Rehagro Blog

Monitoramento da broca do café

É importante realizar o monitoramento e bom controle da broca do café, devido aos prejuízos causados:

  • Redução de peso dos grãos;
  • Queda prematura dos frutos;
  • Grãos brocados são considerados defeitos na classificação física;
  • Orifícios podem servir como porta de entrada de patógenos.

broca do café

Fonte: Larissa Cocato

Além disso, o monitoramento torna-se uma ótima ferramenta devido a dificuldade de controle dessa praga no período que as larvas se encontram dentro dos frutos se alimentando das sementes.

O monitoramento deve iniciar a partir do momento que haja insetos em trânsito, que pode ser diagnosticado por armadilhas ou visualmente nas lavouras.

O “período de trânsito”, é o período em que as fêmeas adultas dessa praga perfuram os frutos verdes chumbões aquosos, na região da coroa dos frutos.

broca do café

Fonte: Larissa Cocato

Monitoramento – Metodologia EPAMIG

Para amostragem deve-se primeiramente dividir a lavoura em talhões homogêneos. Quanto ao tamanho do talhão, deve-se evitar talhões muito extensos, sendo preferido talhões menores. É importante caminhar em zigue-zague na lavoura.

Fonte: Larissa Cocato

Destacamos os seguintes tópicos:

  • Serão observadas 30 plantas  no talhão;
  • Em cada planta, observar 60 frutos (6 pontos (3 de um lado e 3 de outro) e 10 frutos em cada um desses pontos).
  • Esses 10 frutos  devem ser observados em diversos ramos e rosetas. Desses 10 frutos, contar aqueles broqueados e anotar na planilha.
  • Preencher a planilha nos 30 pontos do talhão.
  • Após preenchida, somar a quantidade de frutos broqueados em cada ponto (1, 2, 3, 4, 5 e 6).

Fonte: EPAMIG, 2013

Após a soma de todos os pontos, que resultará no total de frutos broqueados nos 30 cafeeiros monitorados, dividir esse valor por 18 (fator fixo), o que dará a porcentagem de infestação.

Porcentagem de infestação = TFF/18

Metodologia Cenicafé – Colômbia

Para amostragem deve-se primeiramente dividir a lavoura em talhões homogêneos. Quanto ao tamanho do talhão, deve-se evitar talhões muito extensos, sendo melhor talhões menores. Novamente, é importante caminhar aleatoriamente na lavoura a fim de avaliar 30 ramos de café em um talhão. Além disso, devemos levar em consideração os seguintes tópicos:

  •  Avaliar cerca de 2.500 frutos;
  •  Em cada ramo contar o número de frutos passíveis de ataque;
  •  Se na rama escolhida tiver frutos brocados, devemos avaliar qual a posição da broca;
  •  Calcular a porcentagem de frutos brocados.

Com base no calculo de infestação, partir para a tomada de decisão.

broca do café

Fonte: Larissa Cocato

Controle químico – momento de controle da broca do café

Com relação ao índice de controle, tem-se na literatura de 3 a 5%, entretanto, na prática já se tem entrado com o controle com 1% de infestação, devido a rapidez que essa praga se desenvolve a causa prejuízos ao cafeeiro, e além disso, devido a alguns produtos com efeito residual como por exemplo os princípios ativos: Ciantraniliprole, Clorantraniliprole + Abamectina e Espinosade, terem boa eficiência com infestações mais baixas dessa praga, de 0,5 a 2%.

FONTE: Isaza, et al., 2017

Referências

  • SOUZA, J. D., REIS, P., SILVA, R., & TOLEDO, M. D. Cafeicultor: saiba como monitorar e controlar a broca-do-café com eficiência. Belo Horizonte: Epamig, 2013.

Comentar