Rehagro Blog

CTC do solo: entenda o que é e como interpretá-la

CTC do solo - Artigo Larissa Cocato
Entenda sobre a CTC do solo, como interpretá-la e como manejar um solo visando o aumento da CTC

Nós preparamos uma explicação simples, com algumas dúvidas frequentes em relação a este item:

O que é CTC (Capacidade de Troca de Cátions)?

É a capacidade que os colóides do solo possuem para reter cátions (elementos de carga positiva), sendo diretamente dependente de cargas negativas presentes.

Quais seriam exemplos de cátions? 

Al3+, H+, Ca2+, K+, Mg2+.

Nos nossos solos brasileiros, nós temos a predominância de cargas negativas. Dessa forma, quanto maior a quantidade de cargas negativas no meu solo, mais eu consigo reter esses cátions. Esta ocupação pode ser por elementos bons, como Ca2+, K+, Mg2+, ou pode ser ocupado por elementos ruins, como é o caso do Al3+e do H+. E estes últimos podem estar ocupando cargas de outros elementos que são bons.

A partir disso, é importante a seguinte colocação: “nós não podemos afirmar impreterivelmente que um solo com CTC alta é muito melhor que um solo com CTC baixa”.

Mas, por que?

Pois é muito importante considerar com o que a CTC daquele solo está sendo ocupada no solo!

Existe diferença em relação a CTC, em solos argilosos e arenosos?

Sim, solos mais argilosos tem a CTC maior que solos arenosos, pois areia não tem carga.

E como isso pode interferir no meu manejo nesses diferentes tipos de solos?

Em solos mais arenosos devemos ter o cuidado na adubação, focando em mais parcelamentos, e além disso, realizar manejos que visem o aumento da CTC desses solos.

Mas por que devemos ter a prática de aumentar a CTC nos nossos brasileiros? 

A maioria dos nossos solos brasileiros possuem argila de baixa atividade, com predominância de argilas oxídicas e argilas 1:1 (caulinita), argilas essas que apresentam baixa CTC, e são altamente dependentes do pH.

Um exemplo simples: argilas oxídicas por exemplo, possuem em média uma CTC total (a pH 7,0) de 4 cmolc/dm3, as argilas 1:1, possuem em média uma CTC total (a pH 7,0) de 8 cmolc/dm3. Já os colóides orgânicos (húmus), possuem uma CTC total (a pH 7,0) de cerca de 200 cmolc/dm3.

Dessa forma, então como faço para aumentar a CTC?

Existem duas formas:

  1. Aplicando argila no solo, prática esta inviável. Ou
  2. Aplicando matéria orgânica, como por exemplo esterco, composto orgânico, ou mesmo palhas, como a palha de braquiária, casca de café, que vão decompor e aumentar a matéria orgânica do seu solo. Dessa forma, você estará aumentando a carga negativa do seu solo, e consequentemente a capacidade de segurar os elementos. 

Dessa forma, a argila e a matéria orgânica é quem são responsáveis por segurar os elementos para que eles não se percam!

Portanto, após um manejo visando aumentar a CTC de um solo, o que cabe a nós posteriormente é colocar elementos bons, que é através de calcário, gesso e fertilizantes, para que sejam retidos coisas boas nas nossas cargas negativas.

Ok, então precisamos focar em práticas que visem aumentar a CTC do nosso solo, e além disso focar em fornecer elementos bons, para que estes fiquem retidos em nossas cargas, certo?!

Sim!

Mas como as plantas absorvem esses nutrientes do nosso solo?

Certo, ótima pergunta!

Primeiramente, o nosso solo, é composto pela fase solida e pela fase liquida.

Essas duas fases, estão em equilíbrio entre si. Nesse sentido, o que está retido na argila e na matéria orgânica (fase solida), está em equilíbrio com a solução do solo (fase líquida).

As plantas não conseguem absorver diretamente os elementos que estão presos na fase solida, elas absorvem o que está dissolvido na fase liquida! Mas quem “manda” os nutrientes para a fase liquida é a fase solida!

Por isso, de forma simples: A argila e a matéria orgânica, retém os elementos e manda para a fase liquida, as plantas absorvem os elementos a partir da fase liquida! Dessa forma, todas as práticas que eu faço visando aumentar a minha CTC, melhoram o meu armazenamento de nutrientes, e consequentemente acarretando em mais nutrientes disponíveis para a planta.

Agora que entendi sobre o que é e como manejar minha CTC, como calculo e interpreto ela em minha análise de solo:

Como calcular a CTC?

CTC efetiva (t)

CTC efetiva (t) = K + Ca + Mg + Al

Considerando um exemplo de análise de solo, com: (Ca= 0,80 cmolc/dm3, Mg= 0,30 cmolc/dm3, K = 0,08 cmolc/dm3 e Al= 0,90 cmolc/dm3), temos:

CTC efetiva (t) = 0,08 + 0,80 + 0,30 + 0,90 = 2,08 cmolc/dm3

CTC potencial (T)

CTC potencial (T) = K + Ca + Mg + H+Al

Considerando um exemplo de análise de solo, com: (Ca= 0,80 cmolc/dm3, Mg= 0,30 cmolc/dm3, K = 0,08 cmolc/dm3 e H+Al= 5,64 cmolc/dm3), temos:

CTC potencial (T) = 0,08 + 0,80 + 0,30 + 5,64 = 6,82 cmolc/dm3

O que significam esses valores?

6,82 cmolc/dm3, é capacidade que meu solo tem de armazenar nutrientes a pH 7,0, mas ele está com pH de 5,20, então a capacidade real de armazenar nutrientes é 2,08 cmolc/dm3.

Portanto, de toda a minha capacidade que eu poderia explorar que é 6,82 cmolc/dm3, como eu não tenho o pH próximo de 7,0, eu estou usando apenas 2,08 cmolc/dm3!

E, o que eu posso fazer para que esta CTC efetiva de 2,08 cmolc/dm3 chegue próximo a 6,82 cmolc/dm3, e aumente a capacidade do meu solo?

Aumentando meu pH! Então se eu aumento meu pH, eu consigo aumentar a minha CTC efetiva e dessa forma, consigo armazenar mais nutrientes.

Como aumentamos o pH?

Calcário!

Por isso, a CTC é item importante a ser observado e manejado de acordo com as condições dos nossos solos!

Espero que você tenha entendido um pouquinho mais sobre a CTC do solo e como manejá-la!

Comentar