Rehagro Blog
ferrugem da folha do trigo

Ferrugem da folha do Trigo: fungo Puccinia triticina

A ocorrência da ferrugem da folha do trigo é favorecida por condições climáticas. Considerada uma cultura de inverno, o trigo é atualmente cultivado nos Estados do Rio Grande do Sul, Paraná (os quais juntos detém cerca de 90% da produção total), Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais. Nota-se que são poucos os Estados produtores de trigo. Isso, porque as condições climáticas exigidas para o desenvolvimento desta cultura são bem específicas, como temperaturas amenas, que não é facilmente observada ao longo do território total do país. Portanto, é preciso ser bastante eficiente no manejo nas lavouras, pois, isso faz com que a nossa própria produção seja bastante representativa para abastecer o mercado e manter bons preços dos produtos alimentícios à base de trigo.

Prevenção e Manejo do fungo Puccinia triticina

Para isso, diante da importância econômica e alimentar que os produtos do trigo apresentam, é preciso manejar de forma eficiente esta lavoura, de modo a garantir qualidade dos grãos e alta produtividade.
Um dos principais pontos a se trabalhar é através de um bom manejo fitossanitário, controlando de forma correta e sustentável plantas daninhas, pragas e doenças. Neste sentido, este artigo tem como objetivo auxiliar na correta identificação de uma das principais doenças que afeta a cultura do trigo, além de apontar condições climáticas favoráveis para o seu desenvolvimento e formas de controle.
Uma das principais doenças capazes de causar grandes prejuízos aos triticultores em praticamente todas as regiões produtoras, é a ferrugem da folha, causada pelo fungo (Puccinia triticina). Esta doença pode ser observada em todos os estádios de desenvolvimento da cultura, desde a emergência até a maturação, e as perdas em rendimentos de grãos podem chegar à 63% dependendo das condições climáticas, severidade, suscetibilidade do cultivar e virulência da raça do patógeno.

Condições climáticas favoráveis para ocorrência da ferrugem da folha do trigo:

A dispersão dos esporos deste fungo é favorecida pelo vento, e a ocorrência da doença por condições de temperatura, as quais podem variar entre 15 e 20 °C, e elevada umidade relativa do ar.
Sobre diferentes temperaturas e período de molhamento foliar o período de infecção deste patógeno pode mudar. Relata-se que para condições de temperatura de 10ºC, o período de molhamento foliar deve ser de 10 a 12 horas contínuas, porém, quando a 20ºC, o período cai para 3 horas contínuas.

É possível perceber que existe uma grande dependência entre esses dois fatores para que a doença ocorra na lavoura. Portanto, o produtor deve ficar em alerta para essas condições, monitorando diariamente a previsão do tempo para garantir um controle efetivo nas áreas.

Identificação da doença a campo:

A ferrugem é caracterizada pelo aparecimento de pústulas de formato ovalado, com esporos de coloração variando de amarelo-escuro a marrom-avermelhado, encontradas sobre a superfície foliar.

Ferrugem da folha do Trigo: fungo Puccinia triticina

Fonte: www.cnpt.embrapa.br

Sobrevivência do patógeno na lavoura:

O fungo Puccinia é considerado biotrófico, ou seja, apenas sobrevive parasitando algum hospedeiro vivo, principalmente tigueras de trigo presentes na lavoura. Devido a sua sobrevivência, as folhas de trigo não são levadas a senescência, portanto, com o aumento de sua incidência sobre o tecido vegetal a fotossíntese é afetada e assim, a produtividade também.

Escala diagramática da ferrugem da folha:

A avaliação da incidência da doença na lavoura é através de amostragens de folhas, estipulando uma quantidade que seja representativa da área. De acordo com a literatura, se for obtido 10-15% de incidência (presença) do fungo, pode-se optar em fazer o controle químico.
Outra forma de monitorar esta doença é através do uso da escala diagramática, criada para auxiliar na avaliação da incidência e severidade do patógeno bem como, na eficiência de controle utilizado.

Escala diagramática da ferrugem da folha do trigo
Fonte: ALVES et al., (2015)

O valor de 95% demonstrado a figura acima indica severidade máxima do fungo sobre a cultura.

Métodos de controle da ferrugem da folha do trigo:

Para se obter um manejo eficiente da ferrugem da folha do trigo deve-se integrar os seguintes pontos:

Uso de cultivar resistente – método bastante eficaz, barato e seguro;

Eliminação de plantas voluntárias, especialmente tigueras de trigo e principalmente para regiões mais ao Sul onde a janela de plantio é bem extensa;

Tratamento de sementes – permite maior proteção às plantas e possibilidade de redução de uma operação de pulverização;

Controle químico com uso de triazóis e mistura de triazóis com estrobilurina;

Rotação de culturas – esta prática evita a permanência da doença na lavoura.

Leia também sobre as principais pragas no armazenamento de grãos.

REFERÊNCIAS
PIRES P. C. Ferrugem da folha de trigo (Puccinia triticina erikss.) Taxa de formação e distribuição das lesões. Dissertação, UPF, 2007, 96 p.
PICININI E. C, Fernandes JM. Controle da ferrugem da folha e da mancha bronzeada da folha de trigo pelo uso de fungicidas em tratamento de sementes. Fitopatologia brasileira. 26 (1): 100-100, 2001.
FLÁVIO M. S, MÁRCIA S. C. Cultivo de trigo: Doenças e Métodos de Controle. Sistemas de Produção, 4 Versão Eletrônica, 2009.
ALVES, G. C. S., DE CASTRO SANTOS, L., DUARTE, H. D. S. S., DIAS, V., ZAMBOLIM, L. DA ROCHA, M. R. (2018). Escala diagramática para quantificação da ferrugem da folha do trigo. Multi-Science Journal, 1(1), 128-133.
MIGLIORINI DE OLIVEIRA, G., PEREIRA, D. D., MORAES DE CAMARGO, L. C., GONÇALVES BALAN, M., GIOVANETTI CANTERI, M., IGARASHI, S., & GRIGOLI ABI SAAB, O. J. (2015). Dose e taxa de aplicação de fungicida no controle da ferrugem da folha (Puccinia triticina) e da mancha amarela (Pyrenophora tritici repentis) do trigo. Semina: Ciências Agrárias, 36(1).

Comentar