Rehagro Blog

Adubação com ureia: como melhorar a eficiência?

A ureia se destaca como um dos fertilizantes nitrogenados mais utilizados, no entanto, a aplicação no solo sem os devidos cuidados pode promover altas perdas por volatilização, na cultura do café essa perda pode chegar até 30%.

Isso ocorre devido à formação do gás amônia (NH3), que é volátil, sendo uma das etapas intermediárias da hidrolise da ureia no solo.

A ureia é um fertilizante nitrogenado amídico (NH2)2, porém, as plantas absorvem o nitrogênio na forma nítrica (NO3-) e amoniacal (NH4+), assim, o nitrogênio sofre transformações no solo para ficar disponível para as plantas, conforme as figuras a seguir.

 

Sem tempo para ler agora? Baixe este artigo em PDF!


Reações da ureia

Na reação 1, a ureia (CO (NH2)2) é solubilizada pela água e por meio da ureia se forma-se Carbonato de Amônio ((NH4)2CO3), e na sequência forma Amônia (NH3), que é um composto altamente volátil.

Reação da ureia formando amônia

Na reação 2, que é uma reação reversível, ou seja, ela não é estável, a Amônia (NH3) junta-se a água e forma-se Amônio (NH4+).

Esta reação é regida pelo pH do solo, se tiver condição de pH abaixo de 6,0 em água, forma-se Amônio (NH4+), que é a forma que as plantas absorvem, se tiver com pH acima de 8, forma-se Amônia (NH3) e fica sujeita a volatilização.

O fertilizante Sulfato de Amônia, tem pouca perda por volatilização, porque o Sulfato (SO4) promove redução do pH ao redor do grânulo do fertilizante, favorecendo a formação de Amônio (NH4+).

Reação da ureia formando amônio

Após a formação do Amônio (NH4+) se tivermos algumas condições como boa disponibilidade de oxigênio, que beneficia bactérias Nitrossomas e Nitrobacter, o Amônio (NH4+) poderá se transformar em Nitrato (NO3-), sendo esta uma reação irreversível, ficando assim, sem risco de perda por volatilização.

Reação da ureia se transformando em nitrato

Fatores que melhoram a eficiência das adubações nitrogenadas via ureia

Umidade no solo

Em solos úmidos, ocorre maior volatilização da ureia, isso porque com a umidade no solo, há um aumento da difusão de ureia, dessa forma, acarreta maior contato com a urease no solo. (LORENSINI et al., 2012).

Assim, a condição ideal para aplicação da ureia seria solo seco com boa previsão de chuvas nas próximas horas.

Urease

A urease é uma enzima produzida por bactérias, fungos de solo, ou mesmo originada de restos vegetais, essa enzima é responsável pela hidrolise da ureia (CO (NH2)2), acarretando assim em volatilização de amônia.

Portanto, em condições de muita matéria orgânica, como lavouras manejadas com braquiária ou lavouras com materiais vegetais oriundos de podas, é desejável utilização de uma outra fonte de nitrogenado ou ureias com inibidores de urease.

pH alcalino

A aplicação de ureia em solos com condições de pH acima de 8, irá favorecer para que fique na forma de Amônia (NH3) que é a forma onde ocorre a volatilização.

Compactação de solo

Solos compactados terão menor disponibilidade de oxigênio, assim, nesta situação terá menor disponibilidade de bactérias aeróbicas Nitrobacter e Nitrossomas, que transformam o Amônio (NH4+) em Nitrato (NO3-), assim, devemos sempre estar atentos a compactação do solo.

Nesta imagem podemos ver lavoura com boa disponibilidade de palhada, que poderá favorecer a Urease.

Lavoura de café com boa disponibilidade de palhada

No resultado da pesquisa desenvolvida por Chagas et al. (2016) fica evidente o risco da ureia em perder nitrogênio por volatilização, numa avaliação realizada em duas safras, enquanto o Nitrato de Amônio perdeu 4 kg/ha, a Ureia perdeu 166 kg/ha.

Tabela com dados de perda de nitrogênio por volatização

Como saber se a eficiência de sua adubação nitrogenada está boa?

O indicador que utilizamos em nossos clientes de consultoria para verificar a eficiência, é quantos quilos de nitrogênio tenho gasto por saca de café produzida. Para chegar a este número deve-se dividir o total de nitrogênio gasto por safra pelo total de sacas de café produzida.

É importante avaliar este indicador por biênios, pois avaliando em um ano somente poderá ser mascarado pela bienalidade da produção.

O benchmarking para este indicador é a faixa de 6 a 8 kg de N/sc.

  • Se estiver abaixo de 6,0 kg de N/sc ótimo, mas cuidado;
  • 8 a 9,0 kg de N/sc há margem para melhora;
  • Acima de 9,0 kg de N/sc há muita margem para melhora.

Na figura a seguir temos o resultado em kg de N/ano, sc/ha e kg de N/sc em seis safras.

Quantidade de nitrogênio utilizado em seis safras de café

Destaque-se na Cafeicultura!

A cafeicultura é oscilante, mas nos últimos tempos, as safras têm ganhado cada vez mais destaque e valorização. Aquele que se prepara, produz mais, lucra mais e já consegue planejar os próximos passos para que a próxima safra seja ainda mais produtiva.

Se você busca esse resultado, comece se atualizando com as novas técnicas de mercado.

No curso online Gestão na Produção de Café Arábica, você aprenderá com quem entende do assunto, pois os professores atuam em fazendas comerciais e passarão o conhecimento a você. Não perca mais tempo e tire suas dúvidas:

Curso Gestão na Produção de Café

Larissa Cocato

Luiz Paulo Vilela

Comentar