Rehagro Blog

Calcário: saiba seus benefícios e como recomendar para a cultura do café

A acidez do solo é um dos fatores que podem limitar a produtividade do cafeeiro. Essa acidez pode ser causada por vários fatores, dentre eles: material de origem do solo, decomposição da matéria orgânica, fertilizantes amoniacais, chuva ácida, remoção de bases pelas culturas e absorção iônica pelas plantas com consequente exudação de H+ (provocada pela absorção de cátions). Nesse sentido a correção do solo torna-se uma prática de grande importância, a fim de proporcionar melhores condições para o desenvolvimento do sistema radicular, através da correção da acidez dos solos e consequentemente maior disponibilidade de nutrientes para as plantas.

calcário

Figura.1 Efeito do pH na disponibilidade dos nutrientes e na solubilidade do alumínio no solo (Malavolta, 1979).

Quais os benefícios da calagem?

  • Corrigir a acidez dos solos
  • Fornece Ca e Mg as plantas
  • Diminui a toxidez do Al e Mn 
  • Neutralizar os sítios de cargas positivas dos oxihidróxidos de Fe e Al, minimizando a adsorção de fosfato

Dessa forma, proporcionando melhores condições para desenvolvimento do sistema radicular, aumentando assim a absorção de água e nutrientes.

Calagem x produção

Não são recentes estudos que mostram os benefícios da calagem em cafeeiro, Lazzarini et al. (1965) mostram os resultados do cafeeiro em sacas beneficiadas por hectare em resposta à calagem e adubação em solos de campo-cerrado (Figura 2), é notório que com a prática da calagem houve incrementos na produção.

calcário

Figura.2 Resposta do cafeeiro em sacas benefic/ha à calagem e adubação em solos de campo-cerrado. Batatais – SP. 1965. Fonte: Lazzarini, Moraes, Cervelini, Toledo e Figueiredo

Também, resultados do IBC mostram os aumentos na produção do cafeeiro obtidos pela prática da calagem em diferentes regiões cafeeiras, com variação de aumento na produção variando de +63% a +160% (Tabela 1), dessa forma, mostrando que a calagem proporciona incremento na produção.

calcário

Tabela.1 Aumentos de produtividade obtidos com a prática de calagem em cafezais, em diferentes regiões cafeeiras. Resultados extraídos de parcelas experimentais (Pesquisa/IBC).

Ação do alumínio x raízes 

A elevada acidez condiciona a uma alta atividade do Al na solução do solo, elemento que é tóxico para as plantas. O Al se acumula preferencialmente no sistema radicular das plantas, retardando assim seu crescimento e desenvolvimento, aumentando o diâmetro de raízes e reduzindo o número raízes laterais. Também, pesquisas tem demostrado que Al3+ no meio de crescimento influencia na absorção de elementos essenciais, como P, Ca e Mg (López-Bucio et al., 2000). Nesse sentido Carvalhal & Miyazawa (2009) estudaram o efeito da interação Al e P no desenvolvimento de mudas de café, os autores concluíram que independente da concentração de P na solução o desenvolvimento das raízes foi inibido (figura 3).

calcário

Figura.3 Volumes das raízes em função da razão [Al] / [P] das soluções nutritivas. Média de seis repetições. (Carvalhal & Miyazawa, 2009)

Neste estudo foi observado também o efeito da toxidez nas raízes (Carvalhal & Miyazawa, 2009), sendo observado engrossamento e paralização do crescimento devido a inibição da divisão celular, interferindo na absorção e translocação de água e nutrientes para a parte aérea (Foy et alii, 1978) (Figura 4).

Figura.4 Vista dos efeitos interativos entre Al e P nas mudas de cafeeiros em solução nutritiva com 1,0 mmol dm-3 de P. (Carvalhal & Miyazawa, 2009)

Nesse sentido, a calagem insolubiliza o Al, proporcionando assim maior desenvolvimento radicular, com consequente maior desenvolvimento da parte aérea das plantas.

Reação do calcário no solo:

Após a aplicação do calcário no solo, o ânion CO32- é responsável pela hidrolise da água e formação do íon OH, que irá neutralizar a acidez ativa (H+) do solo.

Reação do calcário no solo:

Recomendação de calcário com base no aumento de cálcio no solo

Muitos técnicos tem feito a recomendação de calcário com base no aumento de cálcio no solo:

Exemplo de cálculo:

Se meu solo possui 2,1 cmolc/dm3, e eu desejo aumentar para 3,0 cmolc/dm3, logo, eu preciso aumentar no meu solo 0,9 cmolc/dm3 de Ca:

Como são necessários 560 Kg de CaO para aumentar 1 cmolc/dm3, então, são necessários 504 kg de CaO, para elevar o cálcio do seu solo para 3,0 cmolc/dm3.

Considerando que meu calcário que possui 36% de CaO, eu preciso fornecer 1,4 toneladas de calcário.

No entanto, esse total de 1,4 toneladas, há um aproveitamento de apenas 50%, por isso a dose deve considerar esse aproveitamento.

Aproveitamento de 50%:

Escolha do calcário: 

O teor de magnésio do calcário é uma característica importante a ser analisada para a escolha do corretivo, visto que existem diferentes teores de magnésio nos calcários, nesse sentido, é importante que se conheça o teor de magnésio nos solos, para que se tome a decisão do melhor calcário a ser utilizado em cada situação. Em solos com teor de Mg muito baixo ou baixo, deve-se optar por calcários mais ricos em magnésio, devido ao alto custo desse fertilizante em relação a sua aplicação pelo calcário. Salientando a importância do magnésio como componente da clorofila, além de outras funções desempenhadas por ele.

Época de aplicação:

A aplicação de calcário pode ser feita entre agosto a setembro, nas lavouras em produção, pode-se realiza-la após a varrição e chegação de cisco. Essa aplicação pode ser feita tanto em área total, como em faixa.

Considerações

Portanto, a calagem além de corrigir a acidez dos solos, consequentemente proporcionando aumentando a disponibilidade de nutrientes, também diminui a toxidez do Al e Mn, fornece Ca e Mg para as plantas, nutrientes esses importantíssimos para o metabolismo das plantas. Por isso, a calagem é uma prática que traz inúmeros benefícios ao desenvolvimento radicular e da parte aérea das plantas, por isso deve ser realizado nas lavouras, visto que a adubação em um solo ácido irá afetar a disponibilidade de nutrientes, além dos prejuízos causados pelo alumínio em solo ácido e suas consequências na produção do café.

Referências:

  • CARVALHAL, R., & MIYAZAWA, M. Doses de Alumínio/Fósforo sobre o desenvolvimento de mudas de Cafeeiro (Coffea arábica) em solução nutritiva. 2009.
  • LÓPEZ-BUCIO, L.; NETO JACOBO, M.F.; RAMIREZ-RODRIGUES, V. & HERRARA-ESTELLA, L. Organic acids metabolism in plants: From adaptive physiology to transgenic varieties for cultivation in extreme soils. Plant Sci., 160:1-13, 2000.
  • RODRIGUES, L. A., PRIETO MARTINEZ, H. E., LIMA NEVES, J. C., FERREIRA NOVAIS, R., & MENDONÇA, S. M. D. Respostas nutricionais de cafeeiros catuaí e icatu a doses de calcário em subsuperfície. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 30(6). 2006.
  • SOUZA, R. B. D., VENEGAS, V. H. A., FREIRE, F. M., GUIMARÃES, P. T. G., NACIF, A. D. P., SALGADO, L. T., & OLIVEIRA, J. A. D. Manejo da calagem e da gessagem para o cafeeiro. 2001.

Comentar