Rehagro Blog

CTC do solo: entenda o que é e como interpretá-la

CTC do solo - Artigo Larissa Cocato
Entenda sobre a CTC do solo, como interpretá-la e como manejar um solo visando o aumento da CTC

Nós preparamos uma explicação simples, com algumas dúvidas frequentes em relação a este item:

O que é CTC (Capacidade de Troca de Cátions)?

É a capacidade que os colóides do solo possuem para reter cátions (elementos de carga positiva), sendo diretamente dependente de cargas negativas presentes.

Quais seriam exemplos de cátions? 

Al3+, H+, Ca2+, K+, Mg2+.

Nos nossos solos brasileiros, nós temos a predominância de cargas negativas. Dessa forma, quanto maior a quantidade de cargas negativas no meu solo, mais eu consigo reter esses cátions. Esta ocupação pode ser por elementos bons (nutrientes), como Ca2+, K+, Mg2+, ou pode ser ocupado por elementos ruins, como é o caso do Al3+e do H+. E estes últimos podem estar ocupando cargas de outros elementos que são bons.

A partir disso, é importante a seguinte colocação: “nós não podemos afirmar impreterivelmente que um solo com CTC alta é muito melhor que um solo com CTC baixa”.

Mas, por que?

Pois é muito importante considerar com o que a CTC daquele solo está sendo ocupada no solo!

Existe diferença em relação a CTC, em solos argilosos e arenosos?

Sim, solos mais argilosos tem a CTC maior que solos arenosos, pois areia não tem carga.

E como isso pode interferir no meu manejo nesses diferentes tipos de solos?

Em solos mais arenosos devemos ter o cuidado na adubação, focando em mais parcelamentos, e além disso, realizar manejos que visem o aumento da CTC desses solos.

Mas por que devemos ter a prática de aumentar a CTC nos nossos brasileiros? 

A maioria dos nossos solos brasileiros possuem argila de baixa atividade, com predominância de argilas oxídicas e argilas 1:1 (caulinita), argilas essas que apresentam baixa CTC, e são altamente dependentes do pH.

Um exemplo simples: argilas oxídicas por exemplo, possuem em média uma CTC total (a pH 7,0) de 4 cmolc/dm3, as argilas 1:1, possuem em média uma CTC total (a pH 7,0) de 8 cmolc/dm3. Já os colóides orgânicos (húmus), possuem uma CTC total (a pH 7,0) de cerca de 200 cmolc/dm3.

Dessa forma, então como faço para aumentar a CTC?

Existem duas formas:

  1. Aplicando argila no solo, prática esta inviável. Ou
  2. Aplicando matéria orgânica, como por exemplo esterco, composto orgânico, ou mesmo palhas, como a palha de braquiária, casca de café, que vão decompor e aumentar a matéria orgânica do seu solo. Dessa forma, você estará aumentando a carga negativa do seu solo, e consequentemente a capacidade de segurar os elementos. 

Dessa forma, a argila e a matéria orgânica é quem são responsáveis por segurar os elementos para que eles não se percam!

Portanto, após um manejo visando aumentar a CTC de um solo, o que cabe a nós posteriormente é colocar elementos bons, que é através de calcário, gesso e fertilizantes, para que sejam retidos coisas boas nas nossas cargas negativas.

Ok, então precisamos focar em práticas que visem aumentar a CTC do nosso solo, e além disso focar em fornecer nutrientes, para que estes fiquem retidos em nossas cargas, certo?!

Sim!

Mas como as plantas absorvem esses nutrientes do nosso solo?

Certo, ótima pergunta!

Primeiramente, o nosso solo, é composto pela fase solida e pela fase liquida.

Essas duas fases, estão em equilíbrio entre si. Nesse sentido, o que está retido na argila e na matéria orgânica (fase solida), está em equilíbrio com a solução do solo (fase líquida).

As plantas não conseguem absorver diretamente os elementos que estão presos na fase solida, elas absorvem o que está dissolvido na fase liquida! Mas quem “manda” os nutrientes para a fase liquida é a fase solida!

Por isso, de forma simples: A argila e a matéria orgânica, retém os elementos e manda para a fase liquida, as plantas absorvem os elementos a partir da fase liquida! Dessa forma, todas as práticas que eu faço visando aumentar a minha CTC, melhoram o meu armazenamento de nutrientes, e consequentemente acarretando em mais nutrientes disponíveis para a planta.

Agora que entendi sobre o que é e como manejar minha CTC, como calculo e interpreto ela em minha análise de solo:

Como calcular a CTC?

CTC efetiva (t)

CTC efetiva (t) = K + Ca + Mg + Al

Considerando um exemplo de análise de solo, com: (Ca= 0,80 cmolc/dm3, Mg= 0,30 cmolc/dm3, K = 0,08 cmolc/dm3 e Al= 0,90 cmolc/dm3), temos:

CTC efetiva (t) = 0,08 + 0,80 + 0,30 + 0,90 = 2,08 cmolc/dm3

CTC potencial (T)

CTC potencial (T) = K + Ca + Mg + H+Al

Considerando um exemplo de análise de solo, com: (Ca= 0,80 cmolc/dm3, Mg= 0,30 cmolc/dm3, K = 0,08 cmolc/dm3 e H+Al= 5,64 cmolc/dm3), temos:

CTC potencial (T) = 0,08 + 0,80 + 0,30 + 5,64 = 6,82 cmolc/dm3

O que significam esses valores?

6,82 cmolc/dm3, é capacidade que meu solo tem de armazenar nutrientes a pH 7,0, mas ele está com pH de 5,20, então a capacidade real de armazenar nutrientes é 2,08 cmolc/dm3.

Portanto, de toda a minha capacidade que eu poderia explorar que é 6,82 cmolc/dm3, como eu não tenho o pH próximo de 7,0, eu estou usando apenas 2,08 cmolc/dm3!

E, o que eu posso fazer para que esta CTC efetiva de 2,08 cmolc/dm3 chegue próximo a 6,82 cmolc/dm3, e aumente a capacidade do meu solo?

Aumentando meu pH! Então se eu aumento meu pH, eu consigo aumentar a minha CTC efetiva e dessa forma, consigo armazenar mais nutrientes.

Como aumentamos o pH?

Calcário!

Por isso, a CTC é item importante a ser observado e manejado de acordo com as condições dos nossos solos!

Espero que você tenha entendido um pouquinho mais sobre a CTC do solo e como manejá-la!

Comentar