essas ações no seu negócio?

Conquiste o campo e o mercado com a Graduação em Gestão do Agronegócio!

Torne-se um líder no campo e no mercado com a expertise de professores que acumulam mais de duas décadas de experiência especializada.

Adquira competências técnicas e gerenciais, invista em seu desenvolvimento pessoal para se destacar ainda mais no mercado.

Inscreva-se agora e inicie sua trajetória de sucesso no agronegócio! Clique no link abaixo e saiba mais informações.

Graduação em Gestão do Agronegócio

Alexandra Othero

Comentar