Rehagro Blog
Bezerra e vaca leiteira

Desmama de bezerras leiteiras: cuidados essenciais para essa fase

A criação de bezerras jovens em uma fazenda de leite é extremamente importante. Boas bezerras vão se transformar em boas vacas, com bastante produção de leite, saudáveis e com longevidade. Todas essas características positivas na idade adulta começam com o bom manejo das bezerras jovens, principalmente nos 2 a 3 primeiros meses de vida. Um manejo inadequado nessas primeiras semanas de vida geralmente está associado ao um alto índice de mortalidade e de doenças durante esse período. Esses problemas irão acarretar uma menor produtividade do rebanho como um todo.

Em muitas fazendas do Brasil, é comum a regra de que devem ser fornecidos 4 litros diários de leite às bezerras durante a fase de aleitamento. Isso surgiu baseado em uma correlação das necessidades alimentares com o peso ao nascimento, sendo 10% do peso vivo em leite. Na prática, pode ser que esse volume não atenda às necessidades de uma bezerra durante essa fase. A composição do leite varia de vaca para vaca, de fazenda para fazenda. Pode ser que esses animais estejam passando fome quando fixamos como regra geral 4 litros de leite.

Outro hábito comum entre os produtores é desmamar as bezerras aos 60 dias de idade ou sendo comum observar bezerras sendo desmamadas a partir de um único critério, sua idade: 1, 2 ou 3 meses de vida. Mas, se a quantidade de alimento fornecido durante todo esse tempo foi insuficiente, os animais estarão em condições de sofrer mais uma restrição alimentar? Aos 60 dias já foi atingido o peso ideal para o desmame? No entanto, dependendo do manejo realizado até então, é possível que as bezerras não consigam ingerir quantidades suficientes de alimento sólido e se sustentar sem o leite. Logo, desmamá-las a partir do único critério idade pode ter consequências graves, já que bezerras subnutridas são mais susceptíveis às doenças e, consequentemente, a morte.

Critérios para realizar a desmama

Para se fazer um bom desmame dos animais, deve-se ter como principais critérios o consumo de alimentos sólidos, mais especificamente concentrados, e o peso. Em alguns sistemas que usam aleitamento artificial, com bezerras 3/4, 7/8 e 15/16 holandês-gir, tem-se observado melhores resultados quando a desmama ocorre quando as bezerras têm por volta de 90 kg de peso vivo e estão comendo, aproximadamente, 1 kg de concentrado/dia, de maneira constante. Esses critérios podem ser alcançados quando a bezerra tem entre quatro a oito semanas de idade.

Bezerras que iniciam o consumo de alimentos sólidos mais cedo podem ser desmamadas mais precocemente do que aquelas cujo consumo é muito baixo. Isso por que, ao passar pelo rúmen, o concentrado sofre fermentação, e os gases resultantes tem contribuição essencial para o desenvolvimento do próprio rúmen, do retículo e do omaso. Estes são os chamados pré-estômagos, que só quando bem desenvolvidos permitem que as bezerras aproveitem os nutrientes de alimentos sólidos a ponto de se sustentarem sem o leite. É a partir do momento em que os pré-estômagos estão desenvolvidos e funcionais que podemos chamá-las de ruminantes.

A desmama precoce traz como vantagens a redução do período de dieta líquida, o que diminui o tempo gasto com mão de obra para o fornecimento de leite aos bezerros e diminui os custos com a alimentação destes animais, já que o leite é mais caro do que alimentos sólidos.

Características dos concentrados fornecidos a bezerras

O objetivo do manejo nutricional durante a fase pré-desmama é promover o consumo máximo de concentrado, pois possibilita o mais rápido desenvolvimento do rúmen e uma desmama precoce. As características do concentrado oferecido à bezerra são muito importantes para que se otimize este processo. Um bom concentrado deve apresentar as seguintes características:

  • ser palatável;
  • ter, preferencialmente, textura grosseira (concentrado finamente moído não estimula a ruminação, reduz consumo e aumenta perdas);
  • ter no mínimo 18% de proteína de boa qualidade (sem adição ureia até pelos menos 90 dias de idade);
  • ter nível de energia de 80% de NDT;
  • ter baixo nível de fibra (de 7 a 9%);
  • suprir as necessidades de vitaminas desta categoria de acordo com o NRC;
  • ser composto por alimentos de boa qualidade. Como exemplo de ingredientes de boa qualidade tem-se: milho, farelo de soja, farelo de algodão e leite em pó.

Caso o concentrado possua níveis adequados de fibra, não é preciso incluir forragem ou alimento volumoso até os 60 dias de idade dos bezerros. No entanto, se necessário para atingir os 7 a 9% de fibra, pode-se acrescentar até 5% de feno de boa qualidade ao concentrado de bezerros. O feno ajuda a conferir textura grosseira a este alimento, estimula a ruminação e deve ser a primeira forrageira a ser oferecida aos bezerros. O consumo médio desta forrageira é menor do que 50 g/dia até a oitava semana de vida. Após este período o consumo tende a crescer rapidamente. O ganho de peso é pequeno quando somente feno é oferecido a bezerras em fase de aleitamento.

Um concentrado de boa qualidade garante que as bezerras consigam aproveitar ao máximo os nutrientes que o compõem, se desenvolvendo melhor. O concentrado deve ser oferecido à vontade até o terceiro mês de idade, quando pode ser limitado a 2kg/dia, dependendo de seu manejo. Deve estar disponível, limpo e fresco durante todo o tempo. O ganho de peso deve girar em torno de 700 g/dia. Dependendo do porte, raça e grau de sangue do animal, este ganho de peso diário pode ser maior.

Concentrado em falta para bezerra (o concentrado deve ser oferecido à vontade para bezerras em aleitamento, para se alcançar o máximo desempenho desses animais). Outra situação que deve ser observada é o umedecimento do concentrado por saliva das bezerras, chuva ou mesmo do vasilhame de água próximo, o que ocasiona a deterioração do concentrado oferecido, diminuindo a palatabilidade e consequentemente o consumo da mistura. Além disso, o umedecimento pode promover o crescimento de organismos patogênicos, colocando em risco à saúde de bezerras. As trocas de concentrados, portanto, devem ser constantes e o vasilhame regularmente limpo para estimular o consumo de concentrado de boa qualidade.

Neste processo, o acesso à água desde os primeiros dias de vida da bezerra é essencial. Existem vários fatores que afetam a ingestão de concentrado pela bezerra. A disponibilidade e a palatabilidade do concentrado estão entre eles. No entanto, um dos mais críticos é a disponibilidade de água. Para cada quilo de concentrado ingerido, as bezerras consomem, em média, 4 litros de água. Portanto, caso a água não esteja disponível, o consumo de concentrado pode ser limitado.

Fornecimento de água e concentrado a vontade para bezerras em aleitamento

Formas para estimular o consumo de concentrado

Várias práticas podem estimular o consumo de concentrado com a finalidade de obtenção de altas taxas de desenvolvimento dos pré-estômagos e realização de desaleitamento precoce. Dentre elas pode-se citar:

  • fornecimento de leite uma vez ao dia (não deve ser realizado em bezerras com menos de 30 dias de idade);
  • oferecimento de quantidade diária restrita de leite (4 litros/ dia);
  • oferecimento de concentrado ad libitum (à vontade) ao bezerro a partir do terceiro dia de vida.

Colocar o concentrado no fundo do balde logo após o aleitamento, ou colocá-lo diretamente na boca do bezerro na mesma ocasião também estimula o consumo deste alimento.

O estresse da desmama

Geralmente a desmama ocorre em um período crítico de transição de imunidade das bezerras, tornando esse animal susceptível a ocorrência de doenças. Neste período, a imunidade passiva, transmitida pela ingestão de colostro materno, está em queda, ao mesmo tempo em que a imunidade ativa (própria) da bezerra ainda não se desenvolveu totalmente, sendo incapaz de proteger a bezerra de maneira eficiente (janela imunológica). É importante ter em mente que a desmama, por si só, é um grande fator de estresse para as bezerras. Deve-se, portanto, evitar que maiores fatores de estresse atuem junto ao evento da desmama e favoreçam a debilitação da bezerra recém-desmamada.

Por isso, é fortemente recomendado que não se realize outras práticas de manejo (descorna, troca de dieta, vacinas e etc…) juntamente com à desmama. Não menos importante é a recomendação de que as bezerras desmamadas permaneçam no mesmo local ao qual estão habituadas por um período de, pelo menos, 10 dias. Durante esse período o consumo de concentrado aumenta e estabiliza, favorecendo a adequada ingestão de nutrientes pelo animal.

É importante também manter a mesma composição de concentrado quando as bezerras forem transferidas e colocadas em pequenos grupos, que devem ter no máximo 8 a 12 animais. Também é recomendável que bezerras doentes ou que tiveram diarreia, pneumonia, etc, à época da desmama permaneçam com a dieta líquida (leite) até se recuperarem.

As bezerras representam o futuro do sistema, pois são a garantia de reposição e de continuidade do rebanho, além de serem resultado de cruzamentos que podem melhorar a qualidade genética do mesmo. Por isso, cuidados durante toda a fase de criação das bezerras são fundamentais para se alcançar o máximo desempenho desses animais, com menor custo e melhor retorno para o produtor.

Comentar