Rehagro Blog
Alimentação de bovinos leiteiros

Importância da alimentação em sistemas de produção de leite

A alimentação é um dos principais pilares que formam a base para o sucesso da propriedade leiteira. Ela pode representar mais da metade dos custos de produção, tendo impacto direto sobre a margem de lucro do produtor. 

Dessa forma, é muito importante definir estratégias nutricionais que permitam o oferecimento das quantidades ideais de nutrientes para os animais, permitindo que os mesmos atinjam alta performance.

Neste artigo, você verá algumas dicas sobre isso! 

Como gastar o mínimo e ter bom desempenho dos animais

Para que as vacas produzam uma determinada quantidade de leite, elas precisam de nutrientes, como: energia, proteína, fibra e minerais. 

E existe alguma forma de otimizar os custos no oferecimento desses nutrientes? A resposta é sim. O segredo para isso é oferecer exatamente o quanto elas precisam de cada nutriente, evitando desperdícios e, ao mesmo tempo, não deixando que falte nada para que elas possam atingir sua produtividade máxima. 

Para isso, é fundamental conhecer dois pontos principais:

1) Exigência nutricional

A quantidade de nutrientes que uma vaca precisa para produzir determinada quantidade de leite é o que se chama exigência nutricional. Ela depende de:

  1. Seu peso vivo;
  2. Da quantidade de leite produzido;
  3. Da composição do leite produzido; 
  4. De quanto ela gasta de energia se deslocando. 

O período no qual a vaca se encontra também é um ponto de atenção. Vacas em período de transição, por exemplo, possuem uma necessidade de manejo alimentar específico. 

Levando em consideração essas informações, é possível estabelecer a exigência nutricional correta para cada nutriente.

2) Composição dos alimentos

É fundamental conhecer quanto cada alimento pode fornecer de cada nutriente. Por exemplo, se a vaca precisa ingerir 3,2 kg de proteína por dia, é preciso se conhecer o teor de proteína de cada alimento a ser utilizado, para que possamos empregá-lo em quantidade suficiente.

Em alguns casos específicos, é indicado o uso de aditivos, quando há necessidade de melhoria ou refinamento nutricional do rebanho, ou parte dele.

Entendendo os nutrientes

  • Matéria seca 

Todo alimento tem algum teor de água em sua composição. Se retirarmos toda a água de uma amostra de 100 gramas de alimento, o peso final será a quantidade de matéria seca contida em 100 gramas. Como a água, normalmente, é abundante e barata, quando se compra um alimento, é importante observarmos quanto de matéria seca ele tem. 

Matéria seca = Peso do alimento – Peso da água contida nele

  • Energia 

A energia está contida em todos os alimentos e é essencial para a produção animal. Quanto maior for a digestibilidade do alimento pelo animal, mais energético ele será. Por isso, uma forma de expressar a energia de um alimento é relacioná-la com sua digestibilidade. A medida de energia chamada NDT* é expressa em % da matéria seca (%MS) e reflete quanto do alimento pode ser digerido. Assim, se um alimento tem 90% de NDT e outro tem 60% de NDT, significa que o que tem 90% é mais digerível e, por isso, oferece mais energia disponível para o animal.

  • Proteína 

As proteínas são muito importantes porque fazem parte da estrutura do organismo (músculos, células) e são constituintes básicos dos produtos de origem animal (leite, carne). Assim, para que haja uma maior quantidade de proteína nesses produtos, maior será a exigência do animal para esse nutriente. A unidade utilizada para medir a proteína nos alimentos é a Proteína Bruta (PB), normalmente expressa em (%MS).

  • Fibra 

A fibra é um nutriente presente nos alimentos de origem vegetal e corresponde à parede celular das plantas. A unidade utilizada é FDN, que expressa o teor total de fibra do alimento. Os bovinos conseguem digerir a fibra dos vegetais (pasto) e produzem energia a partir dela. E lembre-se! Um nível mínimo de fibra na dieta é necessário para o funcionamento adequado do sistema digestivo dos ruminantes.

  • Minerais 

Os minerais são componentes inorgânicos que participam do metabolismo animal e, por isso, precisam ser fornecidos na dieta. Os macrominerais são aqueles que devem estar em quantidades maiores, sendo supridos com alguns gramas por dia. Os macrominerais essenciais são: cálcio, fósforo, magnésio, sódio, enxofre, potássio e cloro. Os microminerais também são essenciais, mas em quantidades muito baixas. Os principais microminerais essenciais são selênio, cobalto, zinco, manganês, cobre e iodo.

Conclusão

Agora, você já conhece os principais nutrientes e sabe como é importante conhecermos a exigência nutricional das vacas e a composição dos alimentos.

O próximo passo para ter sucesso na alimentação dos seus animais é saber como realizar a formulação de dietas para bovinos leiteiros.

Sucesso na sua produção!

Comentar