Rehagro Blog

Cenário e importância do café no Brasil

O Brasil é o maior produtor de café do mundo, de acordo com a Organização Internacional do café (2020), estando a frente dos Países: Vietnã, Colômbia, Indonésia, Honduras, Etiópia, Índia, Uganda, Peru e México.

Além disso, o país se destaca como maior exportador desse produto, resultando assim em grande importância para o país.  

Atualmente, o café é relevante fonte de receita para centenas de município, assim como, grande gerador de empregos no Brasil. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a cadeia produtiva de café é responsável pela geração de mais de 8 milhões de empregos no País, proporcionado assim renda, acesso a saúde e à educação para os trabalhadores e suas famílias.

Estados produtores no Brasil

Os estados que apresentam maior participação na produção de cafés são:

  1. Minas Gerais;
  2. Espírito Santo;
  3. São Paulo;
  4. Bahia;
  5. Rondônia.

Além desses citados, os estados do Paraná, Rio de janeiro, Goiás e Mato Grosso, também apresentam participação nesse cenário, entretanto, a porcentagem é bem menor.

Estados produtores de café no BrasilTabela 1. Estimativa de produção de café dos estados brasileiros realizado em dezembro de 2020 pela CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento).

Área cultivada de café no Brasil

De acordo com a CONAB (2020), a área total cultivada no país com café, considerando as espécies Coffea arabica e Coffea canephora, totaliza 2,16 milhões de hectares no ano de 2020, apresentando um aumento de 1,4% em relação a 2019.

Desse total, 316,6 mil hectares (14,7%) estão em formação e 1,84 milhões de hectares, em produção, o que representa 85,3% da área.

Se tratando da espécie C. arabica, a área cultivada somou 1,76 milhões de hectares na safra 2020. Isso representa cerca de 81% da área existente com lavouras de café. Já a espécie C. canephora, a área cultivada estimada é de 401,7 mil hectares (CONAB, 2020).

Curso Gestão na Produção de Café

Produção brasileira

A produção brasileira de café na safra 2019/2020 foi de 63,08 milhões de sacas beneficiadas. Este número 27,9% superior ao obtido na safra anterior (18/19). Destaca-se que o ano de 2020 foi um ano de bienalidade positiva para o café, ou seja, uma safra de alta produtividade (CONAB, 2020).

O gráfico mostra a produção total de café. Abordamos tanto a espécie Coffea arabica, quanto a espécie Coffea canephora. Os dados mostram a produção desde o ano de 2003 até o ano de 2020, demonstrando os anos de bienalidade positiva (na cor verde) e bienalidade negativa (na cor vinho).

Dados de produção de café no Brasil

Produtividade de C. arabica e C. canephora

A produtividade média estimada da espécie C. arábica na safra 2020 é de 32,18 sc/ha, representando um incremento de 36% em relação à safra anterior, que apresentou 23,66 sc/ha. 

Já se tratando da espécie C. canephora, a produtividade média da safra 2020 foi de 38,78 sc/ha, sendo 6,2% inferior a observada em 2019. Vale destacar, que a espécie C. canephora é mais rústica que o arábica, e por isso possui vantagens. Ela apresenta um ciclo de bienalidade menos intenso, dessa forma apresentando menos variações na produção (CONAB, 2020).

Espécies Coffea arabica x Coffea canephora

Como já mencionado, as espécies arábica e canephora são diferentes, apresentando assim particularidades cada uma delas. As diferenças são genéticas, morfológicas, nas condições ideais de cultivo, de bebida e etc.

A foto a seguir mostra que visualmente as espécies são diferentes:

Diferença coffea arabica e coffea canephoraEspécies Coffea arabica (esquerda) e Coffea canephora (direita). Foto: Larissa Cocato.

Algumas diferenças entre as espécies

  • A espécie arábica é unicaule e suas folhas são menores, quando comparada a espécie canephora, que é multicaule com folhas maiores.
  • A temperatura ideal para a espécie arábica é mais amena (18° – 22° C) do que para a espécie canephora (23° – 26° C), sendo que, essa última suporta maiores temperaturas.
  • A espécie arábica possui menores teores de cafeína e sólidos solúveis em sua bebida quando comparada a canephora. Por isso, a espécie C. canephora é mais utilizada para a produção de café solúvel. 

Consumo de café no Brasil

O café é a segunda bebida mais consumida no Brasil, ficando atrás apenas da água. 

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de café (ABIC), considerando o período de novembro 2019 a outubro de 2020 o país consumiu 21.004.430 sacas/ano. O consumo per-capita de café em grão cru (kg/hab.ano) foi de 6,02, e em grão torrado moído 4,82 (kg/hab.ano). Sendo observado no referido período maior consumo em relação ao período anterior.

Tem crescido também a procura por cafés de melhor qualidade, possivelmente isso é resultado do maior conhecimento sobre cafés, suas características, as diferentes formas de preparo, as diferentes regiões produtoras e, além disso, também é devido ao conhecimento dos benefícios do café a saúde humana.

Benéficos do consumo de café a saúde humana

Dentre os benefícios do consumo de café, podemos citar:

  • Efeito positivo na memória;
  • Prevenção de diabetes;
  • Alívio dos sintomas do mal de Parkinson;
  • Proteção contra o Alzheimer;
  • Diminuição do risco de esclerose múltipla;
  • Estímulo ao metabolismo;
  • Combate a depressão;
  • Redução do risco de doenças cardíacas.

No entanto, destaca-se a importância de um consumo moderado, assim como, seu consumo sem a adição de açúcar.

Saiba mais!

A história do café e sua origem: da Etiópia ao Brasil

Conheça alguns métodos de preparo de café

Larissa Cocato

1 comentário