Rehagro Blog

Lagartas na cultura do café

Pertencentes à ordem Lepidoptera, as lagartas são insetos polífagos, ou seja, não atacam apenas uma cultura. No cafeeiro elas podem se alimentar de folhas, trazendo danos as mesmas, e além disso acarretar em porta de entrada para patógenos. 

Dentre as espécies de lagartas que podem atacar o cafeeiro, podemos citar as mais comuns: Lagarta dos cafezais (Eacles imperialis magnifica), lagarta mede palmo (Oxydia saturniata), Lagarta urticante (Lonomia (Periga) circunstans) e Lagarta rosca (Agrotis ípsilon).

Espécies

A lagarta dos cafezais (Eacles imperialis magnifica), é uma lagarta grande que pode atingir cerca de 10-12 cm de comprimento e apresentam coloração variável entre o verde, o alaranjado e o marrom. Essa lagarta apresenta pubescência e fios brancos, seu ciclo dura em torno de 65-85 dias e a capacidade de postura das fêmeas é de aproximadamente 198 ovos. (Figura 1).

Lagartas

Figura 1. Lagarta dos cafezais (Eacles imperialis magnifica). (Foto: Revista Cafeicultura)

Lagarta urticante (Lonomia (Periga) circunstans), são lagartas de coloração escura, medem cerca de 6 a 7 cm de comprimento. Essas lagartas são urticantes com diversos espinhos espalhados pelo corpo, podendo causar queimaduras em homens e animais. Essa espécie tem o habito de viver agrupada durante o dia e a noite se alimentar das folhas (Figura 2).

Lagartas

Figura 2. Lagarta urticante (Lonomia (Periga) circunstans). (Fonte: Google Imagens).

A lagarta mede palmo (Oxydia saturniata) também se alimentam das folhas.

A lagarta rosca (Agrotis ípsilon), quando completamente desenvolvida mede cerca de 4 cm, são robustas, cilíndricas e de coloração cinza escura. Essas lagartas tem hábitos noturnos e vivem no solo, nas proximidades das plantas que atacam durante a noite. De acordo com Santos & Nakano (1982), essa espécie (Agrotis ípsilon), ocorre principalmente em locais úmidos. O nome lagarta rosca, é devido ao habito de se enrolar, quando tocada. Essa lagarta pode acarretar em morte de plantas jovens. De acordo com Silva et al. (2011), tem se detectado dois problemas decorrentes ao ataque desse inseto, um deles é em torno de um ano após o roletamento do caule, as folhas se tornam amareladas e se desprendem da planta, outro dano observado é a mortalidade das plantas jovens pela ação do vento, devido ao enfraquecimento no local de ataque da muda. De acordo com o estudo realizado por esses autores, eles verificaram mortalidades de 10 a 30% em plantas jovens. (Figura 3)

Lagartas

Figura 3. Lagarta rosca (Agrotis ípsilon) em cafeeiro jovem. (Fonte: SILVA et al. (2011).)

Danos

Os danos causados pelas lagartas podem ser diretos, ou indiretos. Os danos diretos são devido a alimentar-se de folhas e brotos terminais. Dessa forma, em condições de ataque severo, podem acarretar em grandes prejuízos ao cafeeiro, principalmente aos cafeeiros mais novos e com menor número de folhas.

Já os danos indiretos ocorrem devido aos ferimentos causados nas folhas pelas lagartas servirem como porta de entrada de patógenos, como por exemplo: Phoma e Pseudomonas.

Figura 4. Danos causados por lagartas em folhas de cafeeiro (Fonte: Larissa Cocato).

Figura 5. Folhas de cafeeiro adulta com ataque de lagartas. (Foto: Luiz Paulo Vilela de Oliveira).

Figura 6. Folhas de cafeeiro adulta com ataque de lagartas. (Foto: Luiz Paulo Vilela de Oliveira).

Controle:

Após detectada a incidência e os danos causados pelas lagartas, deve-se realizar o controle dessas pragas. Salienta-se que vale, planejar o controle conjugado dessa praga juntamente ao controle de bicho-mineiro.

Dentre os princípios ativos utilizados para o controle químico de lagartas, podemos citar: os piretróides, que atuam nos canais de sódio, mantendo os canais abertos por mais tempo, dessa forma, proporcionando hiperexcitação e consequente morte. Ou também podem ser utilizado o Clórpirifos, um organofosforado que atua inibindo a acetilcolinasterase.

Referencias

  • SILVA, L. O. D., FERNANDES, F. L., VIEIRA, F. P., DINIZ, J. F. S., GENTIL, F. H., & OLIVEIRA, V. M. R. D. PRIMEIRA REPORTAGEM DOS DANOS DA LAGARTA-ROSCA EM CAFEEIRO NO BRASIL. 2011.
  • SILVA, R., SOUZA, J., REIS, P., & SANTA-CECÍLIA, L. V. C. Sintomas de injúrias causadas pelo ataque de pragas em cafeeiro. GUIMARÃES, RJ; MENDES; ANG; BALIZA, DP Semiologia do cafeeiro: sintomas de desordens nutricionais, fitossanitárias e fisiológicas, 1, 107-142. 2010.
  • https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/1040719/1/CafenaAmazoniaJOSENILTON.pdf

Comentar