Rehagro Blog

Gestão financeira na cultura do café

DIFERENÇA ECONÔMICO E FINANCEIRO

A gestão financeira gerencia a disponibilidade de dinheiro, de recurso. Já a gestão econômica verifica se estamos aplicando o recurso de forma correta.

Nesse sentido, o econômico demonstra a eficiência, através do lucro. O financeiro demonstra o caixa. A eficiência de uma operação econômica se apura pelo DRE, que falaremos a respeito mais adiante. O financeiro se controla pelo fluxo de caixa. O econômico deve ser considerado pelo regime de competência, período no qual se realizou o fato, e o financeiro pelas datas efetivas em que ocorreram pagamentos e recebimentos. Econômico é aquilo que gera o financeiro, por exemplo a venda de café é um ato econômico e o recebimento dessa venda é um ato financeiro.

PORQUE EXISTE A GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA?

A Gestão Econômica e Financeira existe para que o gestor do negócio possa através dos indicadores financeiros tomar decisões estratégicas para sua fazenda, uma vez que esses indicadores trazem em números a realidade e a saúde financeira do negócio. Como benefício, ela proporciona que o gestor tenha o seu negócio em mãos, e dessa forma, possa ser mais assertivo em suas decisões.

ORÇAMENTO

O orçamento é parte de um plano financeiro estratégico, que compreende a previsão de receitas e despesas futuras para a administração de determinando período de tempo. 

Abaixo, temos um exemplo de orçamento:

gestão financeira

POR QUE O ORÇAMENTO É IMPORTANTE?

Com um orçamento bem feito, o gestor consegue ter um controle mais eficiente das finanças da sua fazenda, evitando a escassez de recursos financeiros ou os gastos desnecessários com despesas que não são prioritárias.

COMO É FEITO:

O orçamento é feito antes do início da safra de café, contendo mês a mês, a previsão de todos os gastos e receitas que irão ocorrer naquele período. Esse orçamento contempla todos os tipos de receitas e despesas, desde receitas de vendas, até o gasto com manejo das lavouras, colheita, pós-colheita, armazenamento, etc. Se a fazenda já tiver um histórico do financeiro, fica mais fácil a sua realização. 

É importante que dentro de cada mês seja especificado os gastos, para que posteriormente possa se comparar, se o recurso proposto para aquela atividade foi suficiente, se houve desvio, ou se não foi realizado.  

BENEFÍCIOS DO ORÇAMENTO

A partir desta previsão, é possível se ter uma estimativa do valor que será gasto naquela referida safra e também, dos gastos por atividade mês a mês. Dessa forma, o orçamento possibilita ter uma visão do quanto de dinheiro será necessário no período, auxiliando assim, uma melhor tomada de decisão. O orçamento também é interessante para planejar as vendas de café, de acordo com a necessidade de recursos financeiros durante o período.

FLUXO DE CAIXA

O fluxo de caixa é uma ferramenta de controle financeiro, em que, por meio dela é possível visualizar todas as entradas e saídas de dinheiro, tendo assim uma visão completa do negócio. A partir do fluxo de caixa, é possível ver quanto está entrando e saindo de dinheiro. 

Abaixo, temos o exemplo de um fluxo de caixa, de uma propriedade que possui mais de uma atividade agrícola: 

gestão financeira

POR QUE É IMPORTANTE TER FLUXO DE CAIXA?

O benefício da utilização do fluxo de caixa está relacionado ao controle financeiro da sua fazenda. Ao organizar todas as receitas e despesas de acordo com data e categoria, é possível ter uma visão clara de todas as movimentações que ocorreram no período em questão. Dessa forma, você consegue também saber qual a sua necessidade de caixa para os próximos 30 ou 60 dias, por exemplo.

COMO IMPLEMENTAR

Para a construção do Fluxo de Caixa, o primeiro passo é saber quanto seu negócio tem em caixa, no segundo momento é necessário que você tenha uma Plano de Contas bem definido, para que você consiga alocar cada gasto e cada receita a Conta Gerencial referida, e assim, quando você quiser analisar as origens das receitas e dos gastos você consiga fazer de forma clara. Após essas etapas realizadas, registre todas as entradas e saídas diárias do caixa da sua fazenda em uma planilha ou em um software de gestão. Para isto, é necessário realizar a conciliação bancária dos lançamentos para que não aconteça lançamentos equivocados e/ou a falta deles. Assim, atualizando diariamente os lançamentos você terá seu Fluxo de Caixa do período.

MAS AFINAL, O QUE É PLANO DE CONTAS E CENTRO DE CUSTOS?

PLANO DE CONTAS:

É uma etapa importante que visa detalhar e padronizar todas as movimentações financeiras da fazenda. Com ela, os registros financeiros são classificados e codificados formando assim cada conta gerencial, para que o escritório da fazenda tenha uma melhor visão sobre a origem e sobre o uso de cada operação financeira. Temos abaixo o exemplo de uma parte de um plano de contas:  

gestão financeira

CENTRO DE CUSTOS: 

Os centros de custos são uma maneira de separar a fazenda em vários setores, e cada um deles com suas responsabilidades operacionais, financeiras e econômicas. Eles são uma maneira eficiente de agrupar despesas e receitas. Os centros de custos são de suma importância para a gestão financeira, uma vez que facilitam as análises de cada parte do negócio, assim, se consegue analisar a contribuição de cada área do negócio para a lucratividade da fazenda. Como exemplo de centro de custos temos: Safra café 2020/2021 e administrativo. 

ORÇAMENTO E FLUXO DE CAIXA

A partir da realização de um orçamento e um fluxo de caixa correto, com todas as contas conciliadas, é possível a realização de um check de metas mensal ou por determinado período definido. Nesse check de metas, você compara qual era o orçamento para determinada atividade no período, o que já foi realizado, o que extrapolou o programado, o porquê desse desvio, ou o que houve de não planejado. Podendo atuar de forma pontual nos itens que ultrapassaram o orçamento. 

Para isso, é imprescindível que seja realizada uma conciliação bancaria, para se poder confiar nos números, visto que, ela audita as movimentações que serão comparadas ao orçamento. 

CONSIDERAÇÕES

Portanto, a gestão financeira gerencia a disponibilidade de dinheiro daquele negócio, e a partir das ferramentas propostas acima, consegue-se tomar decisões mais assertivas com base em números. Tendo conhecimento do recurso que temos, e de quanto de recurso iremos demandar em determinados períodos, dessa forma, tendo um planejamento da safra, e a partir dele, sendo mais assertivos. Afinal, “QUEM PLANEJA, ÀS VEZES ERRA! MAS QUEM NÃO PLANEJA, ÀS VEZES ACERTA!”

Para mais informações, leia o artigo Gestão de pessoas: você está fazendo do jeito certo? 

Comentar