Rehagro Blog

Potássio na cultura do café

O potássio é o segundo nutriente mais exigido pelas plantas, perdendo apenas para o nitrogênio (N). A forma absorvida pelas raízes das plantas é K+. Concentrações elevadas de Ca+2 e Mg+2 reduzem a absorção do potássio por inibição competitiva.

Importância do potássio

O nutriente é importante para:

  • Ativação enzimática (muitas enzimas são dependentes do K para a sua atividade normal, atuando assim em processos de respiração , metabolismo de carboidratos, síntese de proteínas, entre outros.
  • Regulação osmótica (Abertura e fechamento dos estômatos)

Fonte: Larissa Cocato

Também é importante destacar o enchimento dos grãos (o potássio auxilia no transporte e armazenamento de  carboidrato).

Fonte: Larissa Cocato

Deficiência de potássio

Devido à mobilidade do potássio nos tecidos, em condições de baixo suprimento de K no meio, esse nutriente é redistribuído das folhas mais velhas para as mais novas, dessa forma, os sintomas de deficiência de K ocorrem primeiramente nas folhas mais velhas, com uma clorose, seguida de necrose nas pontas e margens das folhas.

potássio na cultura do café

Fonte: Daniel Veiga

Recomendação de potássio

A recomendação de potássio deve ser feita com base no teor de potássio no solo e a expectativa para produção e vegetação. Para a cultura do café, trabalhamos com cerca de 120 mg/dm3 de potássio no solo ou de 0,30 a 0,35 cmolc/dm3  no solo. Para calcular a dose recomendada para a cultura considerando a vegetação e produção, utilizamos a seguinte fórmula:

K (kg/ha) = (produção x 3) + (vegetação x 2,9)

Para o calculo de adubação consideramos:

ADUBAÇÃO = (NÍVEL DE SEGURANÇA SOLO) + ADUBAÇÃO PARA PRODUÇÃO E VEGETAÇÃO

Cálculo para recomendação – EX1:

  • Teor de potássio no solo 90 mg/dm3
  • Produção esperada de 40 sacas/ha naquele ano agrícola e na safra seguinte de 25 sacas/ha.

120 mg/dm3 (quero atingir) – 90 mg/dm3 (tenho no solo) = 30 mg/dm3 (preciso aumentar no meu solo para manter o nível de segurança)

Para aumentar 1 cmolc/dm3 é necessário 942 Kg de K2O por hectare:

1 cmolc/dm3 de K ______ 942 Kg de K2O/ha

0,07 cmolc/dm3    ______     X

X = 65,9 Kg de K2O/ha

Cálculo para extração:

K (kg/ha) = (produção x 3) + (vegetação x 2,9)

K (kg/ha) = (40 sc x 3) + (25 sc x 2,9) = 120 + 72,5 = 192,5 kg de K2O por hectare

ADUBAÇÃO = 65,9 Kg de K2O/ha + 192,5 kg de K2O/ha = 258,4 kg de K2O/ha

Dessa forma, para a recomendação de adubação considerando esse solo que possui 90 mg/dm3 e uma produção esperada de 40 sacas/ha naquele ano agrícola e na safra seguinte de 25 sacas/ha, é calculado 258,4 kg de K2O/ha.

Cálculo para recomendação – EX2:

Se considerar a mesma produção esperada do exemplo anterior: produção esperada de 40 sacas/ha naquele ano agrícola e na safra seguinte de 25 sacas/ha. Mas considerar um teor de potássio no solo de 153 mg/dm3

Para esse exemplo, como o teor de potássio no solo está acima do níve de segurança, calculamos a quantidade recomendada para produção e vegetação e descontamos esses 30 mg/dm3 que estão a mais 153 mg/dm3 – 120 mg/dm3 = 33 mg/dm3

Cálculo para extração:

K (kg/ha) = (produção x 3) + (vegetação x 2,9)

K (kg/ha) = (40 sc x 3) + (25 sc x 2,9) = 120 + 72,5 = 192,5 kg de K2O por hectare

*Para aumentar 1 cmolc/dm3 é necessário 942 Kg de K2O por hectare:

1 cmolc/dm3 de K ______ 942 Kg de K2O/ha

0,08 cmolc/dm3    ______     X

X = 75,4 Kg de K2O/ha

ADUBAÇÃO = 192,5 kg de K2O por hectare(para produção e vegetação) – 75,4 Kg de K2O/ha (reserva do solo) = 117,1 Kg de K2O/ha.

Neste exemplo, devido ao maior teor de potássio presente no solo, descontamos o que está passando do nosso nível de segurança, e a recomendação é de 117,1 Kg de K2O/ha.

Fontes de potássio

Das fontes citadas acima a mais utilizada é o cloreto de potássio devido ao seu menor custo quando comparado as outras fontes.

Equilíbrio com potássio

Deve-se ter no solo uma boa relação Ca:Mg:K sendo de 9:3:1 ou 25:5:1, a fim de que não haja problemas na absorção de nenhum desses nutrientes, considerando a importância de cada um deles no metabolismo das plantas.

potássio na cultura do café

Fonte: Larissa Cocato

Por isso, apesar de tentarmos sempre trabalhar com cerca 0,30 a 0,35 cmolc/dm3  no solo, é importante levar em consideração os níveis de cálcio e magnésio do solo e priorizar o equilíbrio nesses nutrientes:

Ex: Em um solo que possui 2,0 cmolc/dm3  de cálcio e 0,5 cmolc/dm3 de magnésio, deve-se buscar trabalhar com cerca de 0,20 – 0,25 cmolc/dm3  de potássio, a fim de respeitar esse equilíbrio entre eles.

Um ponto de atenção quando se refere a adubação na cafeicultura é a utilização intensiva do fertilizante formulado 20-00-20 (que contém: 20% de nitrogênio e 20% de potássio). Isso porque, seu grande uso acarretou em altos níveis de potássio em algumas áreas, dessa forma, podendo proporcionar inibição competitiva na absorção de cálcio e magnésio, nutrientes esses importantes na constituição da parede celular e na composição da molécula de clorofila.

Desta forma, deve-se atentar para o equilíbrio desses nutriente ao solo, evitando prejuízos ao metabolismo da planta.

Parcelamento da adubação com potássio

Para a adubação com potássio, recomenda-se o parcelamento em pelo menos 3 vezes, podendo ser nos meses, novembro, dezembro e março, ou podendo variar de acordo com as condições de chuva.

Em solos arenosos, com baixa CTC, com chuvas intensas podem acarretar em lixiviação desse nutriente, por isso, ressalta-se a importância de se parcelar essa adubação.

webinar-leite

Comentar