Rehagro Blog
indicadores - banco de imagens

Indicadores zootécnicos na eficiência reprodutiva das vacas leiteiras

A eficiência reprodutiva tem impacto significativo na lucratividade e produtividade do rebanho leiteiro. Um dos fatores que devem ser utilizados de maneira correta para tomadas de decisões mais assertivas são os indicadores zootécnicos.  É a partir da análise e controle desses dados que você conseguirá perceber onde estão as oportunidades, quais aspectos precisam de maior atenção para se maximizar a eficiência reprodutiva através da implementação e checagem de metas.

Quatro indicadores determinam a eficiência reprodutiva das vacas:

  • Taxa de concepção

A taxa de concepção é o resultado da divisão entre o número de vacas prenhes pelo número de inseminações feitas em determinado período.

  • Taxa de serviço

A taxa de serviço é obtida através da divisão do número de inseminações pelo número de vacas aptas a cada intervalo de 21 dias.  É um indicador extremamente dinâmico, uma vez que o universo de vacas aptas muda diariamente, o que dificulta a obtenção do mesmo. Para cálculo da taxa de serviço é interessante se trabalhar com um software de gerenciamento de rebanho.

De um modo geral, grande parte dos produtores tendem a acreditar que sua taxa de serviço é alta, uma vez que todas as vacas são inseminadas em determinado momento. No entanto, a maior parte das fazendas apresenta baixa taxa de serviço. De fato a maior parte das vacas, senão todas, são realmente inseminadas. Porém, muitas vezes são inseminadas tardiamente.

  • Taxa de prenhez

Multiplique a taxa de concepção pela taxa de serviço e obtenha a taxa de prenhez. Essa taxa mede a velocidade em que as vacas aptas se tornam gestantes a cada intervalo de 21 dias.

  • Período de espera voluntário

É o período que vai do parto até a liberação voluntária da vaca para ser novamente inseminada. Geralmente a espera é de 35 dias para evoluir o útero e o período de espera voluntário varia de 40 a 60 dias de fazenda para fazenda.

Aumento da produtividade com os índices zootécnicos

A maioria dos produtores não analisam os indicadores, trabalham na intuição e acham que a eficiência reprodutiva do rebanho está satisfatória. Mas, quando os dados concretos são obtidos e controlados, percebe-se os gargalos do sistema e as oportunidades de inseminação e técnicas reprodutivas que são deixadas de lado. Sempre há a possibilidade de inseminar uma quantidade maior de vacas e aumentar a lucratividade.

O importante é emprenhar a vaca no pós-parto o mais rápido possível e  para isso precisamos ter alta taxa de serviço, alta taxa de concepção e baixa perda de prenhez. Garantindo essa relação teremos como resultado um intervalo menor entre partos e consequentemente um DEL (dias em lactação) menor e maior produção de leite.

Manejo e controle da eficiência reprodutiva

Se você quer garantir intervalo curto de partos em todas as vacas, dê oportunidade para todas elas. Muitas fazendas selecionam as vacas ideais para inseminação, excluindo animais magros, mancos ou que possuam outros tipos de problemas. Se você não insemina essas vacas relativamente menos propensas à prenhez,  a possibilidade de gestação é zero. Mas, quando você insemina, a chance delas emprenharem é pequena mas é maior que zero.

Esse manejo sistêmico de inseminação está a cargo do produtor, mas outros fatores que interferem na eficiência dependem também do sistema e da condição dos animais. No geral, vacas sadias emprenham mais e por isso você precisa garantir todas as condições para que elas não adoeçam. Se você quer ter alta taxa de concepção é necessário planejar estratégias para reduzir a incidência de doenças.

Quais são essas estratégias?

O grande segredo está num bom manejo no período de transição das vacas. Nós temos que tentar maximizar o consumo no pré-parto, fazer as vacas comerem muito após o parto e minimizar a perda de condição corporal. Para isso existem algumas estratégias que podemos usar na alimentação dessas vacas:

  • Podemos manipular o cálcio da dieta.
  • Trabalhar com dieta aniônica para reduzir a incidência de hipocalcemia.
  • Podemos aumentar a concentração de vitamina E no pré-parto para melhorar a imunidade.
  • Precisamos usar estratégias para minimizar o stress das vacas no pré-parto, porque assim nós conseguimos reduzir a concentração de cortisol, melhorar a imunidade das vacas e consequentemente melhorar a saúde também.

Fique atento

Estudos demonstraram que 43,2% dos descartes ocorridos em fazendas leiteiras foram involuntários, e metade desse total teve causas reprodutivas.