Rehagro Blog

Tipos de poda e quando recomendar

Existem diversos tipos de podas para o cafeeiro, sendo importante verificar a situação da lavoura para escolher o tipo de poda que mais se adeque as necessidades das plantas, buscando sempre recuperar a estrutura produtiva do cafeeiro e consequentemente melhorar a produtividade das lavouras.

tipos de poda

Figura 1. Lavoura recepada. (Foto: Henio Inácio).

Dessa forma, é imprescindível conhecer os tipos de podas que podem ser realizadas e em que situações elas são recomendadas, para que não se recomende podas muito drásticas em situações em que não era necessário esse tipo de poda ou mesmo realizar podas menos drásticas em situações em que era preciso um maior reestabelecimento das lavouras. Por isso, para decisão do tipo de poda a ser realizado é indispensável que se conheça a situação da lavoura, com intuito de se ter mais sucesso no manejo da poda.

Decote

É uma poda alta, em que se elimina a parte superior da copa dos cafeeiros. Essa poda é recomendada para plantas que ainda possuem saia (ramos inferiores) e não estão adensadas, ela pode ser usada para reduzir a altura de plantas para realização de tratos culturais e de colheita mecanizada, para corrigir deformações ou mesmo para estimular brotações. Este decote pode ser alto (2,0 a 2,5 m) ou baixo ( 1,2 a 1,8 m) dependendo da finalidade da poda.

tipos de poda

Figura 2. Lavoura decotada (Foto: Henio Inácio Pereira)

Desponte

Essa poda consiste em cortar as extremidades dos ramos plagiotrópicos para estimular a maior ramificação. Essa poda é recomendada para lavouras que ainda apresentem saia, que estão abertas, com o intuito de estimular brotações nos ramos.

Esqueletamento

É o corte na lateral da planta, deixando os ramos plagiotrópicos a um comprimento médio de 20 a 30 cm do ramo ortotrópico, com o intuito de promover a abertura da lavoura, visto que esse tipo de poda é recomendado para lavouras que estão adensadas, mas que ainda possuem saia. Esse tipo de poda também é chamado safra zero, visto que no ano seguinte a essa poda o cafeeiro irá apenas vegetar, não apresentando produção, no entanto, no segundo ano após o corte, pode-se ter altas produtividades que podem compensar o ano sem produção.

Vídeo 1. Brotação de lavoura do cultivar Bourbon irrigada que foi esqueletada.

Recepa

É uma poda drástica, recomendada normalmente para lavouras que perderam a saia (ramos inferiores) ou para cafeeiros muito depauperados, mas que ainda apresentam um bom stand de plantas e bom alinhamento da lavoura. Essa poda é realizada cortando em uma altura de 0,3 a 0,4 m Após a realização desta poda é importante determinar o número de hastes que se vai conduzir de acordo com o espaçamento e eliminar o excesso de hastes que irão brotar.

tipos de poda

Figura 3. Lavoura recepada – Recepa sem pulmão (Foto: Henio Inácio).

Figura 4. Lavoura da cultivar Catucaí com um ano após a recepa. (Foto: Henio Inácio).

Já no caso, de lavouras que perderam a saia, possuem falha de stand, espaçamento inadequado ou alinhamento ruim, é recomendado a realização de um novo plantio, visando implantar a lavoura com um espaçamento adequado e melhorar o stand de plantas.

Figura 5. Lavoura de plantio após arranquio de lavoura com baixo stand de plantas (Foto: Diego Baquião).

Figura 6. Lavoura em formação. (Foto: Luiz Paulo Vilela).

Raízes x poda

A poda no cafeeiro acarreta em morte de parte das raízes, devido ao equilíbrio entre raiz e parte aérea, dessa forma quando realizada podas menos drásticas, como o decote, a porcentagem de raízes vivas são maiores (tabela 1), refletindo assim em menor gasto de energia para o crescimento dessas plantas. No entanto, quando realizada podas mais drásticas, como é o caso da recepa e do esqueletamento, ocorre grande modificação do sistema radicular, acarretando em menor porcentagem de raízes vivas, dessa forma, a planta necessitará de mais energia para o seu restabelecimento, para posteriormente retomar a produção de frutos.

Tabela 1. Porcentagem de raízes vivas de acordo com os tipos de poda em plantas de café.

Portanto, para se recomendar a poda no cafeeiro, é preciso conhecer a situação da lavoura, para que a tomada de decisão do tipo de poda seja a que mais se encaixe nas condições que as plantas se encontram. Além disso, é importante que se conheça os reflexos da poda nas plantas, e que este manejo seja planejado, visto que podas mais drásticas primeiramente irão vegetar para posteriormente produzir.

Referências:

  • MIGUEL, A. E. et al. Efeitos dos diferentes tipos de podas na morte de raízes do cafeeiro. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISAS CAFEEIRAS, 11., Londrina. 1984. Resumos. Rio de Janeiro: IBC/GERCA, 1984. p. 240-241. (Link)

Comentar